WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

vog torres do sul


transporte ilegal
setembro 2017
D S T Q Q S S
« ago    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

:: ‘Educação’

FOLHA DE S. PAULO É CONTRA AUMENTO DE RECURSOS PARA A EDUCAÇÃO

Imagem ilustrativa.

Imagem ilustrativa.

Em editorial publicado hoje (13), o jornal Folha de S. Paulo se posicionou contra o aumento de recursos públicos para a educação.

O texto dá a entender que o Brasil já investe o suficiente no setor. Nesse sentido, o que falta é melhorar o fatiamento do dinheiro. “Nas próprias verbas do ensino, cabe melhor distribuição, com maior ênfase no aprendizado básico”, diz o jornal. Leia a íntegra aqui.

ITABUNA: SECRETÁRIOS DE EDUCAÇÃO SE REÚNEM EM ENCONTRO DA CATEGORIA

IMAGEM

Nessa quarta-feira (7), Itabuna recebe o 3º Encontro do FORSEC (Fórum de Secretários de Educação da AMURC), que reúne secretários de educação e técnicos de municípios da região. O objetivo do evento é discutir a respeito da construção de um diagnóstico da educação municipal e do trabalho colaborativo entre municípios. 

O evento é uma iniciativa da Associação dos Municípios da Região Cacaueira da Bahia (AMURC), em parceria com o projeto RAE Bahia (Rede de Apoio à Educação, iniciativa dos Institutos Natura e Arapyaú) e com a Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).

EDUCAÇÃO REFORÇA DESIGUALDADE ENTRE BRANCOS E NEGROS, DIZ ESTUDO

Imagem do site Plataforma 9.

Imagem do site Plataforma 9.

Da Agência Brasil

A educação para brancos e negros é desigual no Brasil, segundo dados educacionais organizados pelo movimento Todos pela Educação. Os brancos concentram os melhores indicadores e é a população que mais vai à escola, conclui o estudo. São também os que se saem melhor nas avaliações nacionais. Para o movimento, a falta de oferta de uma educação de qualidade é o que aumenta essa desigualdade. O estudo foi divulgado hoje (18), dois dias antes do Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro.

Os negros, soma daqueles que se declaram pretos e pardos, pelos critérios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são maioria da população brasileira, 52,9%. Essa população, no entanto, ganha menos da média do país, que é R$ 1.012,25, segundo dados do IBGE de 2014. Entre os negros, a média de renda familiar per capita é 753,69 entre os pretos e R$ 729,50, entre os pardos. Os brancos têm renda média de R$ 1.334,30.

Os dados seguem apontando a desigualdade, o desemprego é maior entre os pretos (7,5%) e pardos (6,8%) que entre os brancos (5,1%). O trabalho infantil, maior entre pardos (7,6%) e pretos (6,5%), que entre brancos (5,4%).

As desigualdades sociais são reforçadas na educação.  A taxa de analfabetismo é 11,2% entre os pretos; 11,1% entre os pardos; e, 5% entre os brancos. Até os 14 anos, as taxas de frequência escolar têm pequenas variações entre as populações, o acesso é semelhante à escola. No entanto, a partir dos 15 anos, as diferenças ficam maiores. Enquanto, entre os brancos, 70,7% dos adolescentes de 15 a 17 anos estão no ensino médio, etapa adequada à idade, entre os pretos esse índice cai para 55,5% e entre os pardos, 55,3%.

No terceiro ano do ensino médio, no final da educação básica, a diferença aumenta: 38% dos brancos; 21% dos pardos; e, 20,3% dos pretos têm o aprendizado adequado em português. Em matemática, 15,1% dos brancos; 5,8% dos pardos e 4,3% dos pretos têm o aprendizado adequado.  

Em entrevista à Agência Brasil, a presidente executiva do movimento Todos Pela Educação, Priscila Cruz, diz que os indicadores são resultado de uma educação de baixa qualidade que não é capaz de fazer com que os estudantes superem as diferenças sociais. Segundo ela, os estudantes mais vulneráveis têm também acesso a escolas com as piores infraestruturas e ensino.

