secom educacao embasa


maio 2016
D S T Q Q S S
« abr    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

:: ‘Mário Negromonte’

PARTIDO DE JABES RIBEIRO É CAMPEÃO DA LAVA JATO

Jabes nunca foi citado nas investigações da Lava Jato. Contudo, Mario pai (na foto) e Mario Filho estão embolados.

Jabes nunca foi citado nas investigações da Lava Jato, porém, seus aliados Mario pai (na foto) e Mario Filho estão embolados.

A legenda do prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, hospeda 32 dos 51 políticos investigados por envolvimento no esquema de propinas da Petrobras. Nessa quarta-feira, 7 dos 32 políticos do PP que são investigados pela Lava Jato foram denunciados no Supremo Tribunal Federal pelos crimes de corrupção passiva e ocultação de bens.

Os acusados são os deputados Arthur Lira, José Otávio Germano, Luiz Fernando Faria, Mario Negromonte Jr. e Roberto Brito (aliados de Jabes), além dos ex-deputados João Alberto Pizzolatti e Mário Negromonte –  que já foi ministro das Cidades.

A suspeita contra eles é que todos se beneficiaram dos desvios praticados por Paulo Roberto Costa da diretoria de Abastecimento da Petrobras. Esse ex-diretor e o doleiro Alberto Yousseff delataram o esquema para os investigadores e admitiram que destinavam os recursos principalmente para membros do Partido Progressista, de quem Costa era afilhado político.

Além da Lava Jato, filiados do PP já foram flagrados no mensalão petista (inclusive com condenações) e em desvios de recursos na Prefeitura de São Paulo (SP), de nepotismo no Governo de Roraima, de irregularidades no Ministério das Cidades e de suspeita de lavagem de dinheiro na Prefeitura de Campo Grande (MS).

Com informações do El País.

MÁRIO NEGROMONTE É RELATOR DE PROCESSO CONTRA JABES NO TCM

Mário Negromonte e Jabes Ribeiro.

Mário Negromonte e Jabes Ribeiro.

O ex-ministro Mário Negromonte é o conselheiro responsável pela relatoria de um processo contra o prefeito Jabes Ribeiro (PP) no Tribunal de Contas dos Municípios.

Negromonte é um dos principais nomes do Partido Progressista na Bahia. Seu filho, Mário Negromonte Júnior, foi eleito deputado federal em 2014 com o apoio irrestrito de Jabes, secretário geral do partido no estado. A família Negromonte ganhou visibilidade nacional após as investigações da Lava Jato. Adarico Negromonte, irmão de Mário, chegou a ser preso no ano passado.

Os ex-conselheiros municipais de saúde Jorge Luiz e Enilda Mendonça foram os autores da denúncia que originou o processo.  Eles suspeitam que o governo Jabes desviou verbas federais para contas “identificadas como de recursos próprios” para maquiar o suposto subfinanciamento do SUS.

A legislação obriga a prefeitura a investir pelo menos 15% dos recursos próprios nos serviços de saúde. A suspeita é de que o governo não cumpriu a determinação e usou verbas do Ministério da Saúde para esconder a falha. Na última semana, Jorge e Enilda prestaram depoimento à Polícia Federal sobre a denúncia.

LAVA JATO: PF NAS CASAS DE JOÃO LEÃO E MÁRIO NEGROMONTE

João Leão e Mário Negromonte.

João Leão e Mário Negromonte.

A Polícia Federal cumpre nessa manhã (14) onze mandados de busca e apreensão na Bahia, no âmbito das operações Lava Jato e Politeia. Dois caciques do PP baiano estão na mira das investigações, o vice-governador e ex-deputado João Leão e Mário Negromonte, conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios e ex-ministro das cidades.

Adarico Negromonte, irmão do ex-ministro, se entregou à polícia em novembro de 2014, durante a sétima fase da Operação Lava Jato. Nessa manhã, a PF revistou a residência de Mário Negromonte no prédio Maurice Ravel, no Alto do Itaigara, em Salvador, além do gabinete do conselheiro no TCM.

