BAHIA TEM BONS RESULTADOS NA ECONOMIA

O governador Jaques Wagner comemorou, em seu programa semanal, os bons resultados na economia baiana, onde o PIB teve um crescimento de 9,5% acima da média nacional. A crença do empresariado nacional também foi citado pelo governador, onde salientou a ampliação do Terminal Portuário Cotegipe, em São Tomé de Paripe, subúrbio de Salvador, um porto privado da Companhia Moinho Dias Branco.

“Nós pudemos ver a fé desse grupo investindo praticamente R$1 bilhão desde a sua chegada aqui, entre o porto e a fábrica de alimentos, que é a linha principal deles”, afirmou Wagner.


ENTREVISTA COM JOHN, UM DOS ASSASSINOS DE LARISSA

O repórter Raimundo Jackson, do programa Patrulhando a Cidade (rádio Santa Cruz), entrevistou John (João Bomfim), um dos assassinos da menina Larissa Andrade (6 anos), morta no dia 12 de maio, após ter sido usado como escudo, por um traficante que fugia de outros dois fortemente armados.




OPERAÇÃO “TORLERÂNCIA” ZERO

Aconteceu no último domingo (13), às 08:00 horas da manhã, na cidade de Una, a “Operação TORlerância Zero” da Polícia Rodoviária Estadual de Itabuna, que objetivava zelar pela segurança dos usuários de rodovias e combater o crime na área de trânsito, coibindo também o tráfico de armas, de drogas, de madeira, e possíveis assaltos a ônibus.

Diversas perseguições também ocorreram durante a blitz, mas todos foram devidamente localizados e tiveram seus veículos retidos. Ao todo foram extraídos 49 autos de infração, 30 motocicletas ficaram retidas e uma pessoa foi presa por desacato a autoridade.

“Com esta medida a PRE busca cumprir seu papel dando maior segurança à comunidade e aos condutores de veículos, reduzindo o número de acidentes nas estradas, retirando das pistas os veículos sem condições de tráfego, veículos “Pokémon”, condutores sem habilitação e também recuperando veículos roubados”, disse o Major PM Serpa.


RÁDIO UESC SELECIONADA PARA O PRÊMIO ROQUETTE-PINTO

A Rádio UESC, com o projeto “Vozes dos ilhéos”, foi uma das 40 rádios públicas selecionada para o Prêmio Roquette-Pinto, I Concurso de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos. A iniciativa visa o apoio a produção independente de materiais radiofônicos.

A rádio universitária, que ficou em quarto lugar na classificação geral, terá até o próximo dia 24 de junho para enviar a documentação necessária para o recebimento do prêmio de R$ 20.000.

Veja abaixo o link dos projetos selecionados.

(mais…)


TELEANÁLISE: A FACE RELATIVA DOS MORTOS

Por Malu Fontes.

Como se sabe, todos os gêneros televisivos e jornalísticos, em temporada de Copa do Mundo de Futebol, curvam-se ao tema da bola. Nesse contexto, é impossível que as informações que passam completamente ao largo disso não fiquem submetidas a um escamoteamento. Mas, mesmo nesse período, em que a impressão que se tem é a de que o controle remoto conduz o telespectador sempre para um mesmo canal (tente passar um dia sem ouvir na TV as palavras vuvuzela, Soweto, Bafana Bafana e uma dúzia de outros termos e tire suas conclusões), tamanha a semelhança das pautas, o gosto pela informação é amigo íntimo de um eterno pendor pelo susto e pela infindável capacidade de surpreender-se.

(mais…)


PREFEITO DE JEQUIÉ É OVACIONADO COM VAIAS E XINGAMENTOS

O prefeito de Jequié, Luiz Amaral (PMDB), foi alvo de um coro de vaias e xingamentos na noite de ontem (13). O episódio aconteceu na frente da Catedral de Santo Antônio, durante a missa em homenagem ao santo casamenteiro.

Ao ser convidado para hastear a bandeira da cidade, a multidão começou a descerrar vaias a ele. “Para esse aí, uma vaia a mais, uma a menos já não faz diferença”, diziam populares aos berros.


PAGAR PUBLICIDADE À IMPRENSA EM TROCA DO SILÊNCIO

Por Dirceu Goés.

Pagar publicidade em troca de silêncio e bajulismo, ou seja, da compra do editorial dos meios de comunicação, é uma prática analógica extremamente burra, notadamente depois do advento da internet e de uma infinidade de sites desbloqueados e blogs idem que surgiram no seu rastro.

Não perceber o alcance das novas tecnologias e imaginar que a emissão da mensagem ainda obedece ao circuito de um para todos, destronou em anos recentes políticos regionais que se consideravam inabaláveis. Mesmo que da extensa lista de pagamentos em voga, que bancava de uma singela feira semanal a rendimentos polpudos, fizessem parte inúmeros “coleguinhas” de profissão…

Entretanto, por mais que a mesada tenha sido e seja farta, não dá para abafar as mazelas administrativa associadas aos acontecimentos que irrompem inesperadamente do cotidiano ilheense. Simplesmente porque a realidade é plural e muito mais dinâmica do que a estratégia de cerco açodada por qualquer secretário ou assessor de imprensa da PMI.

(mais…)


TARIFA DE TÁXI EM ILHÉUS, UMA DAS MAIS CARAS DO BRASIL

A cidade de Ilhéus aparece como um dos municípios mais caros no Brasil em relação às tarifas de táxi. A informação é do site www.tarifadetaxi.com, que calcula o valor das corridas, do ponto de partida até o destino.

