Câmara de Vereadores realiza sessão especial em homenagem às mulheres

Na próxima quinta-feira , 14, a Câmara Municipal de Ilhéus vai realizar Sessão Especial às 15h no Plenário Gilberto Fialho em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. Trata-se de uma celebração de conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres ao longo dos anos.

Estarão presentes as sete últimas vereadoras, além de mulheres que representam a sociedade ilheense nos mais diversos segmentos.

Ao longo da história do legislativo ilheense a presença da mulher na política sempre foi marcante e várias mulheres se destacaram como legisladoras. Nomes como: Maria Célia Lemos, Zenaide Maria Magalhães de Oliveira, Ana Margarida Assunção Amado, Vitória Berbert de Castro, Maria de Lourdes Paixão Cardoso, Marlúcia Paixão, Carmelita Ângela Oliveira, além da já falecidas Almerinda de Carvalho Santos, Maria da Conceição Soares Lopes e Ida Viana fazem parte do legado da casa do povo.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Ilhéus, vereador César Porto “Esta homenagem é uma oportunidade de evidenciar e lembrar os serviços prestados pelas ex-vereadoras, a necessidade de uma maior participação da mulher na política local e a posição de destaque que as mulheres possuem na cidade de Ilhéus”.


Obra no Alto do Socorro continua paralisada e o governo Marão permanece calado

Foto enviada por um visitante do BG.

Receosos com a chegada das águas de março, moradores do Alto do Socorro, na Conquista, em Ilhéus, reclamam da paralisação da obra que vai atender a comunidade.

Iniciada em julho de 2018, a intervenção deveria ser entregue em dezembro passado, mas com as operações Sombra e Escuridão e Elymas Magus, da Polícia Federal, o serviço de contenção de encostas parou.

As investigações constataram indícios de irregularidades na licitação realizada pelo governo Mário Alexandre. As investigações prosseguem e as supostas fraudes ainda não foram provadas (publicamente). Os recursos utilizados, cerca de um milhão e meio de reais, são do governo federal.

Com o fim do verão e início das chuvas, os moradores temem novos desmoronamentos.


Das razões do Ser (minha filosofia performática)

Por Mohammad Jamal.

Começo citando um dos meus “gurus“ da filosofia. “Desde que a experiência me ensinou serem vão e fútil tudo o que costuma acontecer na vida cotidiana, e tendo eu visto que todas as coisas que me arreceava ou que temia não continham em si nada de bom nem de mau senão enquanto o ânimo se deixava abalar por elas resolvi, enfim, indagar se existia algo que, achado e adquirido, me desse para sempre o gozo de uma alegria contínua e suprema.”. “Tratado de Correção do Intelecto” (Bento Espinosa).  

Escrevo esse texto para refletir sobre algumas características fundamentais daquilo que entendemos por ‘filosofar’ a partir de uma perspectiva pragmática que a poeira do tempo obscureceu no esquecimento. Foi naquele tempo, quando ainda ensinavam o Latim no curso médio (ginasial), que aprendi garimpando curioso uns velhos textos em latim, que a forma geométrica do universo reflete o esquema da vida; que eles são o mesmo. Aprendi que o universo é delimitado por cinco lados e que a vida tem cinco estágios. “Primum”, a dor do nascimento. “Secundum” o trabalho da maturação. “Tertium” a culpa de viver. “Quartum” o terror de envelhecer. “Quintum” a finalidade da morte. Mas não está completo, pois cinco lados demandam um sexto espaço, um centro. É ele que devemos esperar ansiosamente. O que é o sexto espaço?  É o Vazio, a escuridão, o vácuo! Em outras eras igualmente ignorantes como a atualidade, dizia-se que o fogo eterno sucederia à morte. Mas no meu entender digo que não há fogo. Eu digo que o fogo não é punição bastante. Não meus amigos! O vazio do qual eu falo é o total horror da loucura, a consciência do nada. Então, nossas vidas, mesmo que miseráveis, de fato, são a felicidade suprema. Esse é o prêmio. Você deve amar sua vida mesmo que torturada, porque é uma pausa, uma interrupção no vácuo precedente e posterior. Se você busca uma resposta, olhe muito além dos fatos que você tem… E adicione mais um… O desconhecido. Porque somente quando você considera o desconhecido você tem uma esperança, uma chance de resolver o dilema do viver.

