Fred Oliveira, Diala Magalhães, Mário Augusto e Ana Rita dos Anjos. Imagens: Thiago Dias/Blog do Gusmão.

Segundo as entidades, Fred Oliveira, Diala Silva, Mário Augusto e Ana Rita dos Anjos foram beneficiados na seleção pública. Imagens: Thiago Dias/Blog do Gusmão.

Em primeira mão.

No dia 13 de outubro de 2014, entidades civis denunciaram a mesa diretora do Conselho Municipal de Saúde, de Ilhéus, ao Ministério Público Estadual. Conforme a denúncia, a direção do conselho “está diretamente comprometida” com o governo Jabes Ribeiro.

Trechos da denúncia (amplie para visualizar).

Trechos da denúncia.

A acusação partiu da Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI), Associação dos Moradores do Bairro Teotônio Vilela, União dos Negros (UNEGRO), Cáritas Diocesana, Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal (SINTESEF-BA) e ARCROECTIL (associação de pacientes renais crônicos e transplantados).

Segundo a denúncia, o presidente do conselho, Fred Oliveira, e o vice, Mário Augusto, não tem autonomia em relação ao governo Jabes Ribeiro, porque suas esposas foram aprovadas na seleção simplificada da Secretaria Municipal de Saúde, realizada entre dezembro de 2013 e janeiro de 2014.

Fred e a convocação da sua esposa, Adriana Cordeiro Almeida.

Fred e a convocação da sua esposa, Adriana Cordeiro Almeida.

Adriana Cordeiro Almeida, esposa do presidente, Ana Rita Lago dos Anjos, tesoureira do conselho e companheira de Mário, e Diala Silva de Magalhães, secretária da mesa diretora, também foram selecionadas.

Rita é esposa do vice-presidente e foi selecionada.

Rita é tesoureira do conselho e esposa do vice-presidente. Também foi selecionada.

Ainda de acordo com a denúncia, o presidente e a conselheira Diala “utilizam o veículo do conselho em dias, locais e horários que não tem nenhuma relação com o controle social do SUS”.

Diala, secretária do conselho, também foi selecionada.

Diala, secretária do conselho, também foi selecionada.

Conforme as entidades, enquanto falta eficiência para abastecer as farmácias públicas, a Secretaria de Saúde compra “vários medicamentos para a conselheira Diala, sem ação judicial ou licitação”. Segundo a denúncia, ela também utiliza recursos públicos para participar de eventos que não são de interesse do controle social ou do “bem-estar da saúde local”.

O documento enviado ao promotor Pedro Nogueira pede a abertura de inquérito e a responsabilização dos conselheiros envolvidos.

As convocações publicadas pela Secretaria de Saúde estão aqui e aqui. A denúncia está dividida em dois arquivos: 1 e 2

O outro lado

Conversamos por telefone com Fred Oliveira e Diala Silva. Eles preferiram responder pessoalmente. A conselheira ficou irritada, chamou os autores da denúncia de “politiqueiros” e prometeu processá-los. Diala afirmou que tem 32 anos de experiência na saúde pública e, por isso, foi selecionada.

Fred corrigiu os autores da denúncia: Adriana Cordeiro não é sua esposa, e sim, noiva.

Pedimos os telefones de Mário Augusto e Ana Rita. Diala nos explicou que não tem autorização para informar os números. Fred entrou em contado com o casal, que também prefere responder a denúncia pessoalmente.