WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Domingo, 22 de Abril de 2018
cenoe faculdade madre thais

JOVEM É ASSASSINADO A TIROS NO PONTAL

Na noite desse domingo (15), no bairro Pontal, em Ilhéus, a Avenida Lomanto Junior voltou a ser palco da violência. O jovem Patrick Silva foi morto a tiros, perto de um posto de combustíveis, após sair de uma festa de paredão realizada no espaço do antigo Clube Satélite. Pelo menos dois homens participaram da ação. Um dos disparos acertou a cabeça da vítima. O crime tem as características de uma execução.

ILHÉUS TEM DOIS TIROTEIOS EM MENOS DE DOZE HORAS

Ontem, a ponte Lomanto Junior e a Avenida Itabuna viraram palco da violência.

No fim da manhã de ontem (10), um internauta registrou em vídeo o momento em que policiais perseguiram bandidos na ponte Ilhéus-Pontal. Um homem que testemunhou o episódio conta que o motorista do carro em fuga fez uma manobra arrojada, em marcha à ré, para seguir na direção da zona sul da cidade – veja aqui.

Ainda nessa terça-feira, por volta das 20 horas, outro ato violento abalou o espaço público de Ilhéus. Dessa vez, na Avenida Itabuna, perto do posto de combustíveis Dom Eduardo, onde bandidos atiraram contra um homem, mas, segundo testemunhas, não o atingiram. Os autores dos disparos estavam num carro e fugiram pela Avenida Ubaitaba.

A Polícia Militar reforçou o policiamento na área. Ontem, às 22h30min, o Blog do Gusmão passou pela Avenida Itabuna. Uma viatura da PM estava parada em frente à Faculdade Madre Thaís.

VÍDEO: FESTA NA SOARES LOPES TERMINA COM TIROS E TRÊS FERIDOS

Vídeo (abaixo) mostra momento de pânico coletivo na Soares Lopes.

Por volta das 18h30min desse domingo (25), quando um bloco de Carnaval desfilava na Avenida Soares Lopes, em Ilhéus, disparos de arma de fogo atingiram três pessoas. Breno Roberto Oliveira dos Santos, de 20 anos, recebeu quatro tiros no abdômen. As outras duas pessoas feridas foram Elaine Mariana Dantas Santana, de 21 anos, baleada no pé, e um adolescente de 16 anos, que foi atingido na virilha. O Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) levou as vítimas para o Hospital Regional Costa do Cacau.

O vídeo abaixo mostra o momento dos disparos e o desespero das pessoas. Veja.

 

ESTUDANTE NARRA PERSEGUIÇÃO POLICIAL COM TIROS EM FRENTE À UESC

Imagens publicadas no Facebook. Montagem do Blog do Gusmão.

Um estudante publicou no Facebook informações sobre uma perseguição policial que aconteceu ontem à noite em frente à Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), em Ilhéus.

Segundo ele, policiais militares esperaram a chegada de um ônibus vindo de Ilhéus. Quando o veículo chegou no ponto da universidade, conforme o estudante, os policiais entraram nele e deram voz de prisão a um suspeito, que fugiu.

Ainda conforme o estudante, durante a abordagem foi possível ouvir três disparos de arma de fogo. Abaixo da publicação, na seção de comentários, um segundo estudante perguntou: “Quem atirou?”. A resposta veio de um terceiro internauta: “Polícia!”.

Os interlocutores travaram uma discussão sobre a direção dos disparos. Um deles disse que os policiais atiraram “três” vezes contra o suspeito, mas, não o atingiram. Outro questionou se os tiros não foram de advertência, quando o agente não atira para acertar o alvo. Para o estudante que fez o questionamento, as informações pareceram desencontradas. “Veja as contradições. Quem narrou o fato disse que foram [tiros] de advertência. Mas tá valendo. Já falei da minha impressão. A narração não parece verossímil”, escreveu.

Por volta das 20 horas, o Blog do Gusmão passou pelo local. Duas viaturas da Polícia Militar estavam paradas no acostamento da rodovia, na direção da biblioteca da universidade. A campana parecia um desdobramento da perseguição frustrada pela fuga do suspeito.

Um quarto estudante também tinha informações sobre o caso. Segundo ele, “há uma grande possibilidade desse elemento [o suspeito perseguido] ter sido o mentor do assalto com arma branca (segundo relatos) no bus [ônibus] 26 da zona sul, disseram também que uma moça foi ferida e celulares foram roubados. Ao meu ver, quem assalta à mão armada tem intenção de matar (óbvio), só não pode morrer, né!?”.

A notícia e o modo como ela foi narrada no Facebook geraram um debate sociológico sobre a operação policial e a condição do suspeito. Parte dos debatedores questionou a necessidade dos disparos naquele contexto. Outros defenderam a atitude dos policiais. “3 balas desperdiçada”, lamentou um estudante, ignorando o plural.

A discussão se voltou para a realidade imediata. “Como fica quem depende desse ônibus agora com medo?”, perguntou uma jovem. “Eu mesmo tô pensando seriamente se volto pra casa hoje nesse bus!”, respondeu o estudante que lamentou o desperdício de munição.

Atualizado às 9h45mim.

Um visitante do Blog do Gusmão informa que o ônibus que faz a linha zona sul-UESC foi assaltado na noite dessa quarta-feira (22), antes do episódio narrado acima. Segundo o leitor, o assaltante entrou no veículo no Terminal Urbano e pulou a catraca para não pagar passagem. Depois, no Banco da Vitória, “puxou uma faca e roubou o celular de uma estudante, colocando pânico nos passageiros”. “Foram dois celulares [roubados]”.