Sêneca me ensinou um pouco a viver melhor diante do inesperado digamos, do imprevisível ao qual jamais imaginávamos, pois nos é vedada a antevisão do amanhã. Apesar de todas as dificuldades, Sêneca, um dos mais conhecidos filósofos romanos, não era um homem amargurado, depressivo, sorumbático. Ele foi sábio quando percebeu que os fracassos são inevitáveis, e que o segredo das pessoas mais bem-sucedidas na vida é saber lidar com eles. Fracassos raras vezes são evitáveis, já que estão implícitos em tudo aquilo que representa atitude. E já que os problemas inesperados são os que mais nos atingem; que estejamos sempre preparados para o pior, embora essa “prevenção” possa transparecer pessimismo é, na verdade, um racional e precavido resguardo generalista.

Todas as vezes que você entrar num avião ou num carro, saiba que essa poderá ser sua última viagem. Se não for, aproveite cada nova oportunidade para explorar a vida ao máximo. “Descobrir que as fontes de satisfação estão além de nosso controle e que o mundo não funciona da forma como gostaríamos é um choque de infância de que muitos não se recuperam”, diz o filósofo britânico Marcus Weeks. As imprevisibilidades que decorrem do nosso existir devem ser encaradas com leviana serenidade. Nada é mais sério e importante que nosso equilíbrio sobre essa corda bamba da existencialidade. Cair no vácuo? Jamais.

Para o grande Sêneca, frustrações todos as vivenciamos alguma ou muitas vezes no transcurso da vida, o segredo é saber lidar com elas sem raiva, ansiedade, paranoia, amargura ou autopiedade. Precisamos manter o senso de realidade para não sucumbir à tentação de culpar os outros à nossa volta por tudo o que dá errado conosco.

O sucesso a ser alcançado consiste em se manter a paciente e emocionalmente estável diante dos problemas que fogem do nosso controle, e focar firmemente no que, de fato, depende só de você. Contra o breu existencial que circunscreve e fatiga o humor, ele fazia um exercício metodológico relativamente simples num certo sentido. Antes de dormir, listava suas frustrações, os insultos que havia escutado ao longo do dia e como havia se saído disso. Se algum resquício de malogro persistisse, ele o despejava fora dos seus sentimentos memoriais como algo impuro, indesejado, um chorume infecto contaminante. Ressentimentos? Não.

A busca pelas razões do existir e preservar o “ser” incólume é uma guerra permanente travada no campo do ambiente transpessoal. O SER é um estado difícil e de onerosa manutenção, todavia vale qualquer esforço, uma vez que “em sendo”, se adquire algo permanente e não passageiro como simples objetos assessórios. “Em sendo”, tem-se o tesouro do autoconhecimento que atrai outras riquezas com a solidez e a segurança da paz interior.

Sobre o poder da resiliência que vence o pessimismo do fracasso, trago um poema do indiano Kabir Das. Nem todas as palavras do idioma árabe, do Hindi, do Urdu, encontram no Português o verdadeiro sentido da literalidade e conotação por isso, nenhuma tradução simplesmente literal poderá representar sentido, conteúdo e expressionismo literário da intelectualidade, filosofia e pensamento nesses idiomas. Contudo, mesmo sendo uma língua consonantal entremeada de sinais diacríticos, não é totalmente impossível transliterá-la ao riquíssimo Português. Segue a tradução não literal do poema, na justa medida dos nossos limites. Kabir, sabiamente substitui o abstracionismo entreguista da religiosidade pela força vital que impulsiona a vontade, a Jihad (meta, objetivo, premissa) onde o Ser deve predominar a todo custo. E o Ser persegue a vontade, a Jihad.

Onde me procuras? Estou contigo.

Não nas peregrinações ou nos ídolos, tampouco na solidão.

Não nos templos ou mesquitas, tampouco na Caaba ou no Kailash.

Estou contigo, ó homem estou contigo.

Não nas preces ou na meditação, tampouco no jejum.

Não nos exercícios iogues ou na renúncia, tampouco na força vital ou no corpo.

Estou contigo, ó homem, estou contigo.

Não no espaço etéreo ou no útero da terra, tampouco na respiração da respiração.

Procura ardentemente e descobre, em um instante único de busca.

Escuta com atenção! Onde está tua fé, lá estou!

Mohammad Jamal é literato e articulista do Blog do Gusmão.


Sinebahia Itabuna oferece 30 vagas de trabalho

Há duas vagas para repositores de mercadorias.

Confira abaixo as oportunidades de emprego do Sinebahia Itabuna. As vagas estarão disponíveis nessa segunda-feira, 11.

A agência funciona no Shopping Jequitibá. Não esqueça de levar o número do PIS, PASEP ou NIS, Carteira de Trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e certificado de escolaridade.

