caixa-economica-federalNa última quinta-feira (13), o presidente Michel Temer (PMDB) sancionou a reforma trabalhista. As novas regras vão estimular demissões, apontam especialistas, para que novos contratos de trabalho sejam estabelecidos com base nas mudanças.

A análise dos especialistas parece certeira. Entre quinta e domingo, duas das maiores instituições financeiras do país anunciaram planos de demissão voluntária.

O Bradesco puxou a fila no mesmo dia da canetada de Michel Temer. Nesse domingo (16) foi a vez da Caixa Econômica Federal, que anunciou a reabertura extraordinária do programa de desligamento encerrado em março. O banco público espera que cinco mil e quinhentos participem do plano. Os funcionários interessados na demissão voluntária têm até 14 de agosto para se manifestar.