prefeitura de ilheus


julho 2015
D S T Q Q S S
« jun    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

:: ‘Newton Lima’

ALISSON E A RETÓRICA DO ESQUECIMENTO

Foto: Jozé Nazal/Catucadas.

Foto: Jozé Nazal/Catucadas.

Thiago Dias e Emílio Gusmão.

Por Emílio Gusmão

Recém-aprovado no exame da Ordem dos Advogados do Brasil, o vereador Alisson Mendonça (PT) já iniciou a prática de buscar o convencimento usando discursos alheios à razão. 

Na última terça-feira (03), Alisson usou a memória seletiva para afirmar que o governo Jabes Ribeiro é “o pior de todos os tempos”. Corajoso e inteligente, disse que no tempo do ex-prefeito Newton Lima, “o município era outro”.

Reconhecemos a inteligência do vereador, mas, discordamos.

A gestão atual é realmente muito ruim. Não há planejamento, o governo vive de improvisos e peca na austeridade, haja vista a farra de diárias pagas ao próprio alcaide e assessores diretos. Já que o prefeito não cansa de repetir: “o município está em crise”, não se justifica contratar shows caros e terceirizar serviços (mediante contratos duvidosos) que podem ser executados pela força de trabalho da prefeitura.

Não podemos esquecer dos servidores municipais, escolhidos como inimigos e intimidados pelo Prefeito Jabes Ribeiro, que diante de qualquer dificuldade contábil ameaça promover demissões em massa. O aumento escorchante do IPTU também não faz sentido, pois não há perspectiva de melhoria na qualidade dos serviços públicos.

Entretanto, ao fazer comparações, Alisson não deve esquecer as séries históricas. Jabes tem dois anos de governo ruim. Newton destruiu a cidade em quase 6. Sendo assim, por enquanto o paradoxo é descabido.

Newton Lima vai responder 137 ações movidas pelo Ministério Público Estadual, dois indiciamentos por formação de quadrilha na Polícia Federal, 6 contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios, 1 conta rejeitada pela Câmara de Vereadores (e outra à espera de apreciação) e dezenas de ações movidas pelo Ministério Público Federal. No governo passado, ocorreram denúncias sobre desvios de recursos na secretaria de educação (Projeto Semear), investigadas pelo MPF e encaminhadas à justiça federal em maio de 2014.

O histórico do governo passado dá a entender que houve pilhagem dos cofres públicos. O de Jabes necessita de tempo para ser avaliado no todo. Com influência política (ou não) junto ao Tribunal de Contas dos Municípios, o prefeito conseguiu aprovar as contas de 2013 (não se trata de um elogio, e sim, de uma constatação). Talvez fosse melhor comparar a gestão de Newton com os mandatos anteriores de Jabes (1997 a 2004), que renderam ao atual gestor 37 ações movidas pelo MPE. Mesmo assim, o ex-prefeito que assinou ficha de filiação ao PT sai perdendo.

Por fim, Alisson cita investimentos da iniciativa privada no período Newton Lima (setembro de 2007 a dezembro de 2012).

Vale lembrar que é impossível falar de economia sem levar em consideração a conjuntura do país, imersa na lógica do capitalismo mundial. Entre 2007 e 2012, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil cresceu em média 3,8% ao ano. O consumo aquecido impulsionou atacado e varejo, justamente os setores das redes que se instalaram no eixo Ilhéus-Itabuna (Makro, Atacadão, Maxxi e G Barbosa). O crescimento expandiu o mercado imobiliário, com os bancos públicos aumentando suas linhas de crédito e financiamento. Apesar do momento positivo, os indicadores sociais de Ilhéus apresentaram índices baixos, prova de que as políticas públicas tocadas pelo município falharam, apesar do crescimento econômico.

Agora vivemos período de retração no PIB, com diminuição do crédito e dos investimentos. O discurso de Alisson não considerou o panorama atual. Baseou-se na oposição pura e simples.

Como exercício de retórica, o pronunciamento do vereador é válido, pois inteligentemente “defende o indefensável” com argumentos frágeis e eloquência singular. Talvez seja um mecanismo de autodefesa, uma vez que até hoje ele não conseguiu justificar porque, em 2010, deixou a oposição para compor o secretariado de Newton Lima.

Em março de 2010, Alisson pediu a cassação de Newton, meses depois assumiu a secretaria de planejamento. Sua capacidade de argumentação preferiu esquecer essa mudança.

Emílio Gusmão é comunicólogo e editor deste blog.

MARIDO DE CARMELITA EXIGIU TRÊS SECRETARIAS DO GOVERNO JABES

Edinei Mendonça teve encontro "quase" secreto com emissário de Jabes Ribeiro na Península de Maraú. Imagem da Ilha da Pedra Furada.

Edinei Mendonça, marido de Carmelita, teve encontro “quase” secreto com emissário de Jabes Ribeiro na Península de Maraú. Imagem da Ilha da Pedra Furada.