O site que está no ar desde 2008 possui um sistema simples e prático. Para calcular o valor, basta acessar a página e clicar na cidade desejada. Em seguida, o endereço de origem e destino deverão ser informados no campo correspondente ou diretamente no mapa da região.

(mais…)


JARDIM PONTAL ABANDONADO

O bairro Jardim Pontal, em Ilhéus, passa por dificuldades há muito tempo. Os moradores reclamam da falta de calçamento e iluminação em algumas ruas, oferecendo assim mais riscos a população.

Segundo um habitante, o problema da falta de calçamento ainda se agrava nas épocas de chuva e a escuridão das ruas atraem assaltantes ao local. A prefeitura de Ilhéus não pode mais “fechar os olhos” diante dessa situação.


COMUNICAÇÃO PARA O AVANÇO DEMOCRÁTICO

“O informe também aproxima a liberdade de expressão, em particular a radiodifusão, das políticas sociais essenciais para a inserção dos segmentos indefesos. De acordo com a Relatoria da OEA, a convergência entre a exclusão social e a ausência de canais institucionais ou privados para expressão de suas opiniões ou se informar, produz um efeito similar à censura: o silêncio”.

Esse texto serve para a assessoria de comunicação da prefeitura de Ilhéus. Bate de frente com a metodologia de “O Poderoso Cidão”, que paga publicidade em troca de silêncio e  bajulismo.

Por Pedro Caribé. Encontrado no Observatório da Imprensa.

O informe anual da Relatoria para Liberdade de Expressão da Organização dos Estados Americanos (OEA) aponta que a desconcentração da propriedade dos meios de radiodifusão é um passo fundamental para os países signatários avançarem na democracia. O documento, que reflete sobre dados coletados em 2009, cita explicitamente a necessidade de existirem mecanismos regulatórios e de fiscalização, além de sanções e restrições, para alcançar estágio em que os meios de comunicação sejam livres, independentes, vigorosos, pluralistas e diversos.

Os pontos detalhados pela OEA legitimam agenda das pautas das organizações em prol do direito à comunicação no Brasil, ratificando a necessidade de alterações na legislação e no papel do Estado para reparar o alto grau de concentração no setor. A OEA baseia todo o documento na Declaração Americana dos Direitos e Deveres do Homem.

(mais…)


O MESTRE EM SEU RITUAL

Eduardo Anunciação, autor da coluna "Política, Gente, Poder", do jornal Diário.

Este homem é jornalista, essencialmente jornalista.

Seus textos e sua coluna (quase diária) fluem através de um ritual peculiar, propiciado pelo reconhecimento conquistado e por um estilo único.

Ele escreve com o auxílio de uma régua, ele manuscreve mesmo tendo máquina de escrever e computador. Sua métrica é capaz de levar políticos à loucura, sua construção leva vereadores à tribuna do desespero, deputados à plenaria dos lamentos, etc e etc.

Nele, a criticidade está sempre presente, com rigor, respeito e perspicácia, afinal, eis um jornalista, eis um instrumento da liberdade de expressão.

Seus elogios agraciam e enobrecem, seduzem aqueles anteriormente criticados. A corda da liberdade lhe impôs processos judiciais, calúnias e até mesmo infâmias, mas, ele passa longe disso, não demonstra rancor, não suporta mágoas.

Todos os dias, nesta mesa, quase sempre forrada com uma toalha vermelha (tapete vermelho?) ele escreve a história grapiúna, sentado na mesma cadeira, carinhosamente recebido por um grande amigo de “priscas eras”.

Não vou revelar o local, para que não façam romarias, para que não interropam demasiadamente a sua criação.

Este homem é jornalista, essencialmente jornalista. Um homem de erros e virtudes como outro qualquer, porém, um jornalista, um grande jornalista (de estilo e texto) meu amigo e companheiro, conselheiro e mestre.


REVITALIZAÇÃO DA CINQUENTENÁRIO? NÉ COMIGO NÃO!

Questionado por um cidadão sobre a eficiência da empreiteira que está tocando a revitalização da avenida Cinquentenário, em Itabuna, Fernando Vita, secretário de desenvolvimento urbano, saiu pela tangente explicando: “esta obra não me diz respeito, não é de minha responsabilidade”.

A obra, cada vez mais criticada devido à forma desorganizada de sua implementação, foi entregue, desde o início, ao secretário de planejamento e tecnologia, Maurício Athayde.

Vita discordou do projeto, mesmo assim, o prefeito Capitão Azevedo decidiu mantê-lo sob os cuidados de Athayde. Infelizmente, deu no que deu.


A CENSURA DE PAI CIDÃO

Todos os jornais e veículos de comunicação que anunciam peças publicitárias da prefeitura de Ilhéus estão sob forte censura do secretário de governo, Alcides Kruschewsky, que está punindo financeiramente aqueles que não conjugam o verbo “bajular”.

A perseguição é implacável, já que O Poderoso Cidão montou uma equipe para acompanhar diariamente a imprensa.

Um jornal que publica artigos do professor Carlos Pereira Neto, com críticas ao governo Newton Lima, foi cortado da lista dos que recebem a publicidade oficial.

O radialista Robertinho Scarpita também foi retirado, só porque convidou o ex-prefeito Jabes Ribeiro para fazer um pronunciamento durante o ato favorável à BAMIN.

A política de comunicação social do executivo ilheense exige o bajulismo como condição indispensável para receber “as graças” de Cidão.

É lamentável que um jornalista respeitado e competente como Maurício Maron aceite pacientemente essas diretrizes, vindas de um autoritário, despreparado, sem qualquer noção sobre o valor da liberdade de expressão em um país democrático, capaz de promover o debate intenso do assuntos públicos.