AUXILIAR DE LIMPEZA (PCD)

Exclusiva para pessoas com deficiência

Ensino Fundamental Completo

01 Vaga

OPERADOR DE TELEMARKETING (PCD)

Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Ensino Médio Completo

Não necessita experiência

10 VAGAS

OPERADOR DE CAIXA

Ensino Médio Completo

Experiência mínima de 6 meses na função

5 VAGAS

(mais…)


Uso incorreto da água é desafio para a universalização do saneamento, afirma gerente da Embasa

Felipe Madureira, gerente regional da Embasa. Foto: Ascom.

Dia 22 de março é o Dia Mundial da Água, mas há pouco o que comemorar. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), embora tenha havido avanço em direção às metas definidas pelos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, quase 2,5 bilhões de pessoas ainda não têm acesso aos serviços de saneamento básico e 750 milhões não possuem uma fonte de água melhorada. O Brasil, um dos países mais privilegiados em oferta de água doce do planeta, amarga o acesso desigual à água potável e rede de esgoto e convive, diariamente, com a cultura do desperdício. Sobre essas e outras questões, ouvimos* o gerente regional da Embasa, Felipe Madureira. O gestor é responsável pelas operações da concessionária em Ilhéus e em outros 26 municípios do sul do estado. 

Felipe, 2016 foi um ano desafiador para o município de Ilhéus, porque, mesmo cercado por fontes de água, parte da cidade passou por meses de racionamento. O que a Embasa fez para evitar que uma nova crise hídrica aconteça?

Felipe – Diversas intervenções de caráter emergencial que foram feitas para mitigar os efeitos da estiagem, que atingiu Ilhéus e quase todos os outros municípios da região, deixaram um legado positivo para a oferta e a qualidade do serviço de abastecimento de água da cidade. Exemplificamos com a implantação de novas estações elevatórias de água tratada e a substituição de tubulações, abaixo da ponte Lomanto Júnior. Isso aumentou em 11% o percentual de contribuição do Rio Santana frente ao abastecimento geral de Ilhéus. A gente ressalta que a Embasa não é dona dos recursos hídricos de Ilhéus e que eles possuem múltiplos usos (navegação, agricultura, etc.). Nós obtemos uma outorga de utilização, que para o serviço de abastecimento de água é válida apenas para a represa do Iguape e a barragem do Santana. Essa permissão é dada pelos órgãos ambientais. Para o futuro, estudamos aumentar ainda mais a contribuição do rio Santana por meio da implantação de uma nova adutora e trazer água do Rio de Contas. A Embasa vai se antecipar ao aumento da demanda provocado pela implantação do Porto Sul. Mas qualquer solução em relação a uma nova fonte de abastecimento depende do consentimento dos órgãos ambientais. E com ou sem estiagem, desenvolvemos ações de educação ambiental o ano inteiro, especialmente agora em alusão ao Dia da Água.

Represa do Rio Iguape. Foto: José Nazal.

A Embasa já noticiou, em diversas ocasiões, ações para combater as fraudes na utilização da água tratada. Por que essas fraudes, na visão da empresa, dificultam a universalização do serviço?

Felipe – Porque os desvios comerciais contribuem para a cultura do desperdício e aumentam o nosso custo operacional, que poderia ser revertido na expansão dos serviços. Precisamos, para atender satisfatoriamente aos nossos consumidores regulares, captar e tratar mais água do que o necessário, e deixamos de arrecadar de quem usa de forma irregular e indiscriminadamente. Há doze anos Ilhéus é referência na Bahia na implantação de um programa de combate às perdas de água, o “Com+Água”, que aplicou R$ 2,6 milhões em ações operacionais de combate a vazamentos e quebramentos de rede; recuperação de clientes em situação irregular e ações de cidadania e educação ambiental. A participação da comunidade, nesse projeto, é fundamental para o sucesso do programa. Em 2019, estaremos de volta ao Teotônio Vilela e também no Alto do Amparo e Legião. 

Como a Embasa pretende se aproximar da comunidade nas comemorações pelo Dia Mundial da Água?

Felipe – Estão previstas ações socioeducativas em diversas frentes. Alunos do Colégio da Polícia Militar farão visita à estação de tratamento do Distrito Industrial, faremos uma blitz educativa na loja de atendimento, no Centro, levaremos teatro a grupos escolares do Teotônio Vilela e faremos palestras em várias instituições de ensino. Esse ano, a Embasa convida a todos a entrar no clima do uso responsável, sempre de forma lúdica e interativa. A empresa é a responsável pelo abastecimento, mas todos nós, com nossas atitudes, somos responsáveis pela disponibilidade de água para esta e para futuras gerações.