No final de dezembro de 2014, Edinei Mendonça, marido e articulador político da Professora Carmelita (PT), recebeu um emissário do Prefeito Jabes Ribeiro (PP) durante um passeio de barco na Península de Maraú. O encontro discutiu as eleições de 2016. Jabes tem interesse em fazer aliança com o Partido dos Trabalhadores.

Segunda as nossas fontes (nenhuma ligada ao prefeito), Edinei mais uma vez foi pragmático, alheio a qualquer discurso ideológico ou projeto voltado a Ilhéus.

Disse que o governo está mal avaliado, com poucas chances de permanecer no poder. Para embarcar de peito aberto no “barco jabista” exigiu as secretarias de saúde, educação e serviços públicos. 

As três pastas deveriam ser entregues com autonomia orçamentária e dispostas a serem preenchidas totalmente por militantes do PT (pediu muito para não ser atendido).

Experiente, Edinei lembrou o governo Newton Lima, cujo homem forte Jorge Bahia não deixou as secretarias ocupadas pelo PT e aliados à vontade.

O emissário de Jabes levou o recado. Até agora não houve resposta e provavelmente não haverá.

CONDENADO PELA JUSTIÇA, ABANDONADO POR JORGE BAHIA

O martelo da justiça e a indiferença.

O martelo da justiça e a indiferença.

Empresário conhecido em todo o estado afirma que Jorge Bahia abandonou o ex-prefeito de Ilhéus, Newton Lima. A fonte teve forte relação com o governo passado, venceu licitações e tem amizade antiga com o ex-gestor.

O mesmo afirma que Newton e Bahia fizeram uma poupança para pagar advogados (a origem do dinheiro não foi explicada). A dupla sabia dos muitos problemas que teriam pela frente com dezenas de processos no judiciário.

Outra fonte (dessa vez um advogado) que prestou serviços ao ex-prefeito, contou que Jorge Bahia sequer atende as ligações do homem que lhe entregou o poder com prerrogativas nunca constatadas na história da cidade.

Segundo o Blog de Ilhéus, “a juíza Sandra Magali Brito Silva Mendonça, da 1ª Vara da Infância e da Juventude, cassou os direitos políticos e aplicou multa de 300 mil reais ao ex-prefeito Newton Lima. A decisão atende pedido do Ministério Público da Bahia e foi tomada após o então prefeito descumprir determinação para aumentar a oferta de vagas na rede municipal de ensino.

Segundo a decisão, Newton e a ex-secretária de educação da cidade, Lidiney Campos firmaram acordo com o MP para aumentar a oferta de vagas na rede municipal, por meio da construção de oito escolas e creches. Mesmo havendo verbas de cerca de 5 milhões de reais em caixa, frisa a decisão, a dupla não executou as obras, mantendo o número de vagas na rede insuficiente à demanda.

O pedido do MP em relação à ex-secretária foi negado e ela foi excluída do processo. Para o ex-prefeito, que deixou o comando da cidade em 2012 com rejeição popular recorde, a juíza, além da multa e da suspensão dos diretos políticos, o proibiu de contratar com o poder público. Contra a decisão de primeiro grau, ainda cabe recurso”.

Newton Lima já iniciou seu martírio pelo judiciário, à merce da sorte e dos advogados. Exímio professor de direito ouvido por este blog afirma que o ex-prefeito responderá processos pelo resto da vida.

São 137 ações movidas pelo Ministério Público Estadual, 6 contas reprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios, 2 indiciamentos por formação de quadrilha em operações da Policia Federal (vassoura-de-bruxa e Pelargós), 1 conta rejeitada pela Câmara de Vereadores (e outra à espera de apreciação) e dezenas de ações movidas pelo Ministério Público Federal.

Enquanto isso, Jorge Bahia toca a sua vida em Ipiaú, numa fazenda comprada por um parente.

KARINA CHERUBINI DEIXOU ILHÉUS DESILUDIDA COM O JUDICIÁRIO

Karina Cherubini: autora da ACP.

Karina Cherubini.

A transferência da combativa e discreta Promotora Karina Gomes Cherubini até hoje não foi devidamente explicada.

Membro do Ministério Publico Estadual, Karina teve atuação destacada no combate à corrupção, antes de deixar Ilhéus em fevereiro de 2014.

Boatos dão conta de que o Prefeito Jabes Ribeiro teria “mexido os pauzinhos” para transferi-la.

Não é verdade. Por força da Constituição Federal,  os promotores são “inamovíveis”, ou seja, nem mesmo o chefe do Ministério Público da Bahia, Marcio Cordeiro Fahel, pode mudá-los de acordo com a sua vontade. As mudanças acontecem por meio de editais, onde os promotores concorrem pela disputa das vagas disponíveis.

