WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Terca-Feira, 12 de Dezembro de 2017
cenoe faculdade madre thais

BEBETO DEFENDE REESTRUTURAÇÃO DA CEPLAC

Bebeto em reunião em Brasília.

Bebeto em reunião em Brasília.

Nessa terça-feira (10), o deputado federal Bebeto Galvão (PSB) participou de uma audiência, em Brasília, com a presença do ministro da Agricultura, Blairo Maggi. A pauta da reunião foi o processo de reestruturação da CEPLAC.

Na reunião, Bebeto defendeu a manutenção dos servidores que já estão lotados no setor e a contratação de outros como o primeiro passo para a reestruturação efetiva. O deputado ainda criticou as tentativas de esvaziar o órgão, que recentemente foi rebaixado ao status de diretoria do Mapa.

Ao final do encontro, uma nova reunião foi marcada para o dia 8 de novembro. “Vamos construir mais uma unidade em torno dos interesses da região. A Ceplac é nossa e deve ser mantida”, pontuou.

JN DESTACA RECUPERAÇÃO DE NASCENTES DE RIOS EM IBIRAPITANGA

Imagem: Globo Play.

Imagem: Globo Play.

A edição dessa terça-feira (18) do Jornal Nacional, da TV Globo, dedicou matéria de três minutos ao projeto ecológico de recuperação de nascentes de rios do sul da Bahia.

Na matéria, o repórter José Raimundo destaca o papel dos produtores rurais que conciliam a produção agrícola com a conservação e o replantio das árvores da Mata Atlântica.

Remunerado por prefeituras como a de Ibirapitanga, esse serviço ecológico é fundamental para a manutenção e a recuperação das nascentes. O ciclo das águas é diretamente influenciado pela cobertura vegetal do ambiente.

Conforme a reportagem, a região tem mais de mil e seiscentas nascentes de água. A iniciativa já replantou 200 hectares de árvores nativas em cinco municípios sulbaianos. Clique aqui para assistir.

CACAUICULTORES ACENAM PARA O GOVERNO TEMER

Presidente interino Presidente interino Michel Temer. Imagem: Kleyton Amorim/UOL.

Presidente interino Presidente interino Michel Temer. Imagem: Kleyton Amorim/UOL.

Entidades que representam produtores rurais do sul da Bahia divulgaram hoje (13) nota pública para “manifestar sua confiança” no governo Temer e “na pessoa do ministro Geddel Viera Lima”. O documento foi redigido no dia 9, antes da confirmação do afastamento da presidente eleita Dilma Rousseff (PT). Leia a íntegra.

NOTA PÚBLICA

As entidades representativas dos agricultores da Região Cacaueira da Bahia vêm manifestar a sua confiança no futuro Governo Michel Temer e na pessoa do ministro Geddel Vieira Lima, acreditando no comprometimento para a resolução da grave crise que assola a região desde 1989, causada pela introdução criminosa da vassoura-de-bruxa e pelo fracasso do malfadado Programa de Recuperação, cujos efeitos nefastos estão impedindo a retomada do crescimento de uma importante zona biogeográfica com quase cem municípios, onde vivem três milhões de pessoas, tendo o cacau como base econômica, cultivado hoje em uma área que supera 400 mil hectares, graças ao esforço de 35 mil produtores que, há três décadas, estão sem acesso ao crédito e sem a devida atenção do Poder Público para que possam promover areconstrução da região e a recuperação de uma cultura, cujo potencial e viabilidade são reconhecidos pela comunidade internacionalcomo atividade sustentável, inscrita nas premissas da Carta da ONU da Rio +20 e adequada à nova realidade da COP21 – Paris.

Região Cacaueira da Bahia, maio 09 de maio de 2016

Instituto Pensar Cacau – IPC

Associação dos Produtores de Cacau – APC

Central Nacional dos Produtores de Cacau – CNPC

Sindicato Rural de Ilhéus

APC Cooperativa

AUGUSTO CASTRO RESPONSABILIZA GOVERNO DO ESTADO PELA CRISE DA ÁGUA EM ITABUNA

O deputado estadual Augusto Castro (PSDB) criticou a atuação do governo Rui Costa no Sul da Bahia.

Além da falta de transparência quanto à forma como os recursos são aplicados, o parlamentar responsabilizou diretamente o gestão estadual pelo descaso com a região, levando a consequências como a crise do abastecimento de água em Itabuna.

Assista o pronunciamento do deputado realizado no dia 22 na Assembleia Legislativa da Bahia.

INCÊNDIOS NA BACIA DO ALMADA SÃO TÃO GRAVES QUANTO OS DO LITORAL

Fogo na mata que cerca a bacia do Rio Almada. Imagens: Blog Acorda Meu Povo.