Leia a seguir os principais trechos da entrevista: 

:: LEIA MAIS »

ESCOLA SEM PARTIDO, PAÍS SEM NOÇÃO

wilson gomesPor Wilson Gomes/publicado no Facebook

Sempre achei meio idiota gente de esquerda que resolvia medir a inclinação da mídia, o viés conservador dos livros didáticos ou das representações sociais nos filmes e novela. Com que régua se pode medir tal coisa, gente? Como aferir, de forma legítima, o ponto de equilíbrio exato para se estabelecer uma valência adequada? Em que universo social a neutralidade é um conceito que se possa estabelecer com um nível adequado de confiabilidade?

Pois com o tal projeto da “Escola sem partido” a direita conservadora resolveu superar a esquerda radical também no quesito maluquice. Querem um “professor neutro” e um “ensino neutro”. Isso mesmo! Com todas as letras. O conceito de “professor neutro” é uma versão piorada do já esdrúxulo conceito de “mídia neutra”. Quem mede a neutralidade? O militante? Será, então, a neutralidade calibrada segundo o meu gosto pessoal e as minhas preferências sociais e políticas. E quanto mais radical eu sou, mas tendencioso, para o lado oposto, será visto o outro. Claro.

:: LEIA MAIS »

REDA: GOVERNO BAIANO CONVOCA MAIS MIL PROFESSORES

Mais-professorA secretaria de educação da Bahia convocou mais 1.015 professores selecionados para contratação temporária por meio do Re­gime Es­pe­cial de Di­reito Ad­mi­nis­tra­tivo (Reda). Todos vão atuar na rede básica de ensino.

Acesse a lista neste link.

Os convocados têm prazo de dez dias para se apresentarem nos núcleos regionais de educação para os quais se inscreveram.

PROGRAMA VAI CRIAR NOVE MIL VAGAS DE ESTÁGIO NA BAHIA

Rui Costa cumprimenta o MC Feijão no Fórum [B+]. Imagem: Manu Dias/GOVBA.

Rui Costa cumprimenta MC Feijão no Fórum [B+]. Imagem: Manu Dias/GOVBA.

O governador Rui Costa (PT) anunciou hoje (25) que vai lançar em breve o programa Primeiro Estágio, Primeiro Emprego. O governo prevê a criação de nove mil vagas de estágio em toda a Bahia por meio do projeto

As oportunidades vão ser oferecidas por órgãos e empresas do Estado aos estudantes que concluírem o nível médio em escolas estaduais. Além da remuneração mensal, os jovens terão direito a benefícios como plano de saúde durante o contrato de dois anos.

O critério para a seleção vai ser o desempenho dos alunos nos três anos do ensino médio e técnico. “Quem vai cuidar da informática, da biblioteca da escola é o aluno egresso da rede estadual. Quem vai trabalhar como técnico de enfermagem nos nossos hospitais são os alunos e alunas da nossa rede estadual”, disse o governador ao adiantar que o programa será financiado com recursos do Fundo de Combate à Pobreza.

Segundo ele, o projeto de lei será enviado em breve para a Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), juntamente com a proposta que cria uma bolsa de auxílio financeiro para alunos de escola pública que alcançam a universidade. A proposta também prevê vagas de estágio superior para estudantes das quatro universidades estaduais.

Rui apresentou as novidades no Fórum [B+], em Salvador. No encontro, também lançou o selo “Amigo da Educação”, que será concedido às empresas que investirem nas escolas públicas.

DEZ PERGUNTAS

Cid BenjaminPor Cid Benjamin/publicado hoje (16) no jornal O Dia

O governo Dilma defende as medidas de arrocho como a única forma de o país sair da crise. Mas outros caminhos podem ser adotados. A saber:

1. Taxa de juros. O Brasil tem os maiores juros do mundo. Eles aumentam a dívida pública, que atingiu R$ 3,3 trilhões, e tem, em sua maior parte, juros pós-fixados. A alta de meio ponto eleva a dívida em até R$ 10 bilhões. O Orçamento prevê rolagem de R$ 1,356 trilhão. Isso é 47% do que o país arrecadará. Para a Saúde ficaram só 3,98%; para a Educação, 3,73%. Por que juros assim se eles se voltam contra o país?

2. Imposto sobre grandes fortunas. A Constituição o prevê. Como precisa ser regulamentado por lei complementar, desde 1988 está congelado no Congresso. Por quê?