Karina Cherubini, hoje em Vitória da Conquista, tentava deixar Ilhéus há muito tempo. Ela e maioria dos promotores sofrem com a desilusão causada pelo judiciário. Muitas ações são registradas, mas, devido à lentidão, ficam paradas nas prateleiras ou computadores dos fóruns. Por outro lado, ao reconhecer a função do Ministério Público, a comunidade cobra cada vez mais.

A promotora apresentou um artigo com muitos questionamentos à morosidade da justiça, no último Congresso Nacional do Ministério Público realizado em Natal-RN (2013). Setores da magistratura não gostaram e a representação dos MPs preferiu recuar.

Tudo isso levou Karina a deixar Ilhéus. Ela moveu várias ações contra ex-prefeitos.  Newton Lima foi alvo de 137,  Jabes Ribeiro 37.

Contra o atual prefeito não há sequer uma decisão.

CASO “CINQUENTINHA”: DELEGADA VAI OUVIR VEREADORES EM ABRIL

Montagem: Blog do Gusmão.

Montagem: Blog do Gusmão.

A polícia civil já iniciou as investigações do caso “cinquentinha”.  

Em março de 2014, o ex-prefeito de Ilhéus, Newton Lima, afirmou no plenário da câmara que o vereador James Kosta (PMN), se dizendo representante dos vereadores Rafael Benevides, Gurita (ambos do PP), Ivo Evangelista (PRB) e Nerival (PC do B), tentou extorqui-lo.

James e os demais teriam exigido R$ 50 mil (cada um) para aprovar as contas de 2011 do ex-prefeito.

Newton Lima foi ouvido pela delegada Andrea Oliveira em novembro do ano passado. Os vereadores Ivo Evangelista e Gurita irão depor no dia 09 de abril. Nerival e James Kosta no dia 19 do mesmo mês.

O vereador Valmir Freitas (PSDD) citado apenas por ter conduzido James Kosta até a residência do ex-prefeito, no Outeiro de São Sebastião (local do suposto crime), também dará depoimento no dia 09 de abril.

HUMOR: CÂMARA DE ILHÉUS LANÇA NOVA CÉDULA DE “CINQUENTINHA”

newton cinquenta

NEWTON LIMA RECEBE VEREADORES EM ENCONTROS MISTERIOSOS. CONTAS DE 2011 SERÃO VOTADAS HOJE

Newton Lima: abandonado e prestes a ficar inelegível.

Newton Lima: abandonado e prestes a ficar inelegível.

As contas de 2011 do ex-prefeito Newton Lima serão votadas hoje, a partir das 16h, na Câmara de Vereadores de Ilhéus.

O parecer do Tribunal de Contas dos Municípios rejeitou de maneira veemente e pediu a interferência do Ministério Público no sentido de apurar as incontáveis irregularidades. O TCM imputou multa de R$ 97 mil e exigiu a devolução de quase 600 mil reais aos cofres públicos.

Apesar da situação desfavorável, Newton Lima decidiu entrar em campo para tentar reverter a tendência de derrota.

O ex-prefeito tem mantido conversas misteriosas com alguns vereadores. O vereador Gilmar Sodré (PMN), voto declarado a favor de Newton, serve de guia.

Fofocas ameaçadoras tentam criar medo nos edis. Newton Lima teria em suas mãos gravações de parlamentares “pidões” requisitando vantagens polpudas em troca do voto. O ex-gestor pretende assistir a sessão de amanhã, acompanhado de um advogado. Caso saia derrotado, Newton estaria disposto a divulgar os arquivos de áudio.

Newton age sozinho. Com uma pilha de processos para se defender, o ex-alcaide está sem grupo e sem assessores. Seu principal homem de confiança durante o governo, Jorge Bahia, procura manter-se bem longe, uma vez que foi indiciado pela Polícia Federal por formação de quadrilha, na operação Pelargós.

JABES CHAMA CARLINHOS FREITAS PARA TRABALHAR

Carlos Freitas:o novo jabista de carteirinha.

Carlos Freitas: o novo jabista de carteirinha.

O governo do prefeito Jabes Ribeiro está cada vez mais parecido com o do antecessor, Newton Lima.

Alcides kruschewsky e Jailson Nascimento, homens fortes da gestão passada, fazem parte do secretariado jabista.

Montanha e Solar Ambiental, empresas comuns na gestão de Jorge Bahia, prestam serviços na supersecretaria de Isaac Albagli.

A cereja do bolo é o ex-secretário de serviços urbanos, Carlinhos Freitas, um dos que mandavam no fraco Newton Lima. Hoje, ele é um empresário de caçambas e retroescavadeiras. 

O “xerifão” atua numa obra do São Miguel. Ele alugou duas máquinas para uma empreiteira que presta serviços à secretaria de desenvolvimento urbano.

Ex-jogador de futebol profissional, ele diz que juntou dinheiro quando jogou no Esporte Clube Vitória, na década de 70.

SEIS ANOS DA CASSAÇÃO DE VALDERICO REIS

Valderico Reis.

Valderico Reis.

