Deputado federal Jair Bolsonaro.

Um amigo do Blog do Gusmão, eleitor de Ilhéus, apostou uma garrafa de whisky na vitória do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) na corrida presidencial deste ano. Mais que isso. Conforme a sua aposta, Bolsonaro vai vencer no primeiro turno, “com ou sem” o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT)entre os adversários.

O apostador está confiante. Segundo ele, em Ilhéus, sete em cada dez pessoas com quem conversa sobre as eleições prometem que votarão no deputado. De acordo com as suas estimativas, na atual conjuntura política, parte significativa do eleitorado de cidades como Salvador revela a mesma tendência.

O eleitor citado (é bom que se diga) tem longa experiência na análise política. Para explicar a sua confiança, arrancou uma comparação com a culinária. Segundo o nosso amigo, a imprensa tem batido muito em Bolsonaro, mas, ele “está igual à massa de bolo: quanto mais bate, mais cresce”.

Coordenador de pesquisas sobre comunicação e política na Universidade Federal da Bahia (UFBA), o professor Wilson Gomes avalia que a notícia sobre o patrimônio de quinze milhões de reais da família Bolsonaro dificilmente seria capaz de afastar eleitores. “Cá entre nós, se a pessoa não se incomoda por Bolsonaro ser misógino, homofóbico, contra Direitos Humanos, a favor da tortura, contra a Democracia, grosseiro, ignorante e bruto, por que diabos mudaria o voto apenas por ele não conseguir explicar a origem do próprio patrimônio?”, escreveu o pesquisador no Facebook.

UMA CAMISA E TRÊS PALAVRAS

No mês passado, num corredor da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), o Blog do Gusmão viu um estudante com uma camisa que trazia a seguinte palavra escrita na altura do busto: “Bolsonarista”. Confrontado com a cena que reportamos, o sociólogo Ib Oliveira reagiu com três palavras: “Isso é democracia”.