WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Terca-Feira, 12 de Dezembro de 2017
cenoe faculdade madre thais

VALEC FECHA ESCRITÓRIO EM ILHÉUS

Valeu tira escritório regional de Ilhéus. Imagem:

Valeu tira escritório regional de Ilhéus. Imagem: Elói Corrêa.

Do Pimenta.

A Valec decidiu fechar o escritório regional em Ilhéus. Vai transferir as atividades para a unidade em Jequié, no sudoeste baiano. A empresa federal é responsável pela construção da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), que deverá ligar Figueirópolis (TO) a Ilhéus (BA).

O fechamento da base ilheense resultará na demissão de oito funcionários terceirizados. Os 13 funcionários concursados e gerente regional serão transferidos para o sudoeste baiano.

A unidade movimenta, sozinha, quase R$ 1,5 milhão na economia ilheense e serve como elo institucional com a região e o próprio município sul-baiano, trecho final da ferrovia e onde será construído o Porto Sul, que, pelo projeto, escoará a produção de grãos e minérios transportados pela Fiol.

O processo de transferência de Ilhéus para Jequié deverá ser concluído até 21 de novembro, conforme apurado pelo Pimenta. A base em Ilhéus será fechada depois de sete anos.

A transferência gera desconfiança. O trecho compreendido entre Barra do Rocha e Ilhéus tem 36% do projeto já concluído. Região onde haverá maior demanda até a conclusão das obras. Ao contrário de Jequié e Tanhaçu, por exemplo, onde 86% e 91% das obras estão concluídas, respectivamente.

A empresa alegou redução de despesas, porém tem custo com base administrativa e com o canteiro da terceirizada Alta Engenharia, responsável pelo apoio às desapropriações ao longo do trecho da rodovia. Há quem veja até motivação política na decisão.

MARÉ CAUSA DANOS EM CABANAS NA REGIÃO SUL DE ILHÉUS

Parte de barraca cedeu com ressaca do mar, em Ilhéus (Foto: Divulgação/Defesa Civil )

Parte de barraca cedeu com ressaca do mar. Imagem: Divulgação/Defesa Civil

Nesse sábado (7), a maré subiu 2,30m na região Sul da orla de Ilhéus e cabanas de praia foram atingidas e ficaram parcialmente destruídas. Os empresários da área receberam ajuda de amigos para tentar conter as ondas, que chegaram a 3m, e evitar mais estragos.

A maré também provocou estragos na praia do Norte de Ilhéus. Parte do muro de uma casa que fica no Condomínio Joia do Atlântico desabou durante a madrugada. Ninguém se feriu.

O problema é recorrente na região da orla de Ilhéus. Relembre aqui.

Com informações do G1.

TEMPORADA DE CRUZEIROS COMEÇA DIA 12 DE OUTUBRO EM ILHÉUS

Arquivo InternetA temporada 2013/2014 de paradas de transatlânticos no Porto Internacional de Ilhéus começa no próximo dia 12. Assim como nos anos anteriores, o início da temporada é aguardada com expectativa pelos ilheenses, pois a chegada dos turistas dinamiza o comércio e aquece o setor de prestação de serviços.

Até o dia 8 de abril de 2014, serão 27 paradas de navios, que deverão trazer ao município cerca de 75 mil turistas. O resultado esperado é o aquecimento da economia local e o incremento da geração de renda para a cidade.

“Só para termos uma ideia aproximada do impacto dessas visitas, cada cruzeirista gasta, em média, a cada parada, em torno de 75 dólares, garantindo mais renda para a nossa gente”, afirma o secretário de Turismo de Ilhéus, Alcides Kruschewsky.

MINÉRIO DE FERRO NO PORTO DO MALHADO: MAIS UM DEVANEIO

Minério de ferro bate na porta da Avenida Soares Lopes.

O minério de ferro bate na porta da Avenida Soares Lopes.

Por Emílio Gusmão

A Bamin pretende utilizar o Porto do Malhado para escoar seu minério de ferro extraído em Caetité.

A informação divulgada pelos deputados estaduais que integram a Comissão do Porto Sul parece muito simples.