* Material produzido pela assessoria de comunicação da Embasa.


Comunicado da empresa Solar Ambiental

A Solar Ambiental e Montadora Ltda, empresa familiar e 100% Ilheense, com mais de 40 (quarenta) anos de atividade e desenvolvimento da cidade de Ilhéus, onde que nos últimos 8 (oito) anos tendo como atividade principal o processo de coleta, transporte e destinação final de resíduos sólidos, com resultados sempre positivos, comunicamos que a partir de hoje (08.03.2019), não mais estaremos realizando esta atividade junto ao Município de Ilhéus.

Destacamos que o amadurecimento do presente distrato ocorreu de forma recíproca com o Município por quase 30 dias.

Nessa caminhada só temos a agradecer ao poder executivo e legislativo que souberam com sabedoria manter uma boa e inteligente parceria; nossos agradecimentos aos munícipes que sempre souberam colaborar com nosso processo de coleta; nossos agradecimentos às instituições organizadas onde sempre nos ajudaram com observações e sugestões que sempre vieram a colaborar com o processo de limpeza de Ilhéus.

Agradecemos nossos quase 100 colaboradores e residentes em Ilhéus, sem exceção, na pessoa de seu Sindicato (SINDILIMP) que sempre esteve presente e disposto a nos ajudar nos momentos mais difíceis de nossa caminhada com a devida paciência.

São tantos agradecimentos que podemos pecar em não citar a todos e por este simples motivo agradecemos de forma geral aos que de alguma forma sempre colaborou com a Solar Ambiental.

Certo é que chegamos a um momento onde o mais importante é continuarmos com nossa caminhada e estaremos sempre a disposição para o que for necessário.

Por fim e mais importante, agradecemos a Deus que nos permitiu chegar onde estamos com a cabeça erguida e espírito altivo com mais sabedoria e construindo novas amizades e parcerias.

Na certeza do dever cumprido.

Ilhéus, sempre estaremos presente para o seu engrandecimento.

Ilhéus (BA), 08 de março de 2019.

Solar Ambiental e Montadora Ltda.


Sinebahia Ilhéus oferece 22 vagas na próxima segunda-feira

Sinebahia Ilhéus tem uma vaga para recepcionista de hotel.

Confira abaixo as vagas de emprego disponíveis nessa segunda-feira, 11, na agência do Sinebahia Ilhéus, que fica na sala 13 do SAC, situado na Rua Eustáquio Bastos, 308, Centro.

Não esqueça de levar a carteira de trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e de chegar antes das 9. 

ATENDENTE DE CARTÃO (SUPERMERCADOS)

Ensino médio completo

Experiência com vendas e atingimento de metas

01 VAGA 

AUXILIAR DE RH (SUPERMERCADOS)

Ensino Médio Completo

Experiência mínima de 6 meses na carteira

01 VAGA 

ASSISTENTE DE PRODUÇÃO (INDUSTRIA)

Ensino superior completo em engenharia de produção, Logística e áreas afins

01 vaga 

(mais…)


Sebrae oferece 500 vagas de capacitação em Ilhéus e Itabuna

Das 500 vagas disponíveis, 440 são gratuitas.

Com foco no desenvolvimento dos pequenos negócios, o Sebrae está com 500 vagas de capacitação abertas para palestras, clínicas tecnológicas, além de cursos e oficinas de atendimento ao cliente. Do total de vagas disponíveis, 440 delas são gratuitas e os interessados podem se inscrever pela Loja Virtual do Sebrae.

A primeira atividade de março é voltada para o empreendedor que deseja abrir o próprio negócio. São orientações gratuitas sobre “Como planejar o seu negócio”, com informações atualizadas de mercado, todas as sextas-feiras do mês, nos dias 8 e 22, das 14h às 17hs, no Sebrae Itabuna, e dia 15, das 13 às 17h, no Sebrae Ilhéus.

Já o empresário que deseja impulsionar seu negócio a partir das redes sociais terá a oportunidade de participar da clínica tecnológica gratuita sobre “Como usar as mídias sociais no seu negócio”. A capacitação acontece no dia 12 de março, das 19h às 21h, no Ponto de Atendimento do Sebrae Itabuna.

No dia 13 de março, no auditório do Sebrae em Ilhéus, e dia 14 de março, no Palace Hotel, em Itabuna, sempre às 19h, está prevista a palestra sobre eSocial, que será conduzida pela contadora e professora universitária Jamile Souza Andrade, pós-graduada em Gestão Tributária e em Finanças Aplicadas.