Fogo na mata que cerca a bacia do Rio Almada. Imagens: Blog Acorda Meu Povo.

Por Paulo Paiva do Blog Acorda Meu Povo

O sul da Bahia vive seca histórica e uma onda de desmatamento causados pelo fogo. Faltando água em vários municípios, e o fogo queimando a única salvação dessa lavoura. A Área de Proteção Ambiental está em chamas há vários anos, e o problema do abastecimento vem se agravando ano a ano. No ´primeiro documentário que dirigi sobre a APA Lagoa Encantada, em 2002, num parceria com a bióloga Márcia Virginia, guardamos um depoimento extraordinário de Marco Luedy, um militante pela recuperação do rio Almada: “Nós temos dois problemas. O primeiro é de engenharia florestal, reflorestar as nascentes e recompor os nascedouros do rio, manter a água; e um segundo problema que é de engenharia, para armazenar e distribuir essa água. 

Quem conhece a APA no seu interior sabe, que enquanto queima o litoral para a especulação imobiliária, queimam as florestas e cabrucas no interior para a expansão de pastagens. Se no litoral a fumaça é mais publicitária, certamente, no interior da APA é ainda mais dramática – mediática. É a transformação de uma paisagem em curso, e o fim de um grande rio, que adormece na decadência de um modelo falido, e a necessidade de transformação de um povo para melhor administrar seus recursos naturais. 

Áreas desmatadas nos arredores do Rio Almada.

Áreas desmatadas nos arredores do Rio Almada.

O cenário é crítico e caótico, falta água, topos de morro estão sendo queimados, a bacia está crise, a biodiversidade ameaçada. Nesse momento é preciso dizer ao governo que impactar com mais o desmatamento do Porto Sul, implica em proteger não apenas o remanescente da Tulha, mas como se comprometeu, criar um grande Parque nas cabeceiras do Almada, e pactuar com os proprietários rurais, o fim do avanço do desmatamento, e inicio imediato do reflorestamento de APP´s para que o rio Almada seja recuperado.   

As imagens abaixo são de autoria própria e foram realizadas na Bacia do Almada no final do mês de novembro-2015, além de outras fotografias que circulam nesses dias nas redes sociais sobre a triste imagem de um rio seco e uma floresta, esponja de água, a ser destruída. 

Imagem: Valério Dias.

Imagem: Valério Dias.

(mais…)

SECA DEIXA POPULAÇÃO DE GUARATINGA SEM ÁGUA

Ezequiel e Bebeto buscam solução contra falta de água em Guaratinga.

Ezequiel e Bebeto buscam solução contra falta de água em Guaratinga.

A população de Guaratinga está sem água na torneira. Os três rios que cortam a cidade, Frades, Buranhém e Jacutinga, estão secos. O município enfrenta a pior crise hídrica da sua história. Preocupado com a gravidade da situação, o vice-prefeito Ezequiel Xavier recorreu ao deputado federal Bebeto Galvão (PSB) nesta segunda-feira (14) para buscar alternativas de combate aos efeitos da estiagem.

Como primeira medida, Bebeto acionou o coordenador da Defesa Civil do Estado da Bahia, Rodrigo Hita, para pedir que o governo agilize a homologação do decreto de emergência. Isso vai eliminar as barreiras burocráticas na contratação de serviços urgentes, como o envio de carros-pipa e a perfuração de poços, dentre outras coisas.

“A situação é alarmante. Estamos totalmente à disposição para buscar alternativas que amenizem os efeitos da estiagem, que já tem provocado impactos sociais e econômicos, com prejuízo na agricultura familiar e na pecuária. É preciso ter um olhar atento e prioritário para o momento que vive o município. Nesse sentido o nosso mandato está totalmente à disposição”, afirma Bebeto.

NUVENS TRAZEM ESPERANÇA CONTRA ONDA DE INCÊNDIOS EM ILHÉUS

Nuvens no céu de Ilhéus. Imagens: Acorda Meu Povo.

Nuvens no céu de Ilhéus. Imagens: Acorda Meu Povo.

Do blog Acorda Meu Povo!

O Sul da Bahia foi fortemente atingido pelo El Niño (O fenômeno “Menino Jesus”), barrando os ventos úmidos do litoral, e provocando uma estiagem, calor e sensação térmica aterrorizantes. Depois de mais de 100 dias sem chuva, nuvens finalmente conseguem penetrar o Sul da Bahia, mas a chuva ainda é escassa, e a previsão ainda é de continuidade da seca. Assim, o ponto mais úmido do litoral brasileiro vive um clima de Cerrado. Não conhecemos esse clima, pois a característica daqui é um céu com um corredor de nuvens carregadas contracenando com o brilho intenso do sol, e chuva sempre. 