João Leão declarou que estava “cagando e andando” quando seu nome apareceu na delação premiada do doleiro Alberto Youssef. Ele é um dos investigados pela Operação Politeia, decorrente de inquéritos da Lava Jato e específica para os políticos com foro privilegiado. Agentes federais cumprem mandado de busca e apreensão na sua casa, no condomínio Foz do Joanes, em Buraquinho.

Com informações do Bahia Notícias.

INCLUSÃO DE NEGROMONTE E LEÃO NA LAVA JATO CRIA SUSPENSE ENTRE JABISTAS

"Leãozinho", Jabes e Negromonte.

“Leãozinho”, Jabes e Negromonte.

A Procuradoria Geral da República encaminhou pedido de abertura de inquérito ao Supremo Tribunal Federal contra políticos investigados pela operação “Lava Jato”. A lista de correligionários do prefeito Jabes Ribeiro é grande e inclui dois caciques do PP baiano: Mário Negromonte (conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios) e João Leão, vice-governador da Bahia.

Muitos jabistas estão apreensivos. A oposição, por sua vez, torce para que Jabes seja citado. Por enquanto não há qualquer indício contra o prefeito.

Jabes é secretário geral do PP na Bahia. Mais um ingrediente para o caldeirão de dúvidas que ferve na cabeça dos ilheenses.

Jabes é muito próximo de Mário Negromonte. Apoiou sua candidatura a deputado federal em 2010. Na eleição de 2014, ajudou o filho dele, Mario Negromonte Junior, a se eleger para o mesmo parlamento.

A relação de Jabes com Mário pai ultrapassa a impessoalidade da política. Eles são amigos. A dupla é bem entrosada com a cultura agropecuária. Antes de reassumir a Prefeitura de Ilhéus, JR participou de leilões de gado de raça no “Canal do Boi” ao lado de Negromonte e do pecuarista Jaime do Amor.

A proximidade entre o vice-governador e o prefeito também é considerável. Em 2013, Jabes atendeu um telefonema de Leão no Palácio Paranaguá. O correligionário ligou para reclamar por não ter sido convidado para a primeira edição do “Aleluia Ilhéus”. JR acalmou o amigo: “Eu mandei o convite, Leãozinho. Deixe de calundu, Leãozinho!”.

IRMÃO DE MÁRIO NEGROMONTE SE ENTREGA À POLÍCIA FEDERAL

Adarico Negromonte. Imagem: Zanone Fraissait/Folhapress.

Adarico Negromonte. Imagem: Zanone Fraissait/Folhapress.

Adarico Negromonte Filho se entregou hoje (24) à Polícia Federal. O último foragido da Operação Lava Jato se apresentou à polícia em Curitiba, acompanhado por duas advogadas, informa a Folha de S. Paulo. Ele é irmão do ex-deputado federal e ex-ministro (Cidades) Mário Negromonte (PP), conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (BA).

A defesa do preso foi rápida e já pediu a revogação da prisão. Segundo as advogadas de Adarico, ele colaborou com a polícia, tem idade avançada (68 anos) e estado saúde “delicado”. Perguntada sobre as acusações que pesam contra seu cliente, a advogada Joyce Roysen disse apenas que Negromonte Filho “prestou esclarecimentos à justiça”, mas, não deu detalhes sobre o depoimento. 

PF TENTA PRENDER IRMÃO DE MÁRIO NEGROMONTE

Mario Negromonte: cacique do PP e aliado do prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro.

Mario Negromonte: cacique do PP e aliado do prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro.

Do Bocão News

Adarico Negromonte Filho, irmão do conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios e ex-ministro das Cidades, Mário Negromonte, é um dos procurados pela Polícia Federal na Operação Lava Jato.

O doleiro Alberto Youssef, um dos alvos da operação, usava o irmão do ex-ministro para transportar dinheiro – algumas vezes dentro de malas – para agilizar a lavagem de dinheiro.