Hoje, dia 29 de agosto de 2013, a cassação do ex-prefeito de Ilhéus, Valderico Reis, completa seis anos.

Por 12 X 1, a Câmara de Vereadores presidida por Alisson Mendonça (PT) cassou o então mandatário. O motivo (na verdade a gota d’água) foi o não repasse dos recursos do legislativo (duodécimo). Apenas o então vereador Rodolfo Macedo votou contra.

O Blog do Gusmão foi testemunha ocular. Acompanhamos toda a sessão, encerrada por volta das 2 horas da madrugada. Momentos depois, publicamos um vídeo com o resumo.

Com o passar do tempo, o fato sugere múltiplas interpretações. A cassação de Valderico ascendeu Newton Lima ao topo.

Deixe o seu comentário. A história não para.

EXCLUSIVO! COORDENADOR DO TCM AFIRMA QUE REVISÃO ANUAL É OBRIGATÓRIA, MESMO COM O LIMITE ACIMA DE 54%

tcmNa manhã dessa quarta-feira, o Blog do Gusmão manteve contato com o advogado Antônio Dourado Vasconcelos, chefe da coordenadoria de assistência aos municípios do TCM.

Indagamos se a prefeitura de Ilhéus é obrigada a conceder a revisão anual dos vencimentos dos servidores municipais, mesmo com o limite de gasto com pessoal acima dos 54%.

Antônio Vasconcelos disse que a revisão é obrigatória em qualquer situação, pois está prevista no art. 37, X, da Carta Magna. A resposta vai de encontro ao que disse a procuradoria jurídica do município, em nota divulgada ontem (veja aqui). Segundo a interpretação do procurador Otávio Carmo: “a revisão anual poderia ser concedida caso o percentual das receitas correntes líquidas do município comprometidas com a folha salarial estivesse acima de 51,3% (o limite prudencial), mas abaixo de 54%”.

Entretanto, Antonio Vasconcelos advertiu que a revisão anual, no caso de Ilhéus, pode render prejuízos para muitos servidores, haja vista que a Constituição (art. 169 § 3º) e a Lei de Responsabilidade Fiscal (art. 23) permitirão ao prefeito diminuir vencimentos, carga horária, e até mesmo exonerar servidores não estáveis (admitidos sem concurso público após o dia 5 de outubro de 1983).

O coordenador demonstrou conhecimento sobre as contas da prefeitura. Disse que nos últimos anos, o funcionalismo, sobretudo os professores, recebeu reajustes bem acima da inflação. “Isto só fez agravar o problema”, ressaltou.

Perguntamos ao advogado se o prefeito pode incorporar na despesa com pessoal procedimentos de alta e média complexidade da área de saúde e financiados pelo SUS. Vasconcelos disse sim, pois a saúde de Ilhéus é terceirizada.

Sobre a terceirização do lixo, o coordenador do TCM afirmou que normalmente é mais vantajosa para o município, porém, ressaltou que o assunto tem gerado longas discussões e dúvidas.

Comentário do blog.

:: LEIA MAIS »

QUANDO EDNEI MENDONÇA COMANDAVA A DIREC 6, EMPRESA LIGADA A JAILSON NASCIMENTO RECEBEU R$ 605 MIL

Newton Lima

Newton Lima, Ednei Mendonça, Professora Carmelita e Jailson Nascimento.

As duas fotos acima apenas ilustram esse texto e não apontam culpados.

Na primeira, de março de 2011, o “dono do PT de Ilhéus”, Ednei Mendonça, aparece no seu empossamento frente à secretaria de governo da nefasta gestão do ex-prefeito Newton Lima. Na segunda, de novembro de 2010, a Professora Carmelita Ângela aparece ao lado do então vereador Jailson Nascimento, durante uma audiência pública na Barra de Itaípe.

A Polícia Federal, por meio da Operação Pelargós, investiga Newton e Jailson por formação de quadrilha e fraudes em licitações do transporte escolar de Ilhéus, entre 2009 e 2012 (mais detalhes aqui).

Até o exato momento, não temos informações sobre a participação de nenhum membro da direção do PT ilheense. Entretanto, o partido da estrela teve ligações políticas com Jailson Nascimento.

Ednei Mendonça dirigiu a Direc 6, de Ilhéus, entre 2007 e 2011. Nesse período, a GB Transportes (uma das empresas citadas na Operação Pelargós como participante de fraudes) prestou serviços à secretaria estadual de educação. A empresa transportou estudantes de algumas comunidades indígenas para duas escolas estaduais de Olivença, com anuência da direção da Direc 6.

Conforme dados do site Transparência Bahia, em 2009 e 2010, a GB Transportes recebeu R$ 605.121,72 do governo estadual, equivalentes a serviços prestados à Direc 6. Nesses anos, Ednei Mendonça dirigia a repartição educacional. Não conseguimos os valores recebidos em 2007 e 2008.

