WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Sábado, 23 de Junho de 2018
ubaitaba
master class cenoe faculdade madre thais

ILHÉUS: CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA GRIPE ENCERRA NESSA SEXTA-FEIRA

Imagem: Secom/Ilhéus.

A secretaria de saúde de Ilhéus informa que a campanha de vacinação contra gripe encerra amanhã sexta-feira, 22. Devem receber a dose gratuitamente crianças de seis meses a menores de cinco anos, idosos a partir de 60 anos, trabalhadores da saúde, professores da rede pública e privada, povos indígenas, gestantes, mães com até 45 dias até o parto, pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional. Em Ilhéus, até o momento foram vacinados 88,43% do público alvo. O município tem vacina suficiente para todos do grupo considerado prioritário.

A chefe do setor de imunização, Walkiria Cardeal, informa que as unidades de saúde do município estão abastecidas e que têm vacinas suficientes para todo público-alvo. Ela ressalva que devido a reforma do Posto de Saúde do bairro Hernani Sá, a sala de vacina está funcionando na sede da associação de moradores do bairro. “Para os moradores da zona sul, tem vacina no Posto do Ilhéus II, no do Nossa Senhora da Vitória e no Hernani Sá. Além desses postos de vacina da zona sul, tem também no CSU, PSF Conquista, CAE III (antigo Sesp), Vila Cachoeira, Banco da Vitória, Morada do Porto e Olivença”.

ESGOTO NO JARDIM DO SABER: O TRATAMENTO PRIMÁRIO DAS FOSSAS DA UESC

A torre administrativa da UESC e o córrego dentro da universidade.

Reportagem Thiago Dias.

Essa é a história de uma contradição. A Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) é o seu palco. Sob o jardim onde o saber é cultivado e cultuado, escorre a sujeira das nossas entranhas. A beleza na superfície do Campus Soane Nazaré, encravado em parte do que restou da Mata Atlântica, contrasta com a paisagem subterrânea do mecanismo de tratamento de esgoto primário dos seus prédios, que usam fossas individuais ligadas a sumidouros. O Blog do Gusmão é o primeiro veículo de imprensa a discutir esse assunto.

O sistema de tratamento da UESC é o mesmo há 32 anos, desde os tempos da antiga FESP (Federação das Escolas Superiores de Ilhéus e Itabuna), conforme nos explicaram o prefeito do Campus Soane Nazaré, Edmundo Ramos Pereira Filho, e o assessor de comunicação da universidade, Jonildo Glória, numa conversa em dezembro de 2017.

A universidade “ainda usa uma sistemática que era a da época, com um tratamento individualizado por prédio, o tratamento primário: o sumidouro e aquela manutenção periódica de retirada dos resíduos sólidos e limpeza. Essa é a solução que foi aprovada na época e que existe até hoje”, esclareceu o prefeito.

A nosso pedido, Edmundo deu mais detalhes sobre o tratamento da UESC. “A fossa faz a separação do sólido e do líquido e cria o chamado lodo, que é retirado, sugado e descartado adequadamente. Ele é retirado por um caminhão de vácuo-pressão, que injeta a mangueira e aspira os sólidos. Não leva o líquido, porque só o lodo fica preso na fossa. O líquido continua. Aí é que vem o sumidouro, que é o dispositivo por onde esse líquido do esgoto é infiltrado no solo. Isso é tudo calculado direitinho. É um sistema que infiltra o efluente sanitário no solo”.

O arquiteto Edmundo Ramos Pereira Filho, prefeito do Campus Soane Nazaré.

Segundo Ramos, como a UESC não tem “nenhuma captação de água do subsolo para uso potável, não há nenhum risco dessa infiltração [do esgoto na terra] contaminar com patógenos uma água que seja retirada para outra utilização”.