A denúncia é do Ministério Público Federal e da Polícia Federal. Ambas instituições descreveram o papel dos ‘mulas’ da lavanderia criada por Youssef. Em um depoimento prestado pela ex-contadora do doleiro na CPI da Petrobras, Meire Poza confirmou que Youssef pagou propina ao governo do Maranhão, em troca do recebimento de precatórios para a construtora Constran, que tinha R$ 120 milhões a receber do governo maranhense.

Ainda segundo Meire Poza, Adarico Negromonte Filho entregou diretamente ao governo do Maranhão R$ 300 mil, que seriam parte da propina. Um assessor reclamou a Adarico que o valor era pouco e que teria que consultar Roseana Sarney (governadora).

JOSIAS GOMES: ALIANÇA COM NEWTON LIMA E MANDATO POUCO EXPRESSIVO

Josias Gomes.

Josias Gomes.

O Blog do Gusmão continua nesta terça-feira (12) a série de matérias mostrando o empenho de deputados federais em trazer melhorias para Ilhéus.

Ontem (segunda, 11), publicamos um apanhado do mandato do deputado Mário Negromonte (veja aqui), o pepista foi o que mais angariou votos na cidade.

Seguindo a ordem decrescente de votos na cidade, hoje mostraremos o desempenho de Josias Gomes, do PT.

Dos 84.349 votos que precisou para se eleger, o petista conseguiu em Ilhéus 5.296.

Por causa da considerável votação na cidade, o deputado pretendia se candidatar a prefeito de Ilhéus na eleição de 2012.

Até esta terça-feira (12), Josias Gomes protocolou 26 documentos no Congresso. A grande maioria requer informações de órgãos do executivo.

Na relação dos documentos, dois Projetos de Lei: um que pretende “vedar a aquisição de leite importado no âmbito da administração pública direta e indireta” e outro que “institui o salário adicional de periculosidade para os vigilantes e empregados em transporte de valores”.

Destinada a Ilhéus, poucas ações. Em seu site de mandato (acesse aqui), Josias demonstra possuir bases eleitorais por toda a Bahia.

Na mesma página, sua assessoria divulgou esforços do deputado em busca de verbas e investimentos junto ao governo estadual para a cidade. Desde 2011, foram reuniões com o governador Jaques Wagner e secretários de estado. Os resultados práticos desses encontros geram questionamentos.

Josias é considerado ator principal da articulação que trouxe para o PT o então prefeito de Ilhéus, Newton Lima, em outubro de 2011. Na época, Josias afirmou que a filiação do gestor traria novos ares para o município.

Com pouca expressividade em Brasília e bases espalhadas pela Bahia, Josias não poupa gastos com fretamento de aeronaves e emissão de bilhetes.

Informações públicas disponíveis no site da Câmara Federal mostram que o parlamentar gasta, em média, 25 mil reais por mês da cota que tem direito. Na lista de despesas, além dos gastos com transporte aéreo, há despesas com telefonia, gasolina e material para escritório.

A assessoria de Josias Gomes não retornou o e-mail que este blog enviou, no dia 18 de fevereiro, solicitando informações sobre o mandato. 

MÁRIO NEGROMONTE: VOTAÇÃO EXPRESSIVA E BAIXO DESEMPENHO EM PROL DE ILHÉUS

Mário Negromonte.

Mário Negromonte.

O Blog do Gusmão inicia nesta segunda-feira (11) uma série de matérias mostrando o desempenho de deputados federais que angariaram considerável quantidade de votos em Ilhéus na eleição de 2010.

Na lista dos bem votados na cidade, destacam-se os petistas Josias Gomes, Rui Costa e Geraldo Simões; Mário Negromonte (PP); o bispo Márcio Marinho, do PRB; ACM Neto (DEM); e Alice Portugal, do PCdoB.