A seca tornou mais fácil a tendencia da população de tocar fogo nos remanescentes de mata atlântica para ocupação imobiliária e ampliação de pastagens. Essa combinação de seca histórica e do terrorismo socioambiental resultou na maior onda de incêndios já vistos na região.  O convite da seca acabou provocando uma onda de incêndios sem precedentes no sul da Bahia, secando os rios Cachoeira, Colonia, Salgado, Almada e Santana, e levou a cidade vizinha de Itabuna a declarar “situação de emergência”. Estamos perplexos com a insistência do clima atípico, e os incêndios que abrem novas frentes de destruição permanente de mata rara e ameaçada da Hiléia Sul Baiana. 

(mais…)

PROPOSTA DE REFLEXÃO: CACAU GOURMET E A LITERATURA DE EUCLIDES NETO

O escritor baiano Euclides Neto na fazenda Diamantina, em Ipiaú (BA), em 1991

Euclides Neto na fazenda Diamantina, em Ipiaú, em 1991. Imagem encontrada no site da Folha de São Paulo. Ao lado, dois frutos de cacau.

Editorial do Blog do Gusmão

O cacau gourmet e a fabricação de chocolate com percentuais mais elevados de cacau se revelam como a saída promissora para a lavoura cacaueira.

Este blog é entusiasta desse viés, mas espera que os cacauicultores reflitam sobre o passado, sobretudo, em torno das condições de miserabilidade que atormentavam os trabalhadores rurais nessa região. Aquele modelo arcaico, que concentrava renda, não vai mudar o Sul da Bahia. Acreditamos no cooperativismo e na agricultura familiar como soluções que possam traçar um novo rumo com equidade social.

A realidade verificada em muitas fazendas coloca os “meeiros” como parceiros por necessidade, já que os proprietários das fazendas não possuem condições de arcar com os encargos trabalhistas. Essa relação pode perdurar (com as necessárias adequações) e dar início a um novo modelo na relação com os trabalhadores (colaboradores). Isso não significa abandonar o modelo “celetista”. Os produtores em melhor situação, capazes de sair do modelo “exportação de commoditie” e que fabricam chocolate, podem manter esses vínculos amparados nas leis trabalhistas.

De volta ao passado, a pobreza nas fazendas está impregnada na história oral e no universo literário de escritores como Jorge Amado, Adonias Filho e Euclides Neto.

Destacamos o último, nascido em Ipiaú, ex-prefeito de sua terra natal, precursor da reforma agrária no Sul da Bahia e autor de um romance dramático e formidável (dentre outros de igual qualidade) chamado “Os Magros”.

Nesse livro , o agregado Adão sofre para pagar uma ferramenta de trabalho adquirida no armazém da fazenda. O dinheiro que sobra, depois de abatido o valor das prestações do facão, é muito pouco, só dá para comprar farinha e algumas tripas de boi. Os filhos de Adão comem barro. Quando morre uma criança, a família fica feliz, pois terá uma barriga a menos para matar a fome.

Enquanto isso, a esposa estéril e neurótica de Dr. Jorge, o rico patrão fazendeiro, ameniza seus dramas cuidando de uma boneca como se fosse filha. Hábitos supérfluos e muito dinheiro lhe estimulam a levar sua “descendente” para fazer caro tratamento com um pediatra desonesto.

Os dois cenários revelam dramas, mas o primeiro traz a iniquidade, um traço marcante da civilização do cacau .

Mesmo tendo consciência de que a miséria diminuiu graças ao crescimento econômico e aos programas de distribuição de renda dos últimos anos, nesse artigo, propomos que a literatura de Euclides Neto possa ser o ponto de partida dessa reflexão.

A obra desse importante escritor grapiúna foi relançada em março desse ano e obteve destaque na Folha de São Paulo. Leia aqui. Seus livros podem ser encontrados no site da Livraria Cultura, a R$ 25,00 cada.

“O QUE A NESTLÉ QUER COM A REGIÃO CACAUEIRA?”

Deputado questiona multinacional sobre rumores de que a fábrica de Itabuna será fechada.

Deputado questiona multinacional sobre rumores de que fábrica será fechada em Itabuna.

O questionamento é do deputado federal Bebeto Galvão (PSB-BA). O parlamentar discursou ontem (5) no plenário da Câmara Federal sobre as informações que circulam a respeito da fábrica da Nestlé em Itabuna. A multinacional estaria disposta a fechar a unidade. 

A fábrica ainda não se manifestou oficialmente sobre os rumores. Segundo Bebeto, “onde há fumaça, há fogo”.

