Raimundo Borges.

Raimundo Borges.

A 1ª Vara Crime de Ilhéus acolheu ontem denúncia do Ministério Público do Estado da Bahia contra o presidente do Colo-Colo, Raimundo Borges.

Segundo os promotores responsáveis pela Operação Citrus, quando atuou na Secretaria de Desenvolvimento Social de Ilhéus, entre 2013 e 2016, ele teria participado do esquema de fraude a licitações.

Nesse período, Raimundo Borges foi o gestor do Fundo Municipal de Assistência Social e do Fundo do Conselho Municipal da Criança e Adolescente.

“Após a deflagração da Operação Citrus, afirma o Ministério Público que descobriu-se o envolvimento de Raimundo Borges, indicado pelo Partido Progressista – PP para trabalhar juntamente com Jamil e Kácio na Secretaria de Assistência Social”, relata a juíza Emanuele Vita Leite Armede, titular da 1ª Vara Crime de Ilhéus.

O trecho acima está na decisão dessa quinta-feira (30), quando a magistrada aceitou a denúncia do MP contra oito acusados pela Operação Citrus, incluindo Borges.

É importante lembrar que Raimundo Borges e os outros acusados não foram alvo de condenação. Ao final do processo em que agora são réus, poderão ser inocentados ou não pela Justiça.

Trecho da decisão dessa quinta-feira (30).

Trecho da decisão dessa quinta-feira (30).

O Blog do Gusmão não conseguiu manter contato com o presidente do Colo-Colo. Este espaço está aberto caso ele queira se manifestar sobre a acusação do Ministério Público.