WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017
cenoe faculdade madre thais

VÍDEO: GRUPO ESPANCA DOIS HOMENS NA AVENIDA ITABUNA

                    Imagem extraída do vídeo disponível abaixo do texto.

Um visitante do Blog do Gusmão usou o WhatsApp para nos enviar um vídeo (veja abaixo do texto). As imagens mostram o momento em que quatro homens espancaram outros dois, na avenida Itabuna, em Ilhéus.

Segundo o visitante, um dos homens espancados que aparecem no vídeo é o jovem Luiz Felipe, que tem vinte e três anos. A outra vítima, cujo nome ainda não conseguimos identificar, seria um amigo de Luiz Felipe. Uma câmera de segurança registrou a cena na madrugada do último domingo (12), por volta das 2 horas.

O motivo da agressão teria sido uma briga numa festa realizada na noite de sábado (11), à margem da rodovia Ilhéus-Itabuna. Felipe e o amigo estão internados na unidade de tratamento intensivo do Hospital Geral Luiz Viana Filho, ambos em estado grave.

Ainda de acordo com a pessoa que procurou o blog, o grupo usou o carro do vídeo para atropelar a dupla agredida.

O visitante afirma que é amigo da família de Luiz Felipe. Segundo ele, os parentes do jovem estão revoltados com o fato dos agressores terem sido detidos na tarde de segunda-feira (13) e soltos no mesmo dia.

Hoje (14), em contato com o Blog do Gusmão por meio do WhatsApp, a delegada Andréa Oliveira, da 7ª COORPIN (a delegacia de Ilhéus), explicou que os suspeitos foram liberados porque não houve flagrante. Contudo, o caso é “apurado como tentativa de homicídio”, informou Oliveira. Assista o vídeo.

HOMEM É BALEADO NA AVENIDA ITABUNA

Fonte: Exame/Abril.

Fonte: Exame/Abril.

Por volta das 7 horas desta segunda-feira (10), na Avenida Itabuna, em Ilhéus, um bandido atirou no peito direito de um homem cuja identidade ainda não confirmamos. O crime aconteceu perto da loja Blocolar.

O SAMU agiu rápido para socorrer o homem de aproximadamente 43 anos e levá-lo para o Hospital Geral Luiz Viana Filho.

O autor do disparo também teria roubado o celular da vítima.

Vídeo que circula nas redes sociais mostra o homem caído de bruços no chão, rodeado por transeuntes. Na gravação, um deles contou que viu a cena do crime. Outro virou a cabeça da vítima para o lado. Tomou a iniciativa mesmo depois do alerta de uma mulher. “Não pode mexer, não!”, ela disse.

Atualizado às 10 horas.

Segundo o blog Só em Ilhéus, o nome do homem baleado é Reinaldo Santana Junior. Ele faleceu.

MULHER É ESFAQUEADA E ESPANCADA NA ZONA SUL DE ILHÉUS

Imagem ilustrativa.

Imagem ilustrativa.

O Blog do Gusmão publicou ontem (7) depoimento de uma moradora de Ilhéus sobre a cena de terror que ela viu na BA-001, zona sul da cidade – lembre aqui. Na manhã desta quarta-feira (8), a mesma moradora nos enviou informações que obteve por meio de outra testemunha.

De acordo com a segunda testemunha, que parou para socorrer a mulher ensanguentada, a vítima tinha marcas de facadas no pescoço e sinais de espancamento. Enquanto esperavam a chegada do SAMU, policiais militares tentaram conversar com a vítima, mas ela não conseguiu explicar o que aconteceu.

Na manhã desta quarta-feira (8), mantivemos contato por telefone com a Delegacia Especial de Atendimento a Mulher, a 7ª Coorpin e a 69ª Companhia Independente da Polícia Militar, mas não conseguimos obter informações sobre a identidade da vítima e o seu estado de saúde.

ESTUDANTE É VÍTIMA DE TENTATIVA DE HOMICÍDIO EM ILHÉUS

Relato da vítima no Facebook.

Relato da vítima no Facebook.

Uma estudante da UESC usou hoje o Facebook para relatar tentativa de homicídio de que foi vítima em Ilhéus. O caso ocorreu por volta das 18h10min dessa quinta-feira (13), no ponto de ônibus da Avenida Itabuna que próximo ao paredão da Tapera.

O sujeito estava com “uma famosa faca de açougueiro de cabo branco, pediu meu celular, e tentou golpear meu peito esquerdo. Oyá me livrou. Sim, ela. Fui ‘ligeira’ e me desviei. Joguei o celular no chão. Ele pegou. Aproveitei e saí correndo”, escreveu a vítima.

A estudante se referiu ao agressor como “um doente” levado a agir por “seus vícios”. Apesar do susto, disse que refletiu sobre a “condição social” do acusado.