Segundo um ex-funcionário da Direc, que prefere não se identificar, em 2010, muitos índios Tupinambá protestaram contra o estado precário dos ônibus da GB Transportes, tidos como velhos. Daí em diante, a empresa deixou de prestar o serviço.

Vale a pena lembrar. Em janeiro de 2009, a então vereadora Carmelita, esposa de Ednei Mendonça, votou em Jailson Nascimento para a presidência da Câmara de Vereadores de Ilhéus. O PT tinha mais dois vereadores (Paulo Carqueija e Alisson Mendonça) que também votaram no vencedor. Segundo duas fontes do partido, dos três, Carmelita foi a primeira a definir o voto.

Confira os dados do site Transparência Bahia. Clique nas imagens para ampliar.

print direc

print direc 1

O outro lado.

Segundo Ednei Mendonça, o PT de Ilhéus não tem ligações políticas com Jailson Nascimento. Ele confirmou que a empresa GB Transportes venceu um processo licitatório na secretaria estadual de educação, quando ele dirigia a Direc 6. Na opinião de Ednei, a prestação do serviço, ocorrida após uma licitação, em nada contribuiu para um suposto alinhamento político. Ele também negou que a Professora Carmelita foi a primeira a definir o voto a Jailson. “Em 2009, os três vereadores do PT votaram nele. “Ele venceu a eleição com unanimidade, com 13 votos”.

PROMOTORA DIVULGA AÇÃO CIVIL QUE DEU ORIGEM À OPERAÇÃO “PELARGÓS”

Karina Cherubini: autora da ACP.

Karina Cherubini: autora da ACP.

No facebook, a Promotora Karina Cherubini, do Ministério Público da Bahia, disponibilizou o inteiro teor da ação civil pública ingressada em setembro de 2011, contra o suposto esquema do transporte escolar de Ilhéus.

A ação do MP, que tem Cherubini como autora, originou a operação “Perlagós” desencadeada hoje pela Polícia Federal (veja aqui).

No texto, é possível ver o nome da empresa GB Transportes e as iniciais (JAN) do atual secretário municipal de relações institucionais, Jailson Alves Nascimento, ambos investigados na operação.

Para ler, clique nesse link.

EMPRESA INVESTIGADA DOOU SETE MIL PARA JAILSON E DEZ MIL PARA NEWTON

SONY DSC

O precário sistema eleitoral brasileiro (e suas brechas) permite duas formas de financiamento de campanhas: por dentro e por fora (caixa 2).

Oficialmente, segundo dados do TSE, na campanha eleitoral de 2008, a empresa GB da Silva Transportes (razão social da ST Transportes) doou R$ 10 mil para o então candidato a prefeito Newton Lima (PSB), e R$ 7 mil para o então candidato a vereador Jailson Nascimento (PMN).

A empresa e os dois políticos são investigados pela operação “Pelargós”, da Polícia Federal, que apura a suposta existência de uma quadrilha responsável por fraudes em licitações do transporte escolar de Ilhéus (veja aqui).

POLÍCIA FEDERAL BATE NA CASA DE NEWTON LIMA

Imagem do Blog Agravo mostra uma viatura da Polícia Federal à casa do ex-prefeito Newton Lima.

Imagem do Blog Agravo mostra uma viatura da Polícia Federal em frente à casa do ex-prefeito de Ilhéus, Newton Lima. A busca faz parte da operação Pelargós, que investiga a atuação de uma suposta quadrilha em processos licitatórios do transporte escolar.

OPERAÇÃO PELARGÓS INVESTIGA ST TRANSPORTES E JAILSON NASCIMENTO

Jailson: um dos investigados.

Jailson: um dos investigados.

A Polícia Federal investiga possíveis desvios de recursos públicos do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar nos anos 2009/2010, em Ilhéus. A operação tem o nome grego “Pelargós” (cegonha em português) e foi desencadeada hoje pela manhã.

Segundo a PF, a fraude utiliza empresas “laranjas” com o objetivo de participar de processos licitatórios irregulares, de modo que quem efetivamente prestaria o serviço seria a empresa pertencente ao “grupo criminoso” (GB Transportes). Em contrapartida, pelo menos duas campanhas políticas foram beneficiadas com verbas da “quadrilha”.

A investigação apurou a participação de um um ex-vereador (Jailson Nascimento) e do ex-prefeito de Ilhéus (Newton Lima) no período de 2009 a 2012, tendo estes políticos recebido doações de campanha de uma das empresas envolvidas.

Segundo a PF, alguns irmãos do ex-vereador já constaram na folha de pagamentos de uma das empresas.

Os ônibus utilizados pela empresa de transporte não atendiam à legislação de trânsito, por não possuírem sequer pedido de alvará. Além disso, não cumpriam os itens de segurança e os motoristas credenciados não tinham o curso específico para o transporte escolar. Dessa forma, durante todo o período as crianças transportadas estavam expostas ao perigo de acidentes com eventual risco de morte.