Dos sete, o pepista Mário Negromonte foi o que mais obteve votos em Ilhéus. Foram 5.898. A votação expressiva na cidade pode ser creditada ao atual prefeito, Jabes Ribeiro, seu correligionário e cabo eleitoral na eleição de 2010.

Apesar de eleito para a câmara federal, em dezembro de 2010 Negromonte foi indicado pelo seu partido para ocupar o Ministério das Cidades.

Comandou a pasta, responsável por tocar obras de saneamento, moradia e transporte, até fevereiro de 2012. Deixou o cargo acusado de irregularidades não comprovadas.

De volta ao mandato de deputado federal em 2012, Mário Negromonte apresentou nove documentos à mesa diretora da câmara até esta segunda-feira (11). Foram requerimentos, projetos de lei e decretos legislativos (veja aqui).

Entre as ações, nenhuma atinge diretamente Ilhéus. O parlamentar e ex-ministro não possui página na internet para a população ter acesso às suas atividades legislativas.

Apesar da aparente baixa produtividade em Brasília, o parlamentar gasta, em média, 30 mil reais mensais com telefone, hospedagem, viagens e combustíveis, segundo informações divulgadas pela câmara dos deputados.

No dia 18 de fevereiro, este blog enviou e-mail à assessoria do deputado pedindo dados sobre o mandato, mas não obteve resposta.

NEGROMONTE VAI ENTREGAR MINISTÉRIO

Negromonte: de saída.

O ministro das Cidades, Mário Negromonte, comunicou ao seu grupo político no PP que entregará o cargo amanhã (quinta-feira, 02), segundo a Folha de São Paulo.

A carta de demissão será entregue à presidente Dilma Rousseff em uma audiência no Palácio do Planalto. O baiano afirmou à pessoas próximas que não tem mais condições “políticas e pessoais” de continuar no posto.

Negromonte já vinha balançando no cargo há muito tempo, por suspeitas de irregularidades. O quadro do ministro se agravou na semana passada, quando jornais revelaram a participação dele e do secretário-executivo, Roberto Muniz, em reuniões fechadas com empresários interessados num projeto do ministério.

A notícia derrubou o chefe de gabinete do ministro, Cássio Peixoto, na quarta-feira. Muniz também deve sair. O líder do partido na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PB), é o mais cotado para o ministério.

OS OUTROS QUE SE CUIDEM, O PT VEM AÍ

O Partido dos Trabalhadores tem um apetite insaciável por cargos, ainda mais quando se trata do comando de um ministério.

Esse é o medo do PDT, que viu o ministro Carlos Lupi deixar a pasta do Trabalho no último domingo (04), e corre para indicar outro quadro da legenda antes que a companheirada assuma o comando.

E não é somente o PDT que precisa ficar de olho, o Partido Progressista também está em alerta. Segundo o Correio Braziliense, o PT já reivindica também, para a reforma ministerial de janeiro de 2012, o comando do Ministério das Cidades, dirigido hoje por Mário Negromonte (PP).   

NEGROMONTE CHORA E ADMITE ENTREGAR CARGO

O Ministro das Cidades, Mário Negromonte, do PP baiano, se emocionou ao discursar durante um evento, na sexta-feira (25), em Salvador, e afirmou que pode deixar o cargo caso sua permanência cause desconforto à presidente Dilma Rousseff.

O ministério de Negromonte foi denunciado por suspeita de irregularidades no processo de mudança do modal de transporte de Cuiabá, uma das sedes da Copa de 2014 (lembre aqui).

Durante evento em Salvador, ele recebeu apoio de políticos baianos, e chegou a chorar enquanto os agradecia.

Negromonte contou que já foi tranqüilizado por Gilberto Carvalho, Secretário Geral da Presidência, sobre sua permanência no cargo.

Negromonte atribuiu as denúncias a aliados descontentes com a atuação da pasta e também à discriminação contra nordestinos.

Informações da Folha.