Nos dois encontros, serão apresentadas informações gerais como principais eventos, cronogramas, penalidades, passo a passo para implementação nas empresa e o papel do gestor.

De acordo com o gerente adjunto do Sebrae, Michel Lima, as palestras tem o objetivo de “provocar os empresários quanto à preparação dos negócios para atender às exigências do eSocial”.

Ainda para o dia 14 de março, está prevista, no Sebrae Ilhéus, a clínica tecnológica gratuita sobre Boas Práticas de Gestão de Estoques, das 18h30 às 20h30.Os participantes aprenderão sobre causa dos problemas de gestão de estoques, ciclo de gestão de logística comercial, boas práticas, ferramentas, gestão de custos, entre outros.

A programação do mês de março continua no dia 21, no Sebrae Itabuna, onde acontece, das 18h às 22h, a oficina gratuita de capacitação “Pratique atendimento para microempresa”, voltada para os micro e pequenos empresários. A oficina vai orientar os profissionais sobre atitudes e práticas de atendimento, além de procedimentos e estratégias, visando identificar as necessidades do cliente.

Com a proposta de orientar os donos de micro e pequenas empresas e os microempreendedores individuais de Itabuna sobre como gerir com eficiência os estoques e garantir a sustentabilidade econômica dos negócios, o Sebrae Ilhéus promove o curso “Gestão de estoques na medida”, entre os dias 25 e 27 de março, das 18h às 22h. São 12 horas divididas em três encontros presenciais e mais duas horas de consultoria por empresa. O investimento é de R$ 150.

Já no período de 25 a 29 de março, das 19h às 22h, no Ponto de Atendimento em Itabuna, será realizado o curso “Como atender melhor seu cliente”, visando desenvolver nos participantes a capacidade de identificar os aspectos que contribuem para a satisfação do consumidor.

Para Michel Lima, “a ideia do curso é que o participante possa refletir criticamente sobre as ações e procedimentos de atendimento em sua empresa, visando o impacto positivo nos resultados”. O investimento é de R$ 80.

As informações completas sobre as capacitações podem ser obtidas na agência do Sebrae em Ilhéus, localizada na avenida Osvaldo Cruz, 74, Edifício Premier Bussines Center. Já em Itabuna, o Ponto de Atendimento do Sebrae fica na Rua Paulino Vieira, 175, Edifício Lizete Mendonça, Centro. Os telefones para contato são: (73) 3613-9734 e (73) 99974-2262, em Itabuna, ou (73) 3634-4068 e (73) 99974-2263, em Ilhéus.


Exclusivo. Desembargadora intima Marão para reintegrar servidores afastados

Imagem da intimação do TJ-BA.

A desembargadora Silvia Zarif, por meio da 1ª Câmara Cível do TJ-BA, mandou intimar o prefeito Mário Alexandre para que suspenda o afastamento dos 268 servidores não estáveis retirados da folha de pagamento no dia 07 de janeiro deste ano.

Segundo o advogado Arnon Marques Filho, a notificação ocorreu por meio eletrônico nesta quinta-feira, 7, e a Prefeitura de Ilhéus tomou ciência da decisão por volta das 13h30min.

O governo Mário Alexandre deverá cumprir a determinação imediatamente. Até a decisão em última instância, o prefeito estará proibido de publicar outro decreto com novo afastamento dos servidores que ingressaram na prefeitura entre 5 de outubro de 1983 a 5 de outubro de 1988.

 


Uruçuca: governo Moacyr afirma que o carnaval 2019 foi o mais completo

Foto: Ascom Uruçuca.

Apesar da crise financeira que recai sobre os municípios, a Prefeitura de Uruçuca tem mantido os salários dos servidores em dia. Por determinação do prefeito Moacyr Leite, antecipou os vencimentos do mês de fevereiro para que o servidor pudesse aproveitar o carnaval. Segundo a gestão, por meio das Diretorias de Cultura e de Comunicação a prefeitura promoveu o maior e mais completo carnaval já realizado no município, entre os dias 01 a 05 de março, com muitas surpresas, como o resgate dos blocos e marchinhas de carnaval pelas ruas de Uruçuca e Serra Grande . O atual governo fez questão de envolver toda a comunidade, ouvindo opiniões, ideias e sugestões. Foram 17 atrações que se apresentaram no palco principal ou nos trios que puxaram os blocos.