Perguntamos ao prefeito se esse tipo de mecanismo ameaça o lençol freático. Ele respondeu com um exemplo. “Quando você faz uma fossa na sua casa, não deve colocar nenhum poço artesiano a menos de quatorze metros desse sumidouro. Por quê? Essa infiltração vai sendo esterilizada quando vai passando no solo, mas ela mantém seu poder contaminante num determinado raio. Isso tudo é calculado no projeto. Na medida em que você vai construindo mais, adensando e colocando mais sumidouros, começa a ter a possibilidade de saturar. Mas essa é uma contaminação de orgânicos, que são [materiais] degradáveis”.

Contudo, Edmundo Ramos admitiu que a UESC não monitora periodicamente as condições dos sumidouros. “Mas foram feitas algumas análises para finalidades específicas, não como um programa de monitoramento. Não se apresentou nenhum problema maior”, explicou.

Água do córrego que corta a UESC é muito suja.

Se as fossas da UESC não apresentaram nenhum problema maior, a falta de monitoramento periódico não é um bom sinal. Essa é a opinião de um especialista consultado pelo blog, o engenheiro ambiental Alex Magalhães. Ele aceitou falar em tese sobre o mecanismo usado na universidade. “Qualquer equipamento utilizado para o tratamento de efluentes necessita de operação e monitoramento. Sem esse acompanhamento é possível a alteração no meio ambiente, causando o impacto diretamente no solo, lençol freático, nos recursos hídricos, no ar e podendo causar também doenças nos animais e seres humanos”.

Nas últimas três décadas, à medida que construiu novos prédios, a UESC aumentou também a instalação das fossas para dar conta do volume de esgoto produzido por seus habitantes. Segundo o assessor Jonildo Glória, entre estudantes (que são cerca de nove mil), professores e demais funcionários, o Campus Soane Nazaré recebe aproximadamente doze mil pessoas por dia. Na ocasião da conversa com o blog, o prefeito não tinha o levantamento da quantidade de efluentes sanitários gerada na universidade.

UESC não monitora condições dos sumidouros por onde escorrem os efluentes sanitários produzidos por quase doze mil pessoas. Imagem: José Nazal.

Perguntamos se algum dos sumidouros já emitiu sinal de que se aproxima da saturação. “Não. Para fazer o levantamento desse projeto nós vamos ter que mergulhar nos detalhes. Nós fizemos o cadastramento de todos os prédios. Com o passar do tempo, os prédios foram se modificando. A área que era estacionamento virou garagem, sala de aula. As salas foram reformadas para absorver laboratórios. Enfim: mil mudanças. As plantas originais não batiam com a realidade atual. Para fazer qualquer projeto, de qualquer natureza, a gente precisava disso atualizado, inclusive para poder quantificar a população que usa cada prédio, o que também implica na demanda de esgotamento sanitário”, respondeu Edmundo Santos.

Como a própria UESC não monitora as condições dos seus sumidouros e, portanto, não tem controle sobre a qualidade dos efluentes lançados no meio ambiente, é possível que, nos períodos chuvosos, o esgoto infiltrado no solo se junte às águas da chuva que correm para o rio Cachoeira. Essa possibilidade torna-se muito provável por causa do córrego que atravessa o campus, cuja aparência demonstra sinais de poluição.

O rio Cachoeira, que passa em frente ao Campus Soane Nazaré.

Ouvimos uma enfermeira que estudou na instituição a partir de 1996. Segundo ela, há muito tempo já se sabe que as fossas da universidade contaminam o solo e seus efluentes chegam ao rio Cachoeira. “Isso é uma coisa que é de conhecimento da UESC há vinte anos. A professora de parasitologia da época já falava sobre isso. E nunca foi feito nada para evitar esse tipo de coisa, que prejudica e afeta a comunidade do Salobrinho, que faz uso do rio para banho e pesca”.

É óbvio que o rio Cachoeira recebe muitos efluentes de Itabuna, cidade que trata menos de 20% do esgoto doméstico gerado por suas residências. A questão em si diz respeito à UESC, que, por ser um centro de pesquisa científica, jamais poderia aumentar o nível de poluição do rio.

Galinhas se alimentam no córrego que atravessa a UESC e chega numa propriedade privada.