3. Imposto sobre Operações Financeiras. Houve aumento de 15% para 20% do IOF, pago pelos bancos. Mas é pouco. Por que uma alíquota de 20% para eles e outra de 27,5% no Imposto de Renda do assalariado que ganha acima de R$ 4.664 por mês?

4. Isenção para o agronegócio. Exportadores de soja têm isenção de impostos de exportação. Por quê?

5. Imposto sobre exportação de minérios. Firmas como a Vale pagam só 4% de imposto. Por quê?

6. IPVA. Quem tem carro paga. Quem tem iate, jatinho ou helicóptero está isento. Por quê?

:: LEIA MAIS »

PROGRAMA ESTADUAL VAI GARANTIR ESTÁGIO PARA ESTUDANTES

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), anunciou hoje (5) que o governo lançará programas sociais para garantir oportunidades de estágio e o primeiro emprego para estudantes do todo o estado. O petista fez o anúncio durante o programa “Diga aí, governador” dessa terça-feira. Assista.

RETORNO ÀS AULAS EM 27 DE ABRIL?

FOTO JULIO GOMESPor Julio Gomes/Publicado hoje (27) no Facebook

Parece mentira ou brincadeira. Mas não é. A rede pública municipal de ensino de Ilhéus iniciou hoje, dia 27 de abril, o ano letivo referente a 2015.

Como se sabe, por conta dos dias sem aula no ano passado, relacionados tanto à Copa do Mundo da FIFA quanto à greve dos professores do Município de Ilhéus, o ano letivo de 2014 só terminou no final de fevereiro de 2015. Após um mês de necessárias, urgentes e curtas férias – que decerto não propiciaram o devido descanso nem aos professores nem aos alunos – reiniciam-se os estudos, sem alarde, pois ninguém propagandeia o que é vexatório.

Não se trata aqui de recriminar aos professores em seu sagrado direito de greve, que frequentemente se torna a única alternativa para pressionar patrões – neste caso o prefeito, mas poderia ser o governador ou mesmo a presidente – para que negocie e conceda à categoria os reajustes necessários à obtenção ou manutenção de uma remuneração digna.

Trata-se, isto sim, de avaliar como se encontra a Educação Pública em nosso município, em nosso país, e seus reflexos sobre o conjunto da sociedade.

No Estado da Bahia, a situação do ensino público não é muito diferente. As escolas estaduais iniciaram o ano letivo na data prevista, em fevereiro, só que, logo de cara, passaram mais de duas semanas sem funcionar, por conta do não pagamento ao pessoal de apoio da educação: merendeiras, auxiliares de limpeza, censores, porteiros etc.

Após isto tivemos, no estado, mais uma semana perdida para a “montagem do horário”, algo que assisto há inacreditáveis 23 anos, ou seja, desde 1992, quando passei a lecionar nas turmas de ensino básico e de nível médio da rede estadual.

:: LEIA MAIS »

BRASIL LIDERA RANKING DE VIOLÊNCIA CONTRA PROFESSORES

Imagem: BBC Brasil.

Imagem: BBC Brasil.

Da BBC Brasil

Uma pesquisa global feita com mais de 100 mil professores e diretores de escola do segundo ciclo do ensino fundamental e do ensino médio (alunos de 11 a 16 anos) põe o Brasil no topo de um ranking de violência em escolas.

Na enquete da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), 12,5% dos professores ouvidos no Brasil disseram ser vítimas de agressões verbais ou de intimidação de alunos pelo menos uma vez por semana.

Trata-se do índice mais alto entre os 34 países pesquisados – a média entre eles é de 3,4%. Depois do Brasil, vem a Estônia, com 11%, e a Austrália com 9,7%.

Na Coreia do Sul, na Malásia e na Romênia, o índice é zero.

:: LEIA MAIS »

TRÊS DIAS DE PARALISAÇÃO NA REDE ESTADUAL DE ENSINO

Colégio Estadual Padre Luiz Palmeira. Imagem: Thiago Dias/Blog do Gusmão.

Colégio Estadual Padre Luiz Palmeira, em Ilhéus. Imagem: Thiago Dias/Blog do Gusmão.

