Bebeto.

Na última terça-feira, 10, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, retirou da pauta o projeto de lei  9.463/2018 que dispõe sobre a desestatização da Eletrobras. A matéria autorizaria o plano de emissão de novas ações da empresa no mercado financeiro até que a União deixe de ter o controle. “Foi uma grande vitória conseguir impedir a venda do setor elétrico brasileiro, importante patrimônio nacional”, comemorou o deputado federal Bebeto (PSB/BA).

No mesmo dia, foi votado e aprovado o projeto de lei de conversão da Medida Provisória 827/18, que determina o aumento do piso salarial dos agentes comunitários de saúde e de combate às endemias, em cerca de  50% ao longo de três anos, além de dispor sobre a jornada de trabalho.

Para Bebeto, “foi um dia de duas importantes conquistas que contaram com o apoio determinante da luta e resistência popular e da organização da classe trabalhadora. Graças à soma destes esforços, conseguimos impedir a venda de mais um patrimônio nacional e, também, garantir os interesses da classe trabalhadora”, avaliou o parlamentar.

Nesta quarta-feira, 11, o projeto também foi aprovado no Senado Federal e agora depende da sanção do presidente Temer. Pela proposta, o piso passará, de forma gradual, dos atuais R$ 1.014 para R$ 1,5 mil mensais, em tês anos (até 2021).

De acordo com o projeto, o aumento no piso ocorrerá da seguinte maneira: Janeiro de 2019: R$ 1.250; Janeiro de 2020: R$ 1.400; Janeiro de 2021: R$ 1.550.