De acordo com o engenheiro Alex Magalhães, no mundo de hoje, não faz sentido dispensar a água que utilizamos, nem mesmo a do vaso sanitário, como ocorre na UESC. “Atualmente, não existe mais o pensamento de se jogar o esgoto no solo, pois, com a escassez dos recursos hídricos, torna-se necessário o reuso das águas”.

Como a Universidade Estadual de Santa Cruz é um centro de formação e pesquisa muito importante para o Sul da Bahia, referência do potencial de desenvolvimento da região, questionamos ao prefeito do Campus se a discussão sobre as soluções para o tratamento do esgoto da universidade não está atrasada. “Eu não sei avaliar isso com muita segurança, mas, eu lhe digo que existem vários complexos de edificações institucionais Bahia à fora, Brasil à fora, mais antigos e que permanecem até hoje com esse tipo de solução e que atendem perfeitamente”, respondeu Edmundo Ramos.

O prefeito, entretanto, sabe que a UESC precisa passar por uma mudança de “paradigma” no modo como lida com seu esgoto. Na opinião dele, isso passa pela implementação de um sistema de esgotamento sanitário que contemple todo o Salobrinho, bairro de Ilhéus onde fica o Campus Soane Nazaré. “Por que nós estamos pensando hoje em desenvolver isso? Não é que vai chegar semana que vem, mês que vem, nem ano que vem, e se fazer um projeto de esgotamento sanitário. É que a mudança da concepção da solução requer um estudo apurado, e a escala exige que seja feito sob a ótica do município”, argumentou.

Edmundo Ramos acredita que uma solução integrada para o Salobrinho e a UESC deve envolver a Embasa. Hoje, a concessionária recolhe o esgoto de apenas 40% das residências do bairro. Esse percentual não inclui a universidade, que, como já dito, usa as fossas individualizadas.

Quem anda frequentemente nos arredores ou dentro da UESC já notou um córrego que atravessa o campus. A água dele é muito suja. Ramos atribui a origem dessa sujeira às ligações clandestinas de esgoto de parte das casas do Salobrinho. “Você sabe que num bairro pobre, sem infraestrutura de esgoto, todo mundo joga na via pluvial”.

O Blog do Gusmão tentou marcar uma entrevista com a reitora da UESC, Adélia Pinheiro, por meio da sua assessoria. Apesar de termos insistido muito, não conseguimos conversar com a gestora, que é médica sanitarista.

SACOS DE CIMENTO VÃO TER REDUÇÃO DE 50% NO PESO

Imagem: reprodução/internet.

Hoje com 50 kg, sacos de cimento deverão pesar 25 kg. Empresas terão até 31/12/2018 para inciar o cumprimento do acordo.

O Ministério Público do Trabalho (MPT) assinou nessa segunda-feira (18), em São Paulo, Termo de Compromisso com empresas cimenteiras para reduzir o peso dos sacos de cimento produzidos e comercializados no país. O acordo foi assinado por 33 empresas produtoras de cimento e pelo procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Fleury, além do presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), do Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC) e da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP). A negociação foi conduzida pelo MPT por meio da Coordenadoria Nacional de Defesa do Meio Ambiente do Trabalho (Codemat) em Grupo de Trabalho composto pelos Procuradores Marcello Ribeiro, Philippe Jardim, Rodrigo Carelli e Ronaldo Lira.

A atuação é pioneira, pois as negociações se deram com todas as empresas de um mesmo setor econômico. Além disso, os trabalhadores beneficiados são aqueles que atuam no final da cadeia de consumo da indústria envolvida, e não seus próprios empregados. “Só nos últimos 6 anos, tivemos gastos da Previdência Social, somente com afastamentos de trabalhadores por motivo de acidentes de trabalho, de mais de R$ 28 bilhões. Por outro lado, as empresas também perdem com o absenteísmo de seus empregados”, lembrou o procurador-geral do MPT, Ronaldo Fleury.