A Prefeitura de Uruçuca apoiou e patrocinou a iniciativa. “A ideia é que os blocos se fortaleçam e que a cada ano, Serra Grande consiga se destacar mais, trazendo para a Vila uma dimensão cultural cada vez mais diversificada, consolidando-se como o melhor destino de carnaval do litoral sul da Bahia”, disse o prefeito Moacyr Leite.

O carnaval de Uruçuca e Serra Grande foi realizado exclusivamente pela Prefeitura de Uruçuca, com o apoio da Câmara de vereadores. Serra Grande, apesar de ser um forte nome no turismo regional e nacional, não pôde contar com o incentivo da Bahiatursa (governo do Estado).

As polícias Militar e Civil garantiram a segurança dos foliões durante os festejos do carnaval. Sem grandes ocorrências, o evento foi tranquilo, comprovando que o folião que esteve em Serra Grande estava disposto a se divertir e curtir a festa. Predominou o clima de paz e muita Alegria.

Prefeito Moacyr e o vice Marcelo Dantas entregaram a chave da cidade ao Rei Momo. Foto: Ascom Uruçuca.

Este ano, pela primeira vez no carnaval da Vila, houve um momento para as crianças, para que pudessem brincar e pular o carnaval num espaço reservado e com atenção exclusiva. Na tarde de domingo, 03, a Praça Pedro Gomes foi tomada pelos foliões mirins. A inclusão de uma programação exclusiva para as crianças foi uma solicitação pessoal do prefeito Moacyr Leite Jr, que idealizava um momento de sorrisos, crianças brincando felizes e fantasiadas, no convívio familiar, aproveitando o carnaval.

A banda Uz Bananoides sacudiu a tarde dos pequenos, com muita música, brincadeiras e distribuição de brindes. Quem esteve presente na Praça Pedro Gomes não se arrependeu de participar daquele momento. “Ver a alegria das crianças e interagir com elas na tarde de carnaval foi de fato, diferenciado”, afirmou Aline Costa, turista mineira que estava acompanhada do marido e das filhas.

Um dos principais destinos turístico da região, Serra Grande vem se destacando pela sua organização, limpeza e receptividade. Durante o carnaval a Vila de Serra Grande recebeu muitos turistas da região e de fora do estado, como Minas Gerais e Goiás. Além da programação extensa do carnaval, os turistas puderam aproveitar as belezas naturais, como o mirante, as praias de areaia branca e águas claras e mornas, a cachoeira de Tijuípe, a a Represa de Serra Grande e muito mais.

Além de toda alegria, economicamente o evento foi muito importante para o município, com uma taxa de 100% de ocupação hoteleira, praias e barracas lotadas e boas vendas dos comerciantes. “Esse é o objetivo maior, proporcionar a comunidade e aos turistas momentos de alegria e descontração. Acredito que realizamos, este ano, o melhor carnaval de todos os tempos em nosso município”, concluiu o prefeito Moacyr Leite, que fez questão de prestigiar todos os dias do evento no meio da folia.


CIPPA flagra som barulhento em Ponta da Tulha

Equipamento apreendido em Ponta da Tulha. Foto: CIPPA-PS.

Nesta quarta-feira de cinzas, dia 6, por volta das 12h05min., o 2° Pelotão da CIPPA flagrou na Rua da Ostentação, em Ponta da Tulha na zona norte de Ilhéus, Gilson de Oliveira Reis com aparelhagem sonora acima do volume permitido.

A medição técnica constatou 75,5 decibéis de barulho e foi configurado crime de poluição sonora. Foi lavrado termo circunstanciado e o responsável vai responder no judiciário pelo erro. A aparelhagem foi levada.


Bolsonaro e o tuíte obsceno

Por Julio Gomes.

Causou impacto a forte politização ocorrida neste Carnaval 2019, tanto nos desfiles de escolas de samba do Rio de Janeiro quanto nas ruas, onde blocos e foliões, espontaneamente, se manifestavam como podiam com relação à forma como o Brasil vem sendo conduzido pelo Governo Federal empossado em 1º de janeiro. 

Desde sátiras cabíveis e inteligentes até coro de multidões em xingamento, o brasileiro se manifestou como pôde, e as próprias palavras do atual Presidente, que sempre foi contra o “politicamente correto”, decerto contribuíram para que manifestações deseducadas acontecessem, já que ele mesmo entende que assim deve ser. 