Os professores da rede estadual de ensino paralisaram suas atividades nessa quarta-feira (15), a exemplo de outras categorias que protestam contra o projeto de lei (4330/04) que autoriza empresas a terceirizar qualquer atividade.

Os docentes decidiram repetir a paralisação nos próximos dias 24 e 30. Além do debate nacional sobre a terceirização, os professores da rede estadual tentam sensibilizar o governo Rui Costa (PT) a negociar o reajuste salarial da categoria. A informação foi confirmada pela presidenta da APPI-APLB/Sindicato, Enilda Mendonça, durante participação no Programa Gil Gomes (Rádio Santa Cruz) dessa quarta-feira.

Em Ilhéus, o governo baiano ainda enfrenta protestos dos servidores da saúde. Hoje o Hospital Geral Luiz Viana Filho atenderá apenas casos de emergência. Os trabalhadores também reivindicam o reajuste salarial de 2015.

A RESPOSTA NECESSÁRIA À PSEUDO PÁTRIA EDUCADORA

Diego britoPor Diego Brito

A cada dia que se passa no ano de 2015 se intensificam as disputas políticas em nosso país. Assim sendo, este ano vem se mostrando como um grande divisor de águas, sobretudo para o projeto político, em destaque por estar no poder há 12 anos, do Partido dos Trabalhadores. Nesse burburinho todo que se tornou a vida política brasileira, a educação, um dos setores primordiais para a nação, vem sendo protagonista, não por ações benéficas dos governos em vigor para seu desenvolvimento, mas sim pelos seguidos ataques que vem recebendo e, igualmente, pela grande combatividade de diversos setores em sua defesa, como as greves que recentemente assolaram os estados do Paraná e de São Paulo. Nosso estado não fica aquém destes acontecimentos, o discurso explicitado pelo governo federal ressoa também por terras baianas, a crise que aflige o executivo faz com que seja necessário cortes cada vez mais intensos para garantir que o governo feche a conta, ou seja, não há grana pra bancar setores essenciais à população, embora diversas vezes somos surpreendidos com decretos dos deputados da Assembleia Legislativa que resolvem aumentar suas verbas de gabinetes, ou em atos de “solidariedade” onerarem o estado com pensões vitalícias aos ex-governadores.

Neste contexto, após anos de uma política que tinha como único intuito sucatear a educação pública superior em nosso estado, professores das quatro universidades estaduais da Bahia (UEBA’s) marcham para uma greve, que se há tempos tinha em sua raiz questões salariais, hoje tem como principal intuito a defesa por uma educação pública e de qualidade. Sem se ater muito aos números, mas utilizando-se da representatividade dos mesmos, em dois anos, como nunca havia acontecido antes na história desse estado (parafraseando o líder-mor do PT, Lula), o governo efetuou cortes nas verbas de custeio e manutenção das universidades, em 2015 houve a redução de 7 milhões, acumulando 19 milhões neste período. Ao invés de se colocar à disposição do movimento para dialogar, o governo adotou a tática de colocar o movimento contra a população, lançando seguidas notas alegando o crescimento no orçamento geral das instituições, sem elencar que este aumento é consequência de ganhos salariais e novas contratações, já que a universidade cresceu neste período, mas a verba para mantê-la e custeá-la, não. Desde o ano passado as manifestações em defesa da educação superior vêm crescendo através de um movimento unificado, em que os três setores que constroem as universidades, professores, estudantes e servidores técnicos administrativos, reivindicam, principalmente, que sejam destinados 7% da Receita Liquida de Impostos (RLI) para a educação superior e a revogação da lei 7176/97, que tira a autonomia político/financeira das universidades.

:: LEIA MAIS »

RUI COSTA DEFENDE PACTO PELA EDUCAÇÃO

Governador Rui Costa e Edmundo Filho. Imagem: Manu Dias/Gov-BA.

Governador Rui Costa e Edmundo Filho. Imagem: Manu Dias/Gov-BA.

No programa “Diga aí, Governador!” dessa terça-feira, 31, o governador Rui Costa defende o projeto “Educar Para Transformar – Um Pacto pela Educação”, lançado ontem (30) pelo governo estadual. Ouça.