A empresa optou por outra via, até que o seu terminal privado fique pronto.

Infelizmente ou felizmente, a mudança não será tão fácil.

Para escoar minério pelo Malhado, será necessário outro licenciamento, com ampla discussão e mais estudos técnicos sobre possíveis impactos. Governo do estado e Bamin deverão promover novas audiências públicas. O processo será reiniciado do zero.

Muitos questionamentos sobre essa nova alternativa locacional (mesmo provisória) carecem de respostas.

Essa carga necessita de imensa área de estocagem. A área do Porto do Malhado (e da Avenida Soares Lopes) tem espaço suficiente?

A Ferrovia Oeste Leste vai entrar na zona urbana de Ilhéus até o Porto ou a Bamin pretende transportar minério por meio de carretas de Aritaguá até o Malhado?

A utilização de carretas é indicada nesse caso?

O certo é que o Governo do Estado e a Bamin estão envolvidos num gargalo jurídico.

A licença prévia do Porto Sul foi concedida ao Derba. Para que o Ibama libere a licença de instalação, os empreendedores devem cumprir as trinta e nove condicionantes.

O governo do estado (de orçamento apertado) possui baixa capacidade de investimento. Com o porto público assumiu responsabilidades com as mitigações. O não cumprimento também atrasa o terminal privado.

Para driblar a legislação, o governo do estado firmou nova parceria com a Bamin, por meio de uma sociedade de propósito específico. Agora, governo e mineradora são sócios.

Enquanto isso, a Bamin escoa pequenas quantidades de minério de ferro por Tubarão (ES). A empresa já utiliza a ferrovia Centro-Atlântica.

Encontramos num site especializado artigo recente sobre a ENRC (empresa que controla a Bamin). Perspectivas sobre mudanças de rumo nos próximos três anos, em relação ao Brasil, despertaram a nossa atenção. A ENRC já admite fazer uso das malhas ferroviária e portuária existentes no país.

A ferrovia Oeste-Leste ainda não existe e não tem data para ficar pronta. Considerando essa realidade, a utilização do Porto do Malhado pode ser um devaneio para confundir a opinião pública.

(mais…)

FIM DA GREVE DOS PORTUÁRIOS

Do Valor Econômico

Porto do Malhado - Ilhéus.

Porto do Malhado – Ilhéus.

Os portuários fecharam ontem acordo com o governo em torno da Medida Provisória 595, que altera o modelo do setor portuário. Segundo o deputado federal Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), que participa das negociações, os trabalhadores decidiram por fim à ameça de paralisação em todo o país programada para o dia 25.

O deputado, conhecido como Paulinho da Força, afirmou que um ponto pendente está relacionado ao Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo), que será extinto mas terá seu papel exercido com a criação de garantias aos trabalhadores, além de ter o seu corpo de funcionários absorvido pela estrutura do novo modelo.

Os dirigentes das federações dos trabalhadores portuários tiveram assegurados, de acordo com do líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), que a compensação pelo fim do Ogmo será inserida no texto da medida provisória.

Entre os pontos de consenso está o reconhecimento como categoria profissional diferenciada pelo Ministério do Trabalho de funções como estivador, conferência de carga, conserto de carga e vigilância de embarcações.

O governo aceitou ainda revisar o texto da MP admitindo a possibilidade de o contrato de concessão abranger a administração do porto.

O governo acatou também a exigência dos trabalhadores para que seja mantida a guarda portuária e que os trabalhadores tenham representação nos conselhos de autoridade portuária e de administração.

Os trabalhadores tiveram ainda garantia de direito a treinamento, qualificação, renda mínima e aposentadoria, tendo a inclusão da proibição do uso de mão de obra temporária. A votação da MP na comissão mista está prevista para 10 de abril.

TERMINAL DE PASSAGEIROS NA LISTA DE PROMESSAS

Terminal sairá do papel. Se seguir o ritmo de outras promessas, vai demorar.

Em Salvador desde o dia 27 participando de reuniões com representantes do governo estadual, o prefeito de Ilhéus, Newton Lima, confirmou que o terminal de passageiros do Porto do Malhado sairá do papel.