Pelo acordo, as empresas se comprometem a reduzir para 25 kg as embalagens de cimento. Hoje, a indústria trabalha com sacos de 50 kg. O prazo para os fabricantes se adequarem a nova regra é até 31/12/2028. A partir dessa data, as embalagens mais pesadas somente poderão ser produzidas para exportação. As empresas também se comprometeram a suspender a comercialização de sacos de cimento com peso acima dos 25 kg, a partir de 1/1/2029, mesmo que ainda exista material em estoque.

(mais…)

RUI ENTREGA POLICLÍNICA REGIONAL EM SANTO ANTÔNIO DE JESUS

Policlínica vai atender 28 municípios. Imagem: SECOM-BA.

Nesta sexta-feira, 15, em Santo Antonio de Jesus, o governador Rui Costa inaugura a Policlínica Regional do Consórcio Público Interfederativo de Saúde, que vai atender a 28 municípios da região. Às 8h, Rui fará uma visita guiada às instalações da unidade, acompanhado da imprensa e de autoridades públicas.

Na nova policlínica serão atendidos os moradores dos seguintes municípios: Amargosa, Aratuípe, Cabaceiras do Paraguaçu, Castro Alves, Conceição da Feira, Conceição do Almeida, Cruz das Almas, Dom Macedo Costa, Elísio Medrado, Governador Mangabeira, Itatim, Jaguaripe, Jiquiriçá, Laje, Maragojipe, Milagres, Muniz Ferreira, Muritiba, Mutuípe, Nazaré, Presidente Tancredo Neves, Salinas da Margarida, Santa Teresinha, Santo Antonio de Jesus, São Felipe, São Miguel das Matas, Ubaíra e Varzedo.

Até o fim do mês, o Governo do Estado inaugura nova unidade em  Valença. Outras sete policlínicas já tem obras autorizadas. As seis já inauguradas – em Teixeira de Freitas, Guanambi, Irecê, Jequié, Feira de Santana e Alagoinhas – funcionam a plena capacidade.

O vídeo mostra a Policlínica de Santo Antonio de Jesus.

ASMA: POR QUE O AR-CONDICIONADO PODE DESENCADEAR CRISES RESPIRATÓRIAS?

Do site Cuidados pela Vida.

Em dias de calor intenso, é difícil resistir à tentação de ligar o ar-condicionado para dormir com mais conforto. Por outro lado, no local de trabalho, o uso deste aparelho nem sempre é uma opção, o que pode preocupar quem sofre com doenças respiratórias e alergias, como a asma, já que o ar-condicionado pode piorar ou desencadear alguns sintomas.

Ar frio e seco do ar-condicionado piora sintomas da asma

No processo de abaixar a temperatura, o ar-condicionado reduz a umidade do ar. Mais frio e mais seco, ele ganha características semelhantes ao ar do outono e do inverno, estações conhecidas pelo aumento de crises relacionadas a doenças respiratórias.

“O ar-condicionado pode ressecar a faringe, a laringe, o nariz, a traqueia e os pulmões, propiciar uma inflamação e, portanto, piorar os sintomas respiratórios”, explica o pneumologista Ramiro Sienra. Como consequência, quem já sofre com rinite pode sentir coceira no nariz, espirros e dor nasal, enquanto pacientes com asma podem ter tosse, chiadeira e falta de ar pioradas.

Manter o ar-condicionado limpo evita crises respiratórias

Para evitar esses problemas, a principal dica do especialista é evitar a exposição ao aparelho: “Isto engloba diminuir a permanência nos lugares com ar-condicionado, evitar temperaturas muito baixas, evitar fazer atividade física nesses ambientes e, se for necessário, usar um umidificador”, recomenda o pneumologista. É preciso ainda observar as orientações do fabricante quanto à limpeza, troca de filtro e manutenções.

Outra atitude importante para quem tem alergias e doenças que pioram com o frio é evitar mudar bruscamente de um ambiente quente para um local com ar-condicionado. Estes pacientes podem apresentar piora dos sintomas com a variação de temperatura, já que o ideal para o sistema respiratório é permanecer em temperaturas estáveis.

Dr. Ramiro Sienra é pneumologista, formado pela Faculdade de Medicina da USP e atende em São José dos Campos (SP). CRM-SP: 139797

CENOE PROMOVE AULA COM O TEMA “DESAFIOS NA RECONSTRUÇÃO ORBITAL”

Nos países desenvolvidos, a principal causa de trauma facial são acidentes de veículo, mas este mecanismo tem sido substituído por violência. Nos países em desenvolvimento, uma das principais causas desse traumatismo se encontra no ambiente de trabalho, onde não há formação técnica especializada e aparelhagens seguras.

Outras causas de trauma facial incluem quedas e lesões esportivas. Deformidades traumáticas na área ocular podem afetar o paciente em termos de função e estética. Reconstruções orbitais exigem um cirurgião com alto nível de precisão e experiência, para reduzir complicações e maximizar os resultados funcionais.

Para tratar desse assunto, os médicos Benevides França (cirurgião buco-maxilo- facial) e Victor Nassri (cirurgião plástico) farão uma aula especial sobre “Os desafios da reconstrução de órbita”. O evento é voltado para médicos, dentistas, profissionais da área da saúde e vai acontecer na próxima segunda-feira, 18 a partir das 19h na sede da CENOE, localizada na Avenida Soares Lopes, nº 1724, Ilhéus.

BAHIA: MAIORIA DOS CASOS DE “A H1N1” ATINGE CRIANÇAS MENORES DE 5 ANOS E IDOSOS ACIMA DE 60

Imagem: Google.

Dados fornecidos pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) informam que até o dia 02 de junho desse ano foram notificados 1.166 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), com 87 óbitos. Dentre esses casos, 225 foram confirmados para Influenza, sendo 174 pelo subtipo A H1N1, com 20 deles evoluindo para óbito.

No mesmo período de 2017 foram notificados 300 casos de SRAG, com 23 óbitos. Dentre eles, 23 foram confirmados para Influenza, sendo dois casos de Influenza A H1N1 e nenhum óbito por A H1N1.

Foram confirmados casos de A H1N1 em 45 municípios e os óbitos ocorreram em nove deles. Salvador registrou doze (12) óbitos. Os outros municípios foram Apuarema (1); Camaçari (1); Irará (1); Lauro de Freitas (1); Retirolândia (1); Saúde (1); Serrinha (1) e Vitória da Conquista (1).

A faixa etária de maior ocorrência ficou entre os menores de cinco anos e maiores de 60, sendo que 60% dos óbitos ocorreram nesses grupos.

VACILO DE MARÃO NA VALEC TIROU R$ 22 MILHÕES DE ILHÉUS

Desdém do prefeito em reunião na Valec fez Ilhéus perder recursos de compensação ambiental. Imagem: Instituto Nossa Ilhéus.

A Valec estava disposta a destinar 22 milhões de reais para Ilhéus como compensação ambiental pelos impactos da construção da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, a FIOL. Havia a expectativa de que o município ficasse com a maior parte ou até todo o recurso.

Ouvidos pelo Blog do Gusmão, representantes da Valec disseram que um depósito de seis milhões de reais já estava garantido, em janeiro de 2018, na conta do município, mas, uma irresponsabilidade do prefeito Mário Alexandre (PSD) tirou todo o recurso de Ilhéus.

Em janeiro, o prefeito foi convidado a participar de uma reunião em Brasília, na sede da Valec, com os diretores da empresa. Sem qualquer explicação aceitável,  Marão chegou três horas atrasado no encontro.

Segundo informações recebidas pelo blog, além do atraso, o prefeito não apresentava condições físicas de participar do diálogo, como se tivesse passado por uma noite de festa. O próprio teria dito que estava de “ressaca”.

O comportamento de Marão, que revelou desdém no encontro em Brasília, fez com que os diretores não quisessem mais nenhum tipo de contato com o prefeito.