ILHÉUS TERÁ MAIS 2 MIL RESIDÊNCIAS DO MINHA CASA, MINHA VIDA

Wagner assina convênio com o ministro Negromonte.

O governador Jaques Wagner assinou, ontem (sexta-feira, 25) em Salvador, mais um convênio com o Ministério das Cidades para assegurar a construção de 160 mil casas do programa Minha Casa, Minha Vida.

Juntamente com o ministro Mário Negromonte, Wagner lembrou que a Bahia foi campeã em habitação na última etapa do programa e que deve manter a posição nessa nova fase.

Em Ilhéus, segundo o ministro, serão construídas mais 2 mil residências, que poderão ser adquiridas por famílias com renda de zero até três salários mínimos.

MINISTÉRIO DAS CIDADES FORJOU DOCUMENTOS PARA FECHAR ACORDO POLÍTICO

Negromonte respaldou documentos forjados, segundo o Estadão.

O Ministério das Cidades, segundo o Estadão, com o respaldo do seu titular, Mário Negromonte, aprovou uma fraude para respaldar tecnicamente um acordo político que mudou o projeto de infraestrutura da Copa do Mundo de 2014 em Cuiabá (MT).

Documento forjado pela diretora de Mobilidade Urbana da pasta, com autorização do chefe de gabinete do ministro, Cássio Peixoto, adulterou o parecer técnico que vetava a troca de uma linha rápida de ônibus (BRT) pela construção de um Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) em Cuiabá.

Com a fraude, o Ministério das Cidades passou a respaldar a obra e seu custo subiu para R$ 1,2 bilhão, R$ 700 milhões a mais do que o projeto original.

Para tanto, a equipe do ministro Mário Megromonte operou para esconder o estudo interno que alertava para os problemas de custo, dos prazos e da falta de estudos comparativos sobre as duas mobilidades de transporte.

O novo projeto de Cuiabá foi acertado pelo governo de Mato Grosso com o Palácio do Planalto. A estratégia para cumpri-lo foi inserir no processo documento forjados a favor da proposta de R$ 1,2 bilhão. 

A INÉRCIA DE NEWTON LIMA

O Ministro das Cidades, Mário Negromonte, esteve em Ilhéus na última semana e revelou o motivo da ausência de grandes obras para a cidade.

Negromonte afirmou ao radialista Gil Gomes que falta interesse do prefeito Newton Lima: “Ele não nos procura”.

O ministro do PP ainda salientou os convênios fechados com o prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, lembrando que quando Newton precisar, as portas do ministério estarão abertas. Basta ele se mover.

No café da manhã que o ministro promoveu na cidade, vários prefeitos apareceram, menos o comandante do Paranaguá.

BAIANOS DE SAÍDA

Florence e Negromonte na esteira de demissões de Dilma.

Segundo a coluna Painel, da Folha de São Paulo, dois ministros baianos estão na lista negra da presidente Dilma Rousseff.

O pepista Mário Negromonte, das Cidades, e Afonso Florence, do desenvolvimento agrário, devem sair na esteira da reforma ministerial, que pode ocorrer no início de 2012.

Se confirmadas as saídas, a dupla retorna à câmara ocupando as cadeiras de seus suplentes, Acelino Popó e Emiliano José.

NEGROMONTE RESISTE

Negromonte na corda bamba.

O ministro das Cidades, Mário Negromonte , do PP baiano, disse ontem (quinta-feira, 06), por meio de nota, que os parlamentares da bancada do partido que o apoiam “são fiéis” tanto a ele quanto ao governo de Dilma Rousseff.

Mas dos 41 deputados federais do partido, 30 querem a cabeça de Negromonte. Na terça-feira (04) eles se reuniram para reclamar que não são atendidos e não têm suas emendas liberadas pela pasta.

No ministério desde o início do governo, Negromonte enfrentou uma série de suspeitas de irregularidades e a resistência da presidente Dilma Rousseff, que segundo a Folha de São Paulo, o exclui das decisões da internas.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia