DPT de Ilhéus.

A informação é do vice-presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (SINDPOC), Eustácio Lopes, que conversou por telefone com o Blog do Gusmão na manhã de hoje (26).

Eustácio explicou ao blog que no fim da tarde da última quinta (23), duas das três geladeiras do necrotério do Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Ilhéus pararam de funcionar, por defeito nos compressores.

Conforme o diretor sindical, quatro corpos sem identificação que estavam nas geladeiras quebradas apodreceram. Ainda de acordo com Lopes, isso gerou um mau cheiro muito forte no departamento, que fica no Centro de Ilhéus, ao lado do Mercado de Artesanato. Ele conta que a presença no ambiente se tornou insuportável para os servidores do DPT.

Eustácio informa que os corpos foram removidos no domingo (25), e as geladeiras, lavadas. Segundo o diretor sindical, devido à circunstância extraordinária, o DPT enterrou os cadáveres antes do prazo de seis meses para o sepultamento de pessoas não identificadas.

De acordo com o vice-presidente do SINDPOC, o necrotério do DPT funciona com apenas uma geladeira. O governo estadual tem um técnico para atender aos departamentos da Bahia. Nesse momento, esse profissional está no município de Castro Alves. Acionado pela equipe de Ilhéus, estimou que só chegará na cidade em dez dias. 

Segundo Lopes, o projeto original do DPT de Ilhéus previa o uso de uma câmara refrigerada, no entanto, o governo estadual optou por usar as geladeiras, tecnologia mais barata.

Atualizado às 13h28min desta terça-feira (27).

Às 12h46 de hoje, o DPT enviou resposta para a matéria acima ao blog. Leia aqui.