Com isso, Ilhéus perdeu recursos importantes. O valor da compensação ambiental cobriria diversos projetos, como: o mapa de áreas sensíveis da cidade, a revisão do plano diretor urbano, a estruturação das unidades municipais de conservação ambiental já existentes (a exemplo do Parque Marinho de Ilhéus e o Parque da Boa Esperança) e a criação de novas. 

Na manhã desta quarta-feira, às 8h54min., por meio do Secretário de Comunicação, Alcides Kruschewsky, tentamos ouvir a versão do prefeito. Até a publicação dessa postagem não conseguimos obter resposta.

COCA-COLA SECA NASCENTES EM MINAS GERAIS, ACUSAM BIÓLOGOS

Fábrica consome mais do que a metade da água usada na região. Imagem: Pedro Contijo/Deutsche Welle.

Publicada nesta terça-feira (5), uma reportagem do Deutsche Welle (reproduzida pela CartaCapital) revela os impactos de uma fábrica da Coca-Cola na região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

Segundo biólogos da Associação Mineira de Defesa do Ambiente (AMDA), os poços artesanais de onde a empresa retira água para fabricar refrigerantes rebaixaram o nível do lençol freático da região e secaram nascentes dos rios Paraopeba e das Velhas, responsáveis por quase toda a água de Belo Horizonte.

A fábrica começou a funcionar em 2015, no bairro Água Limpa. Em dias de maior consumo, utiliza até 125 metro cúbicos de água por hora. Isso significa mais do que a metade dos 274m³ que abastecem toda a região.

Apesar de atender comunidades afetadas com o envio de caminhões-pipa, a Colo-Cola afirma que os poços artesanais não prejudicam as nascentes. O Ministério Público do Estado de Minas Gerais abriu um inquérito civil para investigar o caso.

De acordo com pesquisadores que trabalham na região, os impactos da fábrica ameaçam um ecossistema chamado de “campos sobre substrato ferruginoso”. Esse tipo de formação ecológica existe apenas na região do Quadrilátero Ferrífero de Minas Gerais e na Serra dos Carajás, no Pará.

Leia a matéria completa aqui.

PREFEITURA DE ILHÉUS RESPONDE ACUSAÇÃO DO PRESIDENTE DO SINSEPI

Ontem (4), veiculamos acusação do presidente do Sinsepi, Joaques Silva, contra o governo Mário Alexandre. O líder sindical levantou questionamentos sobre licitações realizadas pela prefeitura – lembre aqui.

Hoje (5), em nota enviada ao blog, o governo Marão afirmou que considera as declarações de Joaques “como fruto do calor do debate”.

No texto, a gestão também afirma que se mantém disposta a dialogar com os servidores. Leia a íntegra.

“Referindo-nos à vossa publicação sob o título “Presidente do Sinsepi acusa governo Marão de usurpar cofres públicos”, na edição de ontem deste blog, cabe-nos esclarecer:

Consideramos algumas das declarações atribuídas ao presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Joaques Silva, a esse informativo, como fruto do calor do debate, que neste momento envolve questões salariais da categoria na medida em que todos eles já tiveram respostas e considerações feitas anteriormente por seus responsáveis, quando questionados publicamente e/ou pela Câmara de Vereadores.

Assim ocorreu com referência à licitação para compra de materiais de construção e mobiliário, cujo esclarecimento foi dado público e pessoalmente pelo secretário de administração municipal, Bento Lima, quando atendeu  à convocação da Câmara de Vereadores de Ilhéus. Sobre a compra das urnas funerárias pela Secretaria de Desenvolvimento Social, a própria publicação cita a nota distribuída pelo órgão municipal com as devidas explicações, plenamente satisfatórias, embora nenhuma urna funerária tenha sido ainda adquirida. No entanto, em havendo necessidade, a Prefeitura poderá amparar pessoas de famílias em situação de vulnerabilidade, que desse benefício vierem a precisar, de forma transparente.