Os investigados estão sendo acusados dos crimes previstos no art. 1º, III do Decreto-lei nº 201/67, arts. 89 e 90 da Lei nº 8.666/93 em concurso com o art. 288 do Código Penal Brasileiro (formação de quadrilha). As penas somadas podem chegar a 20 anos de prisão.

AGENTES DA FEDERAL NO PALÁCIO PARANAGUÁ

policia federalNesse momento (08h30min) agentes da Polícia Federal estão na sede da prefeitura de Ilhéus, onde recolhem documentos relacionados à gestão do ex-prefeito Newton Lima.

Segundo o radialista Gil Gomes, da Rádio Santa Cruz, o secretário de relações institucionais do governo atual, Jailson Nascimento, foi convocado para prestar depoimento na delegacia da PF.

O motivo não foi divulgado.

O SOFISMO CÉTICO

foto de Thiago blog do gusmãoJabes é Newton Lima e Valderico Reis.  O mandatário da capitania.   O senhor de engenho.  O coronel do cacau.  Jabes é a imagem do passado persistente e ressentido. Determinado, não desistirá da sua missão. Não renunciará ao cargo.  Não se engane, eleitor ilheense, Jabes será candidato em 2016.

 

Por Thiago Dias

A imprensa digital difundiu a confissão de Jabes Ribeiro: “Não pretendo me reeleger, Ilhéus está ingovernável”.

A informação não é de fácil assimilação. Diante desse evento discursivo, mesmo as cognições mais preparadas titubeiam. Desconfiam. Deixam o som das palavras reverberar, no caminho dos sentidos possíveis. Dão tempo às segundas e terceiras intenções do dizer.

Caso a confissão do prefeito causasse espanto popular, provavelmente, dois argumentos lhe seriam pertinentes. Primeiro, esse é o recorte descontextualizado da sua fala. Segundo, os problemas da cidade foram herdados das administrações passadas. Duas verdades. No entanto, pouco válidas como álibi do homem público.

A sentença foi pronunciada e repercutiu. Ainda fora do seu contexto, significa. Mas, se é pelo bem da perspectiva sistemática devolver o fenômeno discursivo ao seu contexto original, façamos. Jabes falava aos seus pares, num encontro promovido pela União dos Prefeitos da Bahia. Portanto, o contexto da sua fala era o do espetáculo da administração pública estadual. Palco de encontros e enlaces políticos. O prefeito de Ilhéus apelou à função fática da linguagem. Testou o canal comunicacional com os seus e com os opositores (aliados virtuais?). Chamou pra conversa. Sugeriu disposição ao diálogo pela governabilidade.

A segunda possibilidade argumentativa (que atribui a condição “ingovernável” da cidade aos governos passados) é pura ironia. Aliás, logo que os políticos se apegam ao sofismo, revelam-se sujeitos irônicos. É simples, mas parece que Jabes esqueceu: ele foi protagonista em boa parte dos governos passados que nos lançaram nesse estado de coisas.

Jabes é Newton Lima e Valderico Reis.  O mandatário da capitania.   O senhor de engenho.  O coronel do cacau.  Jabes é a imagem do passado persistente e ressentido. Determinado, não desistirá da sua missão. Não renunciará ao cargo.  Não se engane, eleitor ilheense, Jabes será candidato em 2016. Mesmo sem pretender a reeleição. Poupemos então o homem cético de novo sacrifício. Realizemos sua vontade nas urnas, caso a morosidade (conivente) dos poderes competentes não permita sua cassação até lá.

Thiago Dias é comunicólogo formado pela UESC.

PROTESTOS SUI GENERIS

quero estudar Jabes

Por Emílio Gusmão

Ilhéus muitas vezes me parece um lugar de outro planeta, fora da realidade e distante do Brasil.

Fui para a manifestação realizada no dia 20 de junho. Apesar de concordar com as motivações, atuei como observador, não levei cartazes e não dei um grito. Meu colaborador Lucas Vitorino e sua namorada Larissa Paixão cobriram minha passividade (atenta) e fizeram uma boa cobertura com várias imagens.

Agi assim, pois tinha a certeza de que constataria nos protestos de Ilhéus características bem distintas do que vem ocorrendo em outras cidades brasileiras, principalmente nas capitais.

Antes das observações, ressalto a importância da manifestação. Vi inúmeros adolescentes, acompanhados dos pais, tentando engrossar a não tão numerosa turba. Eles fizeram suas estreias no exercício da cidadania, e para mim, só por isso o movimento foi válido.

Como era de se esperar, vi a influência de elementos do PT. Um “pombo correio” do deputado federal Josias Gomes (ex-padrinho do nefasto ex-prefeito Newton Lima) atuou discretamente, com dicas e aconselhamentos aos “velhos adolescentes” da juventude petista. Um chegou a fazer um pronunciamento em frente à prefeitura. Senti falta do “fora partido”, grito de guerra repetido em outras “urbes” onde andar de “buzu” é sempre uma lástima.

