Carlos Alberto e o gavião que ele salvou. Imagens: Secom-Ilhéus.

Carlos Alberto e o gavião que ele salvou. Imagens: Secom-Ilhéus.

Carlos Alberto não hesitou em agir quando viu um gavião cambaleante na Praia do Marciano, no bairro do Malhado, em Ilhéus. Pessoas que passaram no local haviam apedrejado a ave. O cabaneiro chegou a tempo de impedir o pior. Pegou o bicho e o levou para o seu estabelecimento, a cabana Canto do Mar, localizada na mesma praia.

O resgate aconteceu na manhã do último sábado (17). Carlos improvisou uma gaiola e procurou a Superintendência de Meio Ambiente, órgão da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável de Ilhéus (SEPLANDES). No domingo (18), os servidores João Pessoa e Murilo Alves levaram a ave de rapina para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS), serviço mantido pelo Ibama em Porto Seguro.

Graças ao heroísmo de Carlos Alberto, essa foi a primeira vez que a Prefeitura de Ilhéus encaminhou um animal para o CETAS. No centro, o predador dos céus recebe os cuidados de biólogos e veterinários. Eles vão acompanhar a sua recuperação e decidir quando voltará à natureza.

O cabaneiro acredita que a sua missão ainda não acabou. Segundo ele, outro gavião tem sobrevoado a cabana Canto do Mar. Talvez seja a parceira ou o parceiro da ave resgatada. Por isso, fez um pedido. Depois do tratamento, quer que o animal volte a Ilhéus e seja solto na Praia do Marciano, para reencontrar a (o) companheira (o). Carlos Alberto está disposto a ir com o próprio carro a Porto Seguro para buscar o novo amigo.