A Secretaria de Administração, que realiza os certames licitatórios da Prefeitura de Ilhéus, reitera que todos os procedimentos das concorrências para contratações pelo município obedecem à legislação e que todos os documentos sempre estarão à disposição para quaisquer averiguações necessárias.

As informações sobre as destinações dos recursos do município estão disponíveis e são fiscalizadas. Destacamos que a Prefeitura destina parte significativa desses recursos, 12 milhões e setecentos mil reais mensais, aproximadamente, à folha de pagamento dos servidores municipais com os devidos recolhimentos obrigatórios que sobre esta incidem, e que esta gestão mantém em dia, liquidada no mês trabalhado.

O atual governo não mediu esforços para, depois de 5 anos de entendimento interrompido entre governo e servidor, conceder a reposição salarial e reajuste do valor do ticket alimentação em até 80%, impactando o erário em mais de 1 milhão de reais mensais, a partir de 2017. A reposição salarial será efetivada  pelo segundo ano consecutivo, em 2018, dentro da política de valorização dos servidores municipais, que consideramos como o grande patrimônio da administração pública municipal.

O governo municipal acredita no diálogo e mantém a mesa de negociação com os representantes dos servidores municipais como um eficaz instrumento para um acordo, e releva eventuais excessos a fim de favorecer o entendimento.

São estas as explicações que se fazem necessárias para a sociedade”.

SANTA CASA DE ILHÉUS EMITE NOTA SOBRE ATENDIMENTO VIA SUS

Hospital São José mantém atendimento via SUS, informa Santa Casa.

Em nota divulgada ontem (4), a Santa Casa de Misericórdia de Ilhéus desmentiu informação segundo a qual o Hospital São José havia interrompido o atendimento de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

Conforme a entidade, como muitas pessoas recorrem ao hospital, quando as instalações da unidade ficam lotadas, o atendimento a pacientes fora do quadro de emergência pode ser suspenso “momentaneamente”. Leia a íntegra.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE ILHÉUS, com o propósito de melhor esclarecer a população de Ilhéus e cidades circunvizinhas, vem informar que em nenhum momento deixou ou deixará de atender a qualquer paciente que precise dos seus serviços médico hospitalares,  principalmente pacientes do SUS, pois é essa a sua missão prevista nos seus estatutos e, que por mais de cem anos vem sendo cotidianamente cumprida.

(mais…)

SALVADOR SEDIA ENCONTRO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO

O governador Rui Costa, a deputada Ângela Sousa e o secretário Walter Pinheiro prestigiaram abertura do “Virtual Educa”.

Ontem à noite, em Salvador, ao lado do governador Rui Costa (PT) e do secretário estadual da Educação, Walter Pinheiro, a deputada estadual Ângela Sousa (PSD) prestigiou a cerimônia de abertura do XIX Encontro Internacional Virtual Educa. O evento é um dos maiores do mundo na área de inovação e tecnologia aplicadas à educação. Essa é a primeira vez que o estado sedia o encontro.

Desta terça-feira (5) até sexta-feira (8), o encontro vai acontecer no Centro de Formação e Eventos da Secretaria da Educação do Estado (ICEIA). Com o tema “Educação para transformar a sociedade em um espaço multicultural único”, o Virtual Educa reunirá grandes personalidades da área de Educação do Brasil, da América Latina, do Caribe e da África.

“Esse é um encontro extremamente importante e enriquecedor para os profissionais ligados à área da educação, principalmente para o corpo docente da nossa na rede es­ta­dual de en­sino, que tem contado com grandes transformações implementadas pelo governador Rui Costa”, destacou a deputada Ângela Sousa.

ASSOCIAÇÃO REFORMA PISTA DE SKATE DE ILHÉUS

Gradativa, reforma avança com doações e trabalho voluntário. Imagem: Carlos Augusto.

A Associação Ilheense de Esportes Radicais (AIER) iniciou a restauração da pista de skate localizada na avenida Soares Lopes, em Ilhéus. O grupo decidiu meter a mão na massa porque cansou de esperar que uma das inúmeras solicitações feitas à prefeitura fosse atendida. Quando o trabalho for concluído, o espaço também vai beneficiar ciclistas e patinadores, além dos skatistas.