Porém o que está roubando a cena, mais do que as manifestações populares, foi a publicação do próprio Presidente, em sua conta no Twitter, na terça-feira, dia 06/03, quando o mesmo postou um vídeo para lá de inadequado, contendo uma cena de um homem dançando seminu com o dedo no próprio ânus e, em seguida, outro homem urinando na cabeça do que dançava. Para quem desejar ver, o Twitter com o vídeo se encontra facilmente acessível na internet. 

A postagem demonstra, mais uma vez, o despreparo e desequilíbrio da pessoa que hoje ocupa a Presidência. Se para o anônimo folião de rua muito é permitido, é bom lembrar que para quem ocupa determinados cargos impõe-se a obrigação de um mínimo de decoro, sobretudo no que declara ou posta, já que para pessoas do alto escalão da vida pública uma simples declaração torna-se, não raro, um ato de trabalho, um posicionamento do órgão que ocupa ou representa. 

O vídeo postado pelo Presidente em sua conta nos faz duvidar da saúde psíquica do mandatário, já que o despreparo é indiscutível. Depois de incentivar a violência verbal e física durante toda a campanha, com gestos alusivos a armas e palavras grosseiras, o presidente eleito e empossado parece não conseguir entender que tem agora que governar, e que isso exige equilíbrio, sensatez, continência moral e poder de liderar um grande grupo de trabalho em direção a grandes objetivos, qualidades que talvez ele, simplesmente, não tenha. 

Insisto, pois, na questão da inaptidão psicológica, ou mesmo psiquiátrica, de Bolsonaro para ocupar o cargo em que se encontra, e onde seguidamente dá demonstrações constrangedoras, que começaram com a incômoda presença de um dos filhos sentado ao fundo do carro durante a cerimônia de posse, seguiram-se com sua deprimente atuação no Fórum de Davos, onde discursou sem nada dizer e depois foi almoçar sozinho em um bandejão; e continua, com inúmeros e constantes exemplos, sendo o último deles a postagem inadequada, desrespeitosa, descabida que seu instinto de defesa o levou a fazer, e que serve como atestado público de seu descontrole. 

Por fim, fico pensando em como tudo isto repercute junto ao mundo civilizado e às democracias, junto aos demais países, junto a instituições sérias como a ONU, a OEA, a OMC, junto às Universidades e Institutos que, pela sua tradição e contribuição, são indispensáveis à convivência democrática e institucional. Fico pensando se o mundo não nos vê como um bando de loucos governados por alguém que expressa isto com exatidão e fidelidade. E me pergunto: Que dia isto vai acabar?

Julio Cezar de Oliveira Gomes é graduado em História e em Direito pela UESC – Universidade Estadual de Santa Cruz.


Minitrio do Dilazenze foi barrado na Soares Lopes; PM diz que bloco desrespeitou horário

Foto: Clodoaldo Ribeiro.

No último domingo, 3, por volta das 21h45min., a Polícia Militar impediu que o minitrio do Grupo Cultural Dilazenze prosseguisse com o bloco pela Avenida Soares Lopes.

A ação da PM rendeu reclamações e vaias, pois o Dilazenze agradava o público com um desfile de carnaval organizado e digno das tradições da cultura afro-brasileira. Mãe Ilza Mukalê, 85 anos, sacerdotisa e referência principal do grupo, estava no minitrio. Leitores do BG disseram que “a polícia calou a voz do bloco”.

Contudo, segundo informações do major Robson e do capitão Lima Junior, comandantes da 68º CIPM, o bloco não cumpriu acordo estabelecido entre a Prefeitura de Ilhéus, Ministério Público da Bahia e as entidades carnavalescas. Ficou previsto que os desfiles aconteceriam das 15 às 22 horas com total apoio da PM na segurança.

Segundo os oficiais, o comando da corporação não autorizou o pagamento de horas extras para os soldados que trabalharam em Ilhéus, por isso, o horário limite foi avisado com antecedência. O efetivo pequeno, situação comum no interior da Bahia durante o carnaval, também limitou o trabalho.

De acordo com o capitão Lima Júnior, em respeito ao desfile cultural do Dilazenze foi permitido que o grupo concluísse o roteiro com os instrumentos de percussão e todas as alas, mas sem o equipamento de som. Diretores do bloco admitiram que atrasaram o cortejo devido a problemas internos de organização.

No vídeo abaixo, um integrante do Dilazenze reconhece a compreensão da PM ao deixar o bloco concluir o desfile.


Carnaval em Ilhéus, um olhar antenado

Por Julio Gomes.

Nesta Ilhéus sem programação oficial de Carnaval, a folia do Rei Momo resiste! Bloco das Muquiranas e do Zé Pereira no Pontal, entre outros. Blocos no bairro Teotônio Vilela. Grito de Carnaval na praça da Urbis e Bloco no Eixo Principal do Bairro Hernani Sá. O povo da cidade brinca com pode, porque isso vem de dentro de nós, de nossa cultura, de nossa identidade mais intrínseca e subjetiva: não há Bahia sem Carnaval!

Há anos acompanho, como partícipe e, às vezes, como protagonista, a evolução do Carnaval em nossa cidade. Lembro, em Ilhéus, das Escolas de Samba, dos primeiros Blocos Afros, do inesquecível Trio Elétrico Iemanjá, presença obrigatória em todas as festas, seja no Carnaval, disputando espaço com trios vindos da Capital, seja nos comícios (a legislação da época permitia o uso de atrações artísticas) e em todas, todas as festas públicas ilheenses.

Já tivemos aqui, tempos atrás, grandes carnavais com atrações de peso vindas de Salvador, pagas pelo Poder Público; ou nos momentos em que blocos mais chiques, como o Sfrega, marcaram época. Recordo e analiso tudo isso, com olhos de um cidadão-folião de 53 anos de idade, o que se passou e se passa em nossa cidade.

Não com crítica ácida, nem com objetivos eleitoreiros, mas com amor e desejo de ver Ilhéus crescer, afirmo sem medo que é simplesmente inadmissível que Ilhéus não tenha uma programação oficial de Carnaval, que não possua uma agenda carnavalesca ampla, eficaz, organizada pelo Poder Público e divulgada com anos de antecedência para fortalecer nossa economia, nosso turismo e nossa identidade cultural diante do Brasil.

Claro que não cabe mais gastar milhões de dinheiro público para contratar grandes artistas, quando tudo que é público no Município de Ilhéus padece e mingua, quando se alega não poder pagar nem mesmo os salários dos servidores municipais. Não é isso que o povo e a sociedade querem.

Mas gestões municipais anteriores, inclusive a do ex-prefeito Jabes Ribeiro – com quem não tenho nenhuma afinidade, nem simpatia política – provaram que é possível fazer um bom carnaval gastando pouco, como se fazia com o chamado Carnaval Cultural, com atrações e trios regionais, e com palcos diversos, para atender a gostos diversos.

Itabuna, Vitória da Conquista e outras cidades da Bahia talvez possam ficar sem fazer Carnaval. Mas Salvador, Porto Seguro, Ilhéus e Itacaré, Municípios com forte vocação turística e cultura marcantes, simplesmente não podem se dar a esse luxo. Não fazer carnaval nestes municípios é um verdadeiro crime, contra a economia, contra a Cultura, contra o povo!

Fazendo um contraponto, vale ressaltar, aqui, alguns acertos recentes da atual administração, tais como encerar as festas públicas sempre mais cedo, pois não adianta termos uma festa seguida de velórios em diversas famílias. A violência generalizada que vivemos hoje impõe limites que devem ser observados. Outro acerto foi, neste ano, nada cobrar, nem impedir que ambulantes armassem barracas na Avenida Soares Lopes para ganhar algum trocado. Se o Município quase nada oferece, também nada deve cobrar.

Há, também, equívocos a serem corrigidos de imediato, tais como ausência ou presença insuficiente da Setram (agentes de trânsito) quando da passagem de diversos blocos pelos bairros; e o impedimento, por parte da Polícia Militar e por ordem do Poder Público Municipal, de que o mini trio que no domingo acompanhava o mix de blocos afros entrasse na Avenida Soares Lopes logo após 22:00 horas, coibindo e cerceando abusivamente uma manifestação cultural legítima de nosso povo, ligada às nossas raízes africanas.

Mas o erro mais grave de todos, que vem sendo cometido gestão após gestão, é omitir-se de realizar o carnaval na terra de Gabriela e de Jorge Amado, é não ter uma política pública voltada para isso. É um erro estratégico, fatal, em um município com vocação turística, que deveria, no primeiro ano de governo de cada prefeito, divulgar a programação de carnaval dos próximos quatro anos para todos os órgãos públicos e privados voltados para o turismo, no Brasil inteiro.

Por fim, não pense que esta mensagem seja para o atual Governo Municipal, que só terá mais um carnaval à sua frente. Afirmo isso principalmente para quem vier a governar Ilhéus nos próximos anos, seja lá quem for, de que partido for. Chega de jogar oportunidades na lata de lixo.

Julio Cezar de Oliveira Gomes é graduado em História e em Direito pela UESC – Universidade Estadual de Santa Cruz.