Uma ativista da sociedade civil organizada que dias antes, no Palácio Paranaguá, dissera ser de sua função ajudar no fortalecimento do poder constituído (na minha opinião evidenciou mais uma vez sua patente simpatia ao prefeito), protestava ativamente, integrada a um movimento onde a natureza dos poderes constituídos sofre duras críticas.

A característica mais notável e contraditória foi a presença ativa de secretários do governo Jabes Ribeiro (herdeiro de Newton Lima que insiste em prolongar a falência dos serviços públicos). Eles circularam livremente, tranquilos, como típicos indignados sem culpa no cartório. Por muito pouco não pintaram suas faces com tinta guache (tiras verdes e amarelas).

Um menino de 8 anos segurava um cartaz com a frase pintada: “Quero estudar Jabes”. Fazia alusão à falta de professores nas escolas municipais da zona rural, apesar do novo governo já ter completado seis meses. Perto, bem pertinho do consciente guri, a secretária de educação conversava com assessores.

Certa vez, durante um show de Caetano Veloso na Concha Acústica da Avenida Soares Lopes, em Ilhéus, presenciei o mais elegante pito de um artista à sua platéia.

Caetano, numa apresentação de voz e violão, perguntou se o público ouviu a letra da canção que tinha acabado de apresentar. Percebeu que durante a execução, o burburinho insistiu como fundo dissonante.

“É claro que vocês não prestaram atenção. Minha mãe certa vez me disse que o povo do litoral é um pouco descarado”.

A platéia caiu na risada.

VEREADOR “GUGU GULOSO”

"Gugu Guloso": o espertão.

“Gugu Guloso”: o espertão.

O ex-prefeito de Ilhéus, Newton Lima, desenvolveu ojeriza a um certo vereador da legislatura passada que lhe mordia e assoprava.

Na tribuna da câmara, o vereador detonava Newton, nos bastidores pedia muitos cargos. Devido à sanha ganhou o apelido “Gugu Guloso”.

Reeleito, o parlamentar continua fingindo. Na frente da bancada do governo derrama lágrimas de crocodilo, se diz prejudicado, esculhamba o prefeito e o “poderoso irmão”.

Por baixo do pano, indica enfermeiras para o Hospital Regional e já conseguiu 10 cargos na secretaria de Jamil.

“Gugu Guloso” continua o mesmo.

Muito liso e esperto.

MAIS UMA FALHA DO GOVERNO JABES NO QUESITO TRANSPARÊNCIA

Jabes: má vontade ou desleixo com a transparência?

Jabes: má vontade ou desleixo com a transparência?

A lei geral das licitações (veja aqui) exige publicação ampla dos processos.

Os resumos dos editais das concorrências, das tomadas de preços, dos concursos e dos leilões, devem ser publicados, segundo a lei: “em jornal diário de grande circulação no Estado e também, se houver, em jornal de circulação no Município ou na região onde será realizada a obra, prestado o serviço, fornecido, alienado ou alugado o bem, podendo ainda a Administração, conforme o vulto da licitação, utilizar-se de outros meios de divulgação para ampliar a área de competição”.

A gestão nefasta do prefeito Newton Lima e do PT costumava publicar as etapas das licitações no Diário de Ilhéus, no Jornal Agora e outros.

O governo de Jabes Ribeiro interrompeu as publicações nos impressos. Prefere desrespeitar a lei, submetendo as licitações a uma situação quase secreta.

A inexistência do site com os dados essenciais à transparência mereceu a conhecida desculpa da falta de recursos.

Quais as justificativas para a interrupção das publicações nos jornais?

50 TONS DE QUARTA-FEIRA DE CINZA

pennha novaPor Marcos Pennha

Quem é carnavalesco de carteirinha sabe que a quarta-feira de cinza é um dia pelo qual o sujeito fica na maresia. Os dias e noites de carnaval são f … &%$#@ com ph da antiga farmácia. Literalmente. Nove meses depois da festa momesca, a população acorda ene vez multiplicada. Esse é o tom da festa, considerando que todos os caminhos levam ao sexo: os trajes, as músicas, as danças, … 

Bom, abordarei o tema carnaval noutra oportunidade. O cerne da questão é a quarta de cinza. Quero falar do marasmo instalado em Ilhéus, desde “as priscas eras”, como diria o saudoso jornalista Eduardo Anunciação. 

O espaço aqui não é suficiente para mencionar os mais variados tons de cinza, que contribuem com a matização da maré preta em que nada boa parte do ilheense. A seguir, o tom da situação da cidade. 

# Sabe o que disse o Aedes Aegypti? O mosquito transmissor do vírus da dengue falou, em alto e bom tom: Absolutamente, estamos avançando. Estamos avançando. 

# Paulo Atto, Barbosa Paixão, Ledívia Espinheira, Victor da Veiga, Adriana e Jabes Ribeiro moram em Salvador. Contudo, nenhum deles é o salvador da pátria de Ilhéus. São apenas filhos da pátria de Salvador. 