O projeto conceitual já está pronto, segundo A Região. O terminal será construído num terreno entre a Concha Acústica e o Porto, servindo para desafogar o único acesso aos navios, por onde pessoas e cargas desembarcam.

Após o conceitual, resta a aprovação para que seja transformado em projeto executivo, dentro dos padrões do ISPS Code (Código Internacional para proteção de Navios e Instalações Portuárias).

Segundo o projeto, além de facilitar o desembarque de passageiros, o terminal servirá de central de informações para turistas.

A promessa é que a obra seja inaugurada antes da alta temporada de 2013.

ILHÉUS É A MESMA DOS ANOS 70, LAMENTA SOCORRO MENDONÇA

Do site Porto Gente

Conhecida por ser uma das vozes mais ativas no combate ao projeto que previa a instalação do Porto Sul em Ilhéus, no Sul da Bahia, a presidente da ONG Ação Ilhéus, Maria do Socorro Mendonça, fez uma reflexão sobre os quase três anos de luta e embates com quem defendia a construção do porto na Ponta do Tulha. Segundo ela, o que chama mais atenção é o estágio atual de desenvolvimento da cidade de Ilhéus.

“O problema é que a Ilhéus de hoje é a mesma da década de 1970, carente do básico. Naquela época, a cidade tinha 66 mil habitantes. Hoje, são 180 mil usando a mesma infraestrutura. Lá, a BR-101 e o Porto do Malhado estavam sendo inaugurados. Agora, estão superados. O centro de Ilhéus foi ligado ao restante da cidade em 1966 por uma ponte que continua a mesma, gerando um caos no que se refere à mobilidade urbana, sem planejamento”.

Para a ambientalista, o que o Governo da Bahia oferece ao propor a instalação do Porto Sul na região é a opção de ir além do caos atual, agravando-o e tirando a possibilidade de se manter a qualidade ambiental local, sem poluição do ar e com uma movimentação de cargas que mudaria radicalmente a rotina do Sul da Bahia.

“O papel de todo cidadão é estar atento ao que planejam os nossos governantes, os quais são humanos e erram. Eu não lutei contra o Porto Sul, isso é um equívoco. A nossa luta é a favor de um modelo de desenvolvimento possível, respeitando as vocações naturais dessa região tão rica que é o Sul da Bahia. Encerro dizendo que toda cautela será pouca neste momento. Não temos vencedores ou vencidos, mas sinto um certo alívio porque os técnicos que contribuíram com o que afirmávamos estavam certos lá atrás”.

O Porto Sul não será mais construído na Ponta da Tulha. A intenção das autoridades baianas é erguê-lo em uma área de 48 milhões de metros quadrados no distrito de Aritaguá, também em Ilhéus.

PORTO SUL: ARITAGUÁ NÃO É ALTERNATIVA LOCACIONAL

Por Paulo Paiva

O anuncio de Aritaguá como alternativa do porto é um retrocesso perigoso, pois indica claramente que os técnicos do IBAMA, ao analisarem o projeto isoladamente, tende agora ao licenciamento, ainda que repleto de condicionantes, por considerarem resolvidos os principais impasses, os corais da Ponta da Tulha e o desmatamento, já que no trecho de Aritaguá, a vegetação é menos densa.

A APA da Lagoa Encantada e do Rio Almada deve ser respeitada como a lei determina. Ela é uma área de proteção ambiental reconhecida em todos os níveis, e um espaço destinado por políticas públicas anteriores para atividades de conservação, turismo sustentável e empreendimentos de baixo impacto ambiental.

Portanto, a alternativa locacional do Porto Sul apresentada pelo governo, também dentro da APA, não pode ser considerada porque continua a ilegalidade. Não podemos esquecer que essa licença determina a localização de uma geração de empreendimentos que irão desmatar, não sendo possível realizar uma análise isolada, sem um planejamento da ocupação em médio e longo prazo, visualizando o complexo de industriais que pretendem se instalar nos arredores dessa localização porto ferroviária.