A reforma é gradativa. Avança dentro das possibilidades do seu financiamento coletivo. Os recursos provêm de “vaquinhas”, doações e eventos organizados pela associação. O dinheiro arrecadado paga as diárias de um pedreiro e os materiais. A mão de obra de apoio fica por conta de quem se dispõe a trabalhar voluntariamente em benefício da cidade.

Grupo se reúne aos domingos para “meter a mão na massa”

A fórmula do trabalho voluntário deu certo. Foi assim no último domingo (3). O próximo encontro está marcado para o domingo que vem, dia 10, a partir das 7 horas. Segundo a AIER, quem puder somar está convidado a comparecer.

Antes, nesse sábado (9), vai rolar o Ten Line #8, a partir das 14 horas, na quadra poliesportiva da Soares Lopes. O evento de skate também vai arrecadar recursos para a reforma.

Interessados em colaborar podem manter contato com Carlos Augusto  no Facebook.

MARÃO DEIXA POSTOS DE SAÚDE SEM INTERNET. MARCAÇÃO DE EXAMES ESTÁ SUSPENSA

Postos estão sem internet desde a última quarta-feira.

Desde a última quarta-feira (30), os postos de saúde de Ilhéus estão sem internet. Sem o serviço, as pessoas que procuram as unidades não podem marcar exames médicos.

Não há previsão de restabelecimento da rede. O Blog do Gusmão tenta apurar se a origem do problema é de natureza técnica. Isso parece improvável. Como todos os postos estão sem internet, o defeito técnico teria que ser geral. Por outro lado, é possível que um atraso de pagamento das contas da operadora Oi tenha interrompido o serviço. Usuários do SUS afirmam que esse tipo de problema é recorrente.

Os pacientes são penalizados. Muitos chegam aos postos de madrugada para tentar marcar exames. Após longa espera nas filas, descobrem que a marcação está suspensa por falta de internet. A situação gera revolta. Em algumas unidades, usuários do SUS já ameaçaram servidores.

O Blog do Gusmão tenta manter contato com a secretária de Saúde Elizângela Oliveira, que, segundo informações, está em Salvador. Enviamos mensagem para a gestora às 9h30min. Não obtivemos resposta até o fechamento desta matéria. Este espaço está aberto caso o governo queira prestar esclarecimentos.

TCE AVALIA CONTAS DE RUI COSTA NESTA TERÇA-FEIRA

Sede do tribunal.

Às 14h30min desta terça-feira (5), o Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE/BA) vai apreciar a prestação das contas de 2017 do governo Rui Costa. O parecer prévio da corte vai auxiliar a Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (ALBA) no julgamento da gestão. No tribunal, a relatoria do processo coube ao conselheiro Pedro Henrique Lino.

 

MADRE THAÍS REALIZA O 4º SIMPÓSIO DE RECURSOS HUMANOS

Amanhã (6) e na quinta-feira (7), a Faculdade Madre Thaís vai realizar o quarto Simpósio de Recursos Humanos. O evento ocorrerá no auditório da FMT, que fica no térreo da sua sede, localizada na avenida Itabuna, em Ilhéus.

Com o tema “Gestão da Acessibilidade”, o IV Simpósio de RH da FMT vai discutir a importância do olhar do gestor para os portadores de deficiências como profissionais aptos a aproveitar as oportunidades do mundo do trabalho.

Segundo a professora Elba Karla Leão Silva, coordenadora do curso de Gestão de Recursos Humanos, “além da obrigatoriedade das leis, o gestor precisa trabalhar a empatia para com este profissional”. Por isso, os organizadores do simpósio vão apresentar “resultados de pesquisas, vídeos, entrevistas, discussões e palestras sobre o tema”. “Não podemos pensar em gestão de pessoas sem pensar na inclusão social”, concluiu a docente.

Página 1 de 1.3821...Última »