“DEUS TRANSFORMOU MINHA MOCHILA EM ESCUDO”, DIZ VÍTIMA DE ASSALTO NO PONTAL

O "escudo". Fotos: Blog do Gusmão/Thiago Dias.

O “escudo” que aparou a bala assassina. Fotos: Blog do Gusmão/Thiago Dias.

Reportagem: Thiago Dias

Nesta quinta-feira (15), conversamos com CMJ, de 29 anos. Ontem, ele foi vítima de um assalto seguido de tentativa de homicídio, na Av. Lomanto Júnior (Pontal), em Ilhéus. Como a polícia não prendeu os bandidos, prefere ficar no anonimato. 

A descrição do assalto revela a sorte de CMJ. Ele acredita que Deus o salvou.

Local do assalto.

Local do assalto, na Av. Lomanto Júnior.

Ao meio-dia, em frente ao bar Mr. Camarão, dois homens em uma moto (que parecia uma CG Titã) o abordaram. O assaltante de trás mandou “passar o celular”. Com o susto, a vítima esqueceu que havia guardado o aparelho na mochila e bateu nos bolsos para dizer que estava sem ele. O bandido disse que não era “brincadeira” e sacou a arma.

“Nessa hora, minha reação foi correr até um carro”, descreve. Ele sentiu o impacto do tiro nas costas. Ao se abaixar, constatou que não estava ferido.  A mochila amorteceu a bala. Os bandidos fugiram.

Marca do tiro no bolso lateral da mochila.

Marca do tiro no bolso lateral da mochila.

CMJ nos mostrou os objetos atingidos e descreveu o trajeto provável da bala. Ela entrou pela lateral, destruiu um adaptador de tomadas, um fio de carregador e perfurou três camadas antes de atingir uma apostila. “Deus transformou a minha mochila em um escudo”, afirmou.

Estraçalhado pela bala, o adaptador de tomadas absorveu boa parte do impacto.

O adaptador absorveu boa parte do impacto.

A vítima achou o projétil dentro da bolsa e entregou a um policial. Segundo o PM, os assaltantes usaram um revólver calibre 38.

CMJ disse que não dormiu essa noite. Além do trauma, a pressão sanguínea subiu e o barulho do tiro magoou o ouvido direito.

Uma amiga da família o visitou e afirmou que os mesmos bandidos assaltaram a sua loja, também ao meio-dia, há uma semana. O estabelecimento fica a menos de 50 metros de onde ele foi assaltado.

ILHÉUS: LÍDER COMUNITÁRIO FOI ESFAQUEADO DENTRO DE CASA

Nildo Oliveira.

Nildo Oliveira.

Por volta de 1 hora do dia 31 de março, cinco homens invadiram a casa de Jivanildo Oliveira da Silva (36 anos), no Condomínio Morada do Porto, em Ilhéus. Um deles tinha um revólver e outro, uma faca. Eles falaram que tinham “ordem” para executá-lo.

Nesta terça-feira 15, o Blog do Gusmão entrevistou a vítima pelo Facebook. Ele é mais conhecido como Nildo Oliveira, presidente da Associação de Moradores do Condomínio Morada do Porto.

De acordo com Nildo, o invasor que portava a arma de fogo disse que não iria atirar porque ele “é brother”. Dois dos bandidos o atacaram. Um deles acertou mais de dez facadas no ombro, nos braços e na cabeça da vítima.

Os bandidos roubaram um celular e a chave da sua casa; o deixaram trancado e fugiram. Ele gritou por socorro. Uma hora e meia depois, um vizinho arrombou a porta. A Polícia Militar foi acionada e socorreu a vítima.

Nildo foi atendido no setor de emergência do Hospital Geral Luiz Vianna Filho.

Conforme Nildo, os bandidos agiram “a mando de alguém”. Perguntamos sobre o possível mandante. Na opinião dele, o crime tem motivação política, porque sua atuação como líder comunitário está “incomodando muita gente”.

Nildo conta que recebeu um “aviso”. Um mês antes do atentado, um vereador lhe disse para “parar de ‘bater’ nos R$ 3,6 milhões”. Ele preferiu não revelar o nome do parlamentar porque não gravou a conversa.

Segundo Nildo, R$ 3,6 milhões foi o valor recebido pelo município para construir uma escola e um centro comunitário no condomínio.

O líder comunitário registrou a ocorrência na 7ª Coorpin. A Polícia Civil já investiga o caso.

Comentário do Blog.

Nildo pertence ao Conselho Tutelar de Ilhéus, é conhecido por sua atuação política, costuma frequentar a Câmara. Nos causa estranhamento que a notícia só tenha surgido quinze dias depois do fato. A própria vítima não havia se manifestado até agora. O caso é misterioso.

Para confirmar a informação, antes de conseguir contato com Nildo, recorremos ao livro de ocorrências do Hospital Regional, pois ninguém tinha notícia sobre o episódio.