“Considerando o interesse público que envolve a questão, cobrarei explicações acerca da operação da Nestlé no Sul da Bahia diretamente ao comando da empresa no Brasil, ao tempo em que conclamo as forças produtivas da região cacaueira a avançar numa proposição de um modelo de verticalização que nos coloque em um outro patamar de negociação e relação empresarial com as multinacionais que possuem seus interesses econômicos instalados em nossa região”, afirmou Bebeto.

O deputado criticou multinacionais que exploram regiões (mão de obra, matéria prima e outros recursos naturais, incentivo fiscal,  e etc.) e depois as abandonam, sem compromisso social com as comunidades onde se instalam. “Quantos bilhões de dólares já geramos de lucro exportado para suas sedes em outros países? Não podemos ignorar os impactos positivos da presença dessas empresas, mas, não podemos ficar reféns de suas articulações que impactarão diretamente na vida de muitos, na vida de todos”.

“TUPINAMBÁ – O RETORNO DA TERRA”

Imagem: Mídia Independente.

Imagem: Mídia Independente.

Esse é o nome do documentário sobre a luta do Povo Tupinambá de Olivença pela demarcação no sul da Bahia do território indígena reconhecido pela FUNAI. Em fase final de produção, o filme conta com a ajuda de pessoas que acreditam na causa dos indígenas, por meio do sistema de financiamento coletivo da plataforma Catarse – acesse aqui.

Com depoimentos, sequências colhidas em maio de 2014 na aldeia Serra do Padeiro e imagens de arquivo, o documentário apresenta a disputa fundiária em curso, recuperando elementos da história de expropriação e resistência dos tupinambás, que se entrelaça ao avanço da fronteira agrícola, a partir do final do século XIX, e à ascensão dos coronéis de cacau.

Nesse mês, o ex-governador da Bahia, Jaques Wagner, atual ministro da Defesa, se posicionou a favor da demarcação do território. Segundo Wagner, “a pior decisão é aquela que não se toma” – confira aqui.

JOSIAS GOMES SERÁ O TRUNFO POLÍTICO DO SUL DA BAHIA?

Josias Gomes, novo titular da Secretaria Estadual de Relações Institucionais (SERIN).

Josias Gomes, novo titular da Secretaria Estadual de Relações Institucionais.

Por José Henrique Abobreira

O cenário político-econômico do sul baiano hoje conta com o protagonismo de vários atores, exigindo múltiplos olhares, diferentemente de um passado não muito distante em que ecoava a voz monocórdia dos detentores do poder econômico.

Sujeitos diversos ocupam a cena atual: segmentos extensos da pequena agricultura familiar, assentamentos da reforma agrária, médios produtores de cacau, indígenas, quilombolas, empreendedores do turismo urbano e rural, polo industrial moageiro do cacau ombreado com o de informática e pequenos fazendeiros empreendedores transformam a amêndoa em chocolate. Enfim, todo um mosaico que aponta para a superação dos problemas e a crise vivida até o momento.

No plano da formação, para facilitar esse novo recorte, já contamos com a nova Universidade Federal do Sul da Bahia, além da UESC, IFBA e uma extensa rede de faculdades privadas. O eixo Ilhéus-Itabuna se consolidou como um polo educacional.

Há que se pensar estrategicamente e tentar uma unidade de discurso para a região. Ele deve ser encampado por todos os agentes políticos e econômicos. Com isso, poderemos reivindicar as questões primordiais para o desenvolvimento regional.

(mais…)

SUL DA BAHIA TERÁ O MELHOR POLO LOGÍSTICO DO PAÍS

Imagem: Daniel Thame.

Entrevista coletiva da coligação “Pra Bahia Mudar Mais”.

A afirmação é de Rui Costa, candidato do PT ao Governo da Bahia. No último sábado, 13, em Ilhéus, ele concedeu entrevista coletiva a blogueiros e jornalistas da cidade e de Itabuna. A Ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campelo, e os candidatos Otto Alencar (PSD – senador) e João Leão (PP, vice-governador) também participaram do encontro.

Rui Costa destacou os impactos positivos que os empreendimentos projetados trarão para o Sul da Bahia. “Teremos o polo logístico melhor estruturado do país. Vamos aproveitar todo potencial do sul baiano para resgatar a economia local, enfraquecida pela crise do cacau”, disse. “Com a conclusão da Ferrovia Oeste-Leste (Fiol), do Porto Sul, aeroporto, duplicação da BR 415 e a Ponte do Pontal, projetamos a região para um novo momento de desenvolvimento”, afirmou o petista. 

A Ministra Tereza Campelo demonstrou conhecimento sobre o a região. “A agricultura familiar é responsável pela produção de 70% dos alimentos consumidos no Brasil. O Sul da Bahia tem importante participação nesse mercado, produzindo cacau, mandioca, banana, maracujá e outras frutas. Por isso daremos atenção especial para as famílias produtoras”, destacou Campelo.

Página 1 de 51...Última »