ESTUDANTE ILHEENSE DISPUTA PRÊMIO NACIONAL DE CIÊNCIAS

Stephanie Lauren.

Stephanie Lauren.

Stephanie Lauren Oliveira tem 17 anos e está no último ano do ensino médio do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) Álvaro Melo Vieira. Além das atividades escolares normais, ela desenvolve uma pesquisa científica no curso técnico de biocombustíveis. Seu trabalho pretende diminuir o tempo de degradação das sacolas plásticas. A técnica utiliza micro-organismos do solo capazes de acelerar o processo de decomposição.

O projeto da estudante ilheense concorre na categoria de Ciências Biológicas da 13° Feira Brasileira de Ciência e Tecnologia-FEBRACE. O evento será realizado amanhã (17) na Universidade de São Paulo. Steephanie viajou hoje para a capital paulista. As orientadores Margarete Araújo e Ana Clara Melgaço acompanharam a jovem.

O trabalho da estudante pode nos ajudar a reduzir a poluição ambiental que mata milhares de espécies animais e vegetais todos os anos. Gostou do projeto? Clique aqui e curta a página da pesquisa no FEBRACE. Sua “curtida” pode garantir o prêmio da votação popular para Stephanie.

Assista ao vídeo da estudante sobre o projeto.

 

 

ESCOLA DO JAPU COMPLETA PROJETO SOBRE AGRICULTURA FAMILIAR

Ciclo de atividades do projeto envolveu diversas comunidades rurais de Ilhéus.

Ciclo de atividades do projeto envolveu diversas comunidades rurais de Ilhéus.

A Escola Nucleada do Japu, distrito de Ilhéus, completou o projeto “Agricultura Familiar – plantando e colhendo saberes”. O ciclo de atividades começou em julho de 2014 e acabou em fevereiro.

A diretora Kaliane Soares refletiu sobre a importância do projeto. “Que Deus nos ilumine para que possamos, a cada dia, mostrarmos que o campo tem o que mostrar, que não apenas de conhecimento científico vive o homem e que a cultura popular é capaz de tornar o aprendizado significativo”.

O projeto envolveu as comunidades do Japu, Assentamento São Bento, Assentamento APAUT, Cerrado, Repartimento, Piaçaveira e Maria Jape.

Segundo a diretora, “com o desenvolvimento do projeto, percebemos que o processo de ensino e aprendizagem torna-se mais evidente quando família e escola encontram o significado do saber”.

PREFEITURA DE SÃO PAULO VAI PAGAR SALÁRIO PARA TRAVESTIS ESTUDAREM

Aline Rocha voltará a estudar graças ao programa da Prefeitura de SP. Foto: Fernando Donasci/Agência O Globo.

Aline Rocha voltará a estudar graças ao programa da Prefeitura de SP. Foto: Fernando Donasci/Agência O Globo.

De O Globo

A prefeitura de São Paulo anunciará no fim do mês a criação de uma bolsa de um salário mínimo mensal (R$ 788) para que, inicialmente, cem travestis e transexuais da capital voltem a estudar e se matriculem em cursos técnicos do Pronatec. Para receber o salário do município, as beneficiárias terão que comprovar presença nas aulas. A exigência é semelhante à do principal programa de transferência de renda do governo federal, o Bolsa Família. A iniciativa é inédita no Brasil e na América do Sul e custará cerca de R$ 2 milhões aos cofres públicos em 2015. O valor é três vezes maior do que o orçamento do próprio governo federal para ações voltadas ao público LGBT no ano passado.

– O Brasil é o país que mais mata travestis no mundo. Mata quatro vezes mais do que o México, o segundo mais violento. Essas pessoas nunca foram tratadas como cidadãs, sempre foram empurradas para as ruas pelas famílias, pela escola e pela sociedade. Queremos tratá-las como gente, com a opção de se prostituir ou não – afirma Rogério Sottili, secretário de Direitos Humanos do município, responsável pela coordenação do programa.

A ideia é prioritária para o prefeito Fernando Haddad, que pessoalmente pediu a elaboração do programa. A mãe de Haddad vive em uma zona de prostituição de travestis. O confronto cotidiano com a realidade teria gerado a urgência no prefeito.

:: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia