Ilustração do projeto Porto Sul/Governo da Bahia.

Nessa quinta-feira (15), em Salvador, o Fórum Social Mundial emitiu moção direcionada ao ministro do Meio Ambiente José Sarney Filho. O documento solicita que o Ministério do Meio Ambiente exija do Ibama a suspensão e a revisão do licenciamento ambiental do Complexo Porto Sul.

O documento faz considerações sobre os impactos ambientais e sociais previstos para a região, como a destruição de mananciais, a supressão vegetal, o afugentamento de animais e a influência negativa sobre a atividade pesqueira de comunidades de Ilhéus, Serra Grande (Uruçuca) e Itacaré.

Também destaca o risco da ampliação dos problemas socioeconômicos com as obras do porto,  devido ao estímulo de migração previsto para Ilhéus, sem o investimento correspondente em serviços públicos.

As particularidades e a riqueza ambiental da área afetada também são tema da moção. Conforme o texto, a região “possui extraordinária biodiversidade da Mata Atlântica, compondo um sistema de áreas protegidas que justificou o desenho de um Corredor Ecológico prioritário no Corredor Central da Mata Atlântica, fazendo parte da Área de Proteção Ambiental da Lagoa Encantada, e que esta  não define no seu zoneamento Ecológico Econômico nem em suas diretrizes de fundação e ampliação a existência de um ambiente portuário como se pretende com a Ferrovia Oeste Leste conectada ao Porto Sul”.

Para embasar os pedidos, o fórum cita ainda o descumprimento de condicionantes da licença prévia do empreendimento. Acesse o documento.