(mais…)

ONGS PEDEM CAUTELA

Do Poder Online

Renato Cunha

A decisão do governador da Bahia, Jaques Wagner, de excluir definitivamente a Ponta da Tulha, em Ilhéus, como local para instalação do Porto Sul foi bem recebida pela coalização de 11 ONGs envolvidas na questão. Mas, o grupo ainda faz questão de registrar sua cautela. 

“Temos muitas dúvidas em relação à nova localidade e estamos abertos para discutir junto com a sociedade e com o governo essa possibilidade. Certamente houve um avanço, pois o olhar se voltou para a questão da preservação dos recifes de corais e da biodiversidade” – afirma Renato Cunha, coordenador-executivo do Grupo Ambientalista da Bahia (Gambá) e coordenador da Rede Sul.

Segundo Cunha, o novo local fica a apenas 5 km de distância da Ponta da Tulha. As ONGs pedem uma distância bem maior.

DRAGAGEM NO PORTO DO MALHADO

Até 2014, os Portos de Aratu, Salvador e Ilhéus, administrados pela Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba), receberão aproximadamente 1 bilhão de reais em investimentos provenientes do Governo Federal, iniciativa privada e recursos próprios da empresa.

Os projetos de modernização e ampliação dos portos serão mostrados na South America 2011, que acontece de 5 a 7 de abril, em São Paulo. É a primeira vez que a Companhia participa da feira.

De acordo com o presidente da Codeba, José Muniz Rebouças, os portos baianos registraram em 2010 cerca de R$ 97 milhões em faturamento e 9,27 milhões de toneladas de movimentação total, um recorde. “Os investimentos permitirão o crescimento futuro, pois vão aprimorar os serviços disponibilizados e atrair novos clientes”, afirma.

Em Ilhéus ocorrerá a ampliação do píer e tanques do terminal de granéis líquidos, dragagem e a modernização do porto.

Além do detalhamento dos investimentos, a participação na feira tem objetivo de mostrar as potencialidades e diferencias dos portos públicos da Bahia, como a estratégica posição geográfica dos terminais, afirma José Muniz Rebouças.

Informações A Tribuna

ILHÉUS PODE PERDER INSPETORIA DA SECRETARIA DA FAZENDA

Os governos federal e estadual, em suas propagandas, anunciam que Ilhéus será a cidade do desenvolvimento, já que terá uma zona de processamento de exportação (ZPE), um porto de exportação de minério de ferro, um novo aeroporto com zona alfandegária, etc e tal.

Por outro lado, a secretaria estadual da fazenda estuda a extinção da inspetoria de Ilhéus, repartição que faz a administração tributária e fiscal.

O monitoramento da arrecadação de impostos pode ser transferido para outra inspetoria, sediada em Vitória da Conquista.

A idéia foi defendida pelo auditor Itamar Gondim, que a pedido do secretário Carlos Martins, elabora uma nova arrumação para as inspetorias do interior.

Fica no ar uma pergunta: como pode uma cidade que terá equipamentos específicos para exportação, ficar sem uma inspetoria tributária?

Não resta dúvida, o governo do estado tem dois planos para Ilhéus, distintos, que não se encaixam, totalmente contraditórios.

PRIMEIRO EMBARQUE DE NÍQUEL DO PORTO DE ILHÉUS SERÁ NESTE SÁBADO

O primeiro embarque do níquel produzido pela empresa Mirabela Mineração do Brasil, na região de Itagibá, será feito neste sábado (15) pelo Porto Internacional de Ilhéus. Nessa primeira etapa serão embarcadas cerca de seis mil toneladas, que seguirão para a Finlândia.

A solenidade de embarque está prevista para as 9 horas da manhã. O minério será exportado para a empresa russa Norilsk, considerada a maior produtora do produto de níquel do mundo. O diretor-presidente da Mirabela, Luis Carlos Nepomuceno, disse que o desejo da empresa é de operar pelo Porto de Ilhéus por um prazo de 40 anos. Nessa primeira fase a previsão é de movimentar cerca de 40 mil toneladas por ano.

Informações do O Tabuleiro.

Página 1 de 21...Última »