Professor espera desfecho de processos contra adversários do PT para avaliar imparcialidade do judiciário.

Professor espera desfecho de processos contra rivais do PT para avaliar imparcialidade da Justiça.

O professor de comunicação da UFBA, Wilson Gomes, afirma que é cedo para dizer “que ninguém está acima da lei” no Brasil. O mesmo vale para o otimismo que vê em curso “o amadurecimento das instituições democráticas”.

O pesquisador das relações entre comunicação e política menciona a decisão do caso do triplex, em que o juiz federal Sérgio Moro condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Segundo Gomes, “para que a condenação de Lula signifique/significasse “que ninguém está acima da lei’ e “o amadurecimento das instituições democráticas”, como declararam Marina Silva, ACM Neto e mais duas dezenas de isentos intérpretes dos fatos do mundo, precisaríamos ver condenados Aécio, Temer, Jucá e mais uma dúzia de cabeças coroadas da República. Enquanto isso não acontece, se é que vai acontecer, a condenação de Lula pode significar muitas coisas diferentes disto, inclusive o que alegam os lulistas e do que desconfiam muitos não partidários: seletividade, parcialidade, perseguição, antipetismo”.

“Seguramente”, continua o professor da UFBA, “a coincidência temporal entre Lula condenado e Michel Miguel comprando, com o nosso dinheiro, o privilégio de sequer ser julgado pelo STF, não beneficia muito a lição de moral sobre a Lei que alcança todos do lúgubre Dr. Moro. Nem o fato de toda a peça acusatória contra Miguel Miguel ter vindo de Rodrigo Janot e não dos Intocáveis de Curitiba, concentradíssimos em Lula, beneficia muito a tese de que não temos acusados de estimação. Nem vou comentar o conluio PMDB-PSDB que salvou Aécio na Comissão de Ética & Decoro, nem os votos e outras bizarras decisões do bizarro juiz do TSE e do STF cujo nome não pode ser pronunciado”.

Por outro lado, o professor diz que não mantém a mesma convicção dos que acreditam piamente na defesa de Lula.

“Também não tenho as certezas da inocência de Lula que tantos dos meus amigos exibem. Considero muito quem as tem, não sei como as conseguiram, mas de onde eu poderia recolher certezas com este alcance? Cético por instinto, tendo a retardar o meu julgamento sobre paradinhas deste tipo. Aparentemente, preciso de mais tempo do que a maioria das pessoas para formar um juízo sobre Lula e o Esquema Petrobrás e Construtoras. Por enquanto, o sentimento (e o pressentimento) não é bom, mas sigo prestando atenção. E desconfiando dos que que até já ultrapassaram a fase da certeza e estão agora na fase da indignação e da tomada de providências”, concluiu Wilson Gomes, em comentário publicado no Facebook.