Alexandre Aleluia e ACM Neto.

Alexandre Aleluia e ACM Neto.

Por Thiago Dias

A versão soteropolitana do projeto “Escola Sem Partido” é do vereador Alexandre Aleluia (DEM). A Câmara de Vereadores de Salvador aprovou a indicação dele para que a rede municipal de ensino ganhe cartazes instrutivos. Os informes devem incluir esclarecimentos sobre “os deveres dos professores”.

“É uma proposta que defende o resgate da família na formação educacional dos estudantes; o pluralismo de ideias e o foco na transmissão de conhecimentos nas escolas da rede municipal. O projeto combate a doutrinação ideológica e partidária praticada atualmente nas salas de aula”, explica o autor.

Como se sabe, o prefeito ACM Neto (DEM) pode acatar ou não a proposta. Eventual dúvida talvez o lance numa conta eleitoreira.

Disfarçado de apolítico, como se fosse possível produzir discursos sem aspectos ideológicos, o projeto flerta com a censura e o policiamento do professor. Não à toa é exaltado entre os setores mais reacionários da sociedade.

Por questões históricas, com ou sem “Escola sem Partido”, na Bahia esse estrato do eleitorado se agrupará em torno de ACM Neto, caso se confirme a expectativa por sua candidatura a governador. O desafio da conta eleitoral é conhecer a dimensão representativa desse grupo.

Por outro lado, se deseja o diálogo com eleitores de espectros mais amplos, ACM Neto deve se manter longe da tentação autoritária da Escola Sem Partido. Num episódio recente, quando criticou a censura do Conselho do Carnaval contra a Baiana System, o prefeito agiu em sintonia com a visão liberal.

Thiago Dias é repórter do Blog do Gusmão.