Raimundo Borges. Imagem: O Sarrafo.

Raimundo Borges. Imagem: O Sarrafo.

Nessa semana a Rádio Sociedade da Bahia divulgou gravação de trecho de uma conversa entre a empresária Kathllen Ribeiro e o presidente do Colo-Colo, Raimundo Borges – ouça aqui.

Hoje (10), Borges publicou uma nota de esclarecimento. Segundo ele, a empresária agiu “malandramente” ao gravar a conversa.

O presidente disparou contra a empresa representada por Kathllen, a CVL Alpha Sports, que fez uma parceria com o Colo-Colo.

Segundo Raimundo Borges, a empresa se comprometeu a pagar dívidas trabalhistas do clube que somam quatrocentos mil reais. Tudo não passou de promessa. Leia a íntegra.

NOTA

“Diante do material ilegalmente e malandramente gravado por pessoa de conduta não ilibada e de má-fé e, encaminhado para divulgação na Rádio Sociedade da Bahia no último dia 08/08, apresento aos desportistas, em especial do município de Ilhéus, a realidade dos fatos, narrando de forma clara e objetiva todo o episódio. Lamentavelmente ainda existem pessoas não confiáveis no mundo dos negócios. E, por certo, não permitirei jamais macular a minha imagem e muito menos o Clube Colo Colo. O tigrão hoje é um patrimônio dos torcedores da cidade de Ilhéus e defenderei sempre.

Preliminarmente

Numa conversa corriqueira, comum, como sempre acontecia com a representante da empresa gestora da época, CVL ALPHA SPORTS, Srta. Kathllen (sic) Ribeiro, sempre tratando de interesse do time, esta pessoa vinha maldosamente gravando tudo o que se conversava, numa tentativa posterior de tentar, quiçá, de nos chantagear posteriormente. Como tenta fazer, distribuindo áudios para a imprensa e interesseiros no fracasso do Tigrão. Não há o que temer, não há o que discutir diante de uma ação maldosa e insana de uma pessoa incapaz, incompetente e ‘esperta’. Se este tipo de ação for para nos intimidar quanto a ação judicial que estamos movendo contra a CVL e a própria Kathllen por quebra de contrato, danos morais e materiais, será mantida para que ambos, pessoa jurídica e fisica, se responsabilizem pela molecagem que fizeram com o Colo Colo. Todos responderão diante da lei. Inclusive pela divulgação deste áudio de forma ilícita numa conversa privada. Como dito, não há o que temer, pois justamente nesta conversa os funcionários do clube estavam presentes na sala e testemunharam toda a intenção da parlapatona.

Dos fatos da conversa

Todas as minhas conversas sempre foram abertas diante dos funcionários sem nenhum tipo de subterfúgio. Aliás, o funcionário mais antigo do Clube, Sr. Flávio Medrado, um abnegado pelo time sabe da nossa seriedade e compromisso, e que também foi lesado pela Alpha. Na conversa que aparece no áudio é visível a insistência da Srta. Kathllen pela palavra ‘caixinha’. Em nenhum momento me refiro a ‘minha caixinha’, falo da insolvência do Clube e da necessidade de capital para manter em caixa subsídio para as despesas de manutenção do Clube. Algo natural e acordado. Mas, que infelizmente nunca foi cumprido.

Todos os poucos repasses entregues pela empresa ao Clube foram contabilizados legalmente, inclusive entradas de doações de pessoas que não queriam que seus nomes aparecessem.

A Alpha prometeu mundos e fundos, e infelizmente quase nada foi cumprido. Continuamos com um débito trabalhista acima de R$ 400 mil que era um compromisso do grupo. Furaram. A Alpha deixou débitos na praça, deixou débitos na pousada e até mesmo débitos com a cozinheira, que terminou agitando uma ação. São coisas desta natureza que os desportista e a imprensa precisam saber. Hoje a imagem da empresa é de Caloteira. O momento é de revez, mas nunca deixei de enfrentar os problemas e os problemáticos. Venho muitas das vezes sofrendo ataques, notadamente por aquelas pessoas que não buscam se informar, mas, que adoram ver o circo pegar fogo, e que nada somam.

Sempre estive a disposição da imprensa, sempre contei com o apoio das pessoas que acreditam no meu trabalho e da minha diretoria. Temos o respaldo do Conselho Deliberativo e a aprovação das nossas contas pelo Conselho Fiscal.

Estou tranquilo e tocarei o Clube até o último dia do meu mandato, sempre lutando e dando publicidade aos nossos atos coletivos de diretoria, buscando novos parceiros, trabalhando forte e projetando o tigrão para a 1ª divisão de 2019.

Mais ainda, continuamos com todos os nossos balancetes mensais e balanço anual a disposição dos desportista e imprensa, dando total transparência.

Tem uma frase de Charles Chaplin que diz: “A persistência é o caminho do êxito”. Portanto, continuarei na retidão, correto e coerente com os meus ideais. Sem maldade, sem vaidade e com um único objetivo: Lutar pelo Tigrão.

Agradeço todo o apoio dos amigos pela solidariedade, dos presidentes de clubes que tem nos ligado, da imprensa local e a Rádio Sociedade da Bahia, em nome do amigo Fabrício Cunha, pela disposição e espaço concedido no dia de ontem, 09/08, no direito de resposta ao áudio irresponsável e calunioso. Portanto, tudo esclarecido!

Sala administrativa do Colo Colo – Ilhéus-Ba, 10 de agosto de 2017

Raimundo Borges
Presidente”