Apesar da pulverização inicial, forças opositoras ao governo Rui Costa tendem a se rearticular.

Na última sexta-feira (6), o prefeito ACM Neto (DEM) anunciou que não deixará o comando da capital baiana para disputar o governo estadual. O democrata aglutinava os grupos de oposição ao governador Rui Costa (PT). Sem ele, as forças opositoras entraram pulverizadas no início da corrida eleitoral deste ano.

Cada um dos três maiores partidos da oposição lançou pré-candidato ao governo da Bahia. O MDB apresentou o nome do ex-ministro João Santana. O PSDB apostou no deputado federal João Gualberto, e o DEM, em José Ronaldo, que renunciou ao mandato de prefeito de Feira de Santana para ocupar o vácuo deixado por ACM Neto.

Caso esse cenário se mantenha com o registro oficial das candidaturas – o que parece improvável -, o governador Rui Costa pode disputar a reeleição numa conjuntura muito favorável à manutenção da hegemonia petista na política baiana.