# Os alunos da APAE não ficaram impacientes com a manchete de alguns blogs, que lhes classificaram como doentes. Eles deram demonstração de que, além de pacientes, são compreensivos, ao ponto de entender que os autores do absurdo são, provavelmente, estudantes internos, do setor de psiquiatria, do hospital Regional. Se escola tem paciente, é compreensível que hospital tenha estudante. 

# O secretário de Desenvolvimento Social, Jamil Ocké, foi desmascarado, publicamente, quando disse que não foi realizado o repasse da APAE, por causa da lentidão da instituição em apresentar o documento de comprovação de recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). A diretora da escola, Socorro Pastor, declarou que o secretário “faltou com a verdade”. Socorro provou, documentalmente, que o secretário MENTIU, mesmo. Veloz tá sendo o descrédito da palavra de Jamil, que afiançou, na semana passada, que a verba ‘carimbada’, oriunda do governo federal, já se encontra na conta da prefeitura. Só que, até o fechamento desse artigo, hoje, 3 de junho, ainda não tinha sido repassada à APAE, conforme prometera o secretário. Duas alterações na vida de JAmil, que também é professor: Sua loja, Ponto 10, passou a se chamar Ponto 7; e seu nome, agora, é JAoitocentos. A continuar nesse ritmo, no final de quatro anos, as colunas sociais publicarão a foto de “JAzero Ocké, dono da loja Ponto (-) 10, ex-vereador licenciado e ex-secretário do Desenvolvimento Antissocial, sozinho na rua da amargura”. Escuta só o que tô alertando: ”Quem não ouve conselho, ouve coitado!” 

# A oração inicial das sessões da Câmara de Vereadores: “Guarda Maria (Mãe do defensor do amor) Ilhéus, 24 h, dos escritos dessa gente que usa a letra fria da verdade, soltando o sarrafo pra valer, atiçando a polêmica, levantando agravo, mexendo nas peças do tabuleiro do xadrez da política. Que estejamos todos livres da boca dessa gente. Amém!” 

:: LEIA MAIS »

ENTREVISTA FRANCA COM JABES RIBEIRO: “NÃO LIGO PARA AS FOFOCAS E INTRIGAS DA OPOSIÇÃO QUE DESTRUIU ILHÉUS”

Jabes Ribeiro. Imagem: Emílio Gusmão.

Jabes Ribeiro. Imagem: Emílio Gusmão.

Após dois meses de tentativas frustradas, na última sexta-feira, 24, este blog conseguiu, enfim, entrevistar o Prefeito de Ilhéus.

A agenda de Jabes Ribeiro, sempre repleta de compromissos, não facilitou.

O tempo de espera serviu para maturar uma entrevista franca, direta e corajosa, como é peculiar ao Blog do Gusmão.

Principais destaques:

Newton Lima saiu, Jabes Ribeiro entrou, após cinco meses não há diferenças;

saúde e educação não funcionam satisfatoriamente e nós cobramos prazos para que voltem à normalidade;

relação difícil com a base governista na câmara de vereadores;

por que para o governo não é interessante ter vereadores da oposição nas comissões permanentes?

A função do irmão John Ribeiro no governo, tido pela oposição como um perseguidor;

Jabes criticou a oposição que faz protestos na escadaria do Palácio Paranaguá (sobrou para a deputada Ângela e o PT);

a gestão não é transparente;

Jabes e os discursos repetitivos;

Vereador Cosme Araújo (PDT) afirma que o prefeito será afastado até o final do ano;

o prefeito que viaja demais;

governo de direita que deseja demitir servidores e cuja máquina não sabe arrecadar;

no final do mandato Jabes Ribeiro vai morar em Ilhéus ou Salvador?

O prefeito tantas vezes criticado neste blog foi convidado a criticá-lo.

Ouça a entrevista.

JAILSON NASCIMENTO PROCURA UMA GARAGEM

Jailson: sem garagem e sem prestígio.

Jailson: sem garagem e sem prestígio.

O prefeito Jabes Ribeiro proibiu o estacionamento de carros no Estádio Mário Pessoa.

A medida acertou em cheio velhos aliados do jabismo, a exemplo do secretário municipal de relações institucionais, Jailson Nascimento, e o diretor da Biofábrica, Henrique Almeida.

Os dois moram nas proximidades do estádio e sempre guardaram seus veículos embaixo da arquibancada.

No dia 13 de maio, segunda-feira, Jailson Nascimento ao tomar conhecimento da ordem expressou dúvida num monólogo mais ou menos assim.

“Eu fiz oposição ao governo de Valderico e sempre guardei meu carro no estádio. No governo de Newton Lima nunca me colocaram dificuldade. Agora eu sou secretário do governo de Jabes e me proíbem de estacionar? Sei não, talvez eu nem seja secretário. Minha moral no governo tá muito baixa”.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia