O Conselho Federal de Medicina (CFM) liberou  a realização de cirurgias para mudança de sexo indicada para transsexuais femininas. O procedimento – que consiste na retirada de útero, mama e ovários – era considerado experimental para essa finalidade. Agora, ele deixa de ter essa classificação, abrindo caminho para que possa ser feito tanto em serviços públicos quanto particulares.

O tratamento de neofaloplastia (construção do pênis), no entanto, continua sendo experimental, por conta da falta de comprovação de sua eficácia estética e funcional.

A resolução condiciona a intervenção cirúrgica a uma análise feita por uma comissão composta por médicos, assistentes sociais e psicólogos. De modo semelhante ao realizado  na mudança de sexo masculina. São dois anos de acompanhamento para verificar as condições do paciente e idade mínima de 21 anos.

Sempre considerei isso impossível, mas com a evolução das técnicas,  vêm os milagres da ciência. No homem, teoricamente livrar-se da genitália indesejada era mais fácil, já a mulher tinha que cortar e mexer com tanta coisa que vixe, é minhó calá. E agora, falando sério, o procedimento é possível e legalizado no Brasil. Vitória para as mulheres, para as que assim não mais desejarem parecer.