WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Sexta-Feira, 17 de Agosto de 2018
casa facil prefeitura urucuca prefeitura ubaitaba
master class cenoe faculdade madre thais

EM CARTA AO POVO DE ILHÉUS, VICE-PREFEITO JOSÉ NAZAL CRITICA DURAMENTE O GOVERNO MARÃO

José Nazal. Imagem: Clodoaldo Ribeiro.

Carta do vice-prefeito José Nazal (Rede) ao povo de Ilhéus no dia de aniversário da cidade.

Ilhéus – 137 Anos de Cidadania. O que comemorar?

Hoje Ilhéus completa 137 anos de Cidadania, conferida pela Lei Provincial nº 2187 de junho de 1881, tendo sido instalada somente a 14 de agosto, quarenta e sete dias depois da elevação à categoria de cidade. Cidade mãe deste chão sul-baiano, de lá para cá temos diminuído, tanto no aspecto territorial quanto no político.

Participo formalmente da vida política da Cidade desde 1º de fevereiro de 1977, quando exerci o cargo de Oficial de Gabinete no primeiro mandato de Antônio Olímpio. Naquele tempo, todos tinham a Carteira Profissional assinada. Daí em diante exerci funções comissionadas nos governos seguintes, com exceção para o segundo mandato de Antônio Olímpio, o de Valderico Reis e o último de Jabes. Aprendi muito com todos e com as experiências vividas, aumentando a cada dia o meu amor pela terra onde nasci.

Lancei pré-candidatura a prefeito no ano de 2016 e, como é do conhecimento de todos, compus uma aliança com Mário Alexandre, colocando-me como candidato a vice-prefeito com total apoio do meu partido, a Rede Sustentabilidade. Não me contentando em ser apenas vice, assumi uma secretaria no intuito de poder colaborar na administração, sobretudo para tentar implantar uma nova política, exigência dos tempos de hoje. Deixei o cargo de secretário há sessenta dias, afastando-me completamente dos processos decisórios do atual Governo, dos quais de minha parte acabaram por ser mais de natureza administrativa e quase nenhuma política.

Minha última participação no governo foi a de materializar a lei que delimita o território ilheense, identificando os locais indicados legalmente, onde deverão ser colocados os marcos definitivos e eu espero que sejam colocados. Vou entregar o Termo de Referência e a solicitação para a execução, juntamente com o projeto de lei para atualização dos limites distritais e ajuste dos bairros. Entendo que essa ação resguarda nosso pertencimento territorial em relevância política e administrativa, tanto para o momento atual como para momentos futuros.

Faço esse preâmbulo para questionar a grande festa do Dia da Cidade. O que comemorar? Em minha última conversa pessoal com Mário, há uns quarenta e cinco dias, ele me afirmou que não faria festividades em razão da situação financeira. “Ótimo! Parabéns pela decisão”, foi minha resposta. Na verdade, havia uma sinalização negativa do apoio estadual, face às mudanças no quadro político, permitindo que o governo estadual fizesse um esforço menor, ante ao pleito eleitoral que se aproxima. E fiquei surpreso com o anúncio da festa.

Convém ressaltar que não sou contra comemorações e festas, porém só faz festa quem pode pagar a conta. A Bahiatursa está ajudando, no entanto, a conta que ficará para o município arcar é igual ou maior. Mesmo que seja um pouco menor, é muito para quem não está com as contas em dia.

Como fazer festa com a maioria dos aluguéis dos imóveis locados em atraso? Como fazer festa com o setor de atendimento aos tuberculosos faltando “copinho para exame do escarro”? Esse problema foi resolvido com empréstimo por parte da administração do Hospital Regional Luís Viana Filho.

Como fazer festa se a Escola Municipal de Tibina está sem telhado há cinco anos e meio? Quatro anos do governo passado e um e meio desse governo. E por dever de justiça, afirmo aqui que foi o pedido prioritário da secretária de Educação. Ninguém se importou!

Como fazer festa sabendo que a Prefeitura de Uruçuca construiu (estou dizendo construiu) uma escola na região do Lajedão, no distrito de Banco Central? Como fazer festa com o município de Uruçuca administrando uma escola na fazenda vizinha à Vila de Castelo Novo? Como fazer festa com a escola Cecília Novaes, administrada por Uruçuca dentro do território de Ilhéus? Como fazer festa com a evasão escolar e a administração de uma escola dentro de Ilhéus sob a responsabilidade do município de Itajuípe? E a repetição desse fato em Buerarema, Itabuna, Coaraci e Una?

Alunas de Ilhéus estudantes de Itajuípe.

Ninguém se importa! Os governantes em geral não têm noção alguma de quantos alunos de Ilhéus estão sendo contados nos Censos Escolares dos municípios vizinhos. É a comodidade?! Mais fácil o outro tomar conta? Resultado: na próxima revisão territorial perderemos mais chão e, com isso, cada vez mais recursos para cuidar de nossa população! Estive em Banco Central há dez dias e me surpreendi com a quantidade de pedidos para entregarmos o distrito para Uruçuca. Não é demagogia, basta ir e conferir.

Como fazer festa sabendo que as estradas municipais estão sem receber manutenção e conservação? E não adianta culpar qualquer um dos secretários. Deve ser uma decisão conjunta do governo, com ampliação da frota e patrulha mecânica. A exemplo de optar por não fazer festa e comprar uma motoniveladora ou um caminhão ou um rolo compressor! Um de cada vez. Aí daríamos oportunidade para o morador do campo, para o produtor, evitando inclusive o êxodo rural, com o inchaço da cidade e seus problemas correlatos!

Estrada vicinal no Acuípe do Meio.

Como fazer festa, se as estradas não permitem um transporte escolar decente, evitando inclusive a lei ser burlada com o uso de camionetes inadequadas ao transporte, principalmente para a segurança das crianças? É ruim a qualidade do serviço prestado pela empresa contratada. Quem quiser vá conferir. Ônibus velhos e da pior qualidade.

Como fazer festa, se cheguei a Castelo Novo e as professoras afirmaram que a merenda era biscoito e suco artificial, porque não tem água potável para servir às crianças? Ninguém sequer discute o problema. E esse fato se repete em vários locais do interior.

Como comemorar, se o atendimento da Atenção Básica à Saúde está deficiente e insuficiente, tanto na cidade como no interior? Houve melhora? Sim, porém, muito pouca face às demandas postas. Comemorar com reforma? Fazer reforma e manutenção é obrigação, não motivo para inauguração e festividade. É básico de um governo que se envergonhe!

Escola sendo construída pela comunidade do Acuípe.

Nunca na história de Ilhéus tivemos o apoio por parte do Estado na área de Saúde. Causou ciúme em gestores passados. Sabe o que aconteceu? Perdemos esse apoio. O que está sendo feito e será feito é apenas o pactuado. O que era extra e espontâneo, nós perdemos. A Unidade de Pronto Atendimento que será “inaugurada” hoje, no prédio da antiga Policlínica Halil Medauar, que já tem quase duas décadas, era para ter iniciado as atividades desde abril, absorvendo os servidores do Hospital Geral Luís Vianna Filho, que encerrou as atividades no início de março deste ano.

Como fazer festa, se não levamos a sério a questão da coleta e destinação dos resíduos sólidos, obrigando o município a uma despesa volumosa, que poderia ser aplicada em outros serviços essenciais e na melhoria da qualidade de vida da população? Não temos Plano de Saneamento Básico, não temos Plano de Resíduos Sólidos, instrumentos legais obrigatórios para o município. Ninguém se preocupa, ninguém discute. A discussão que se iniciará após a festa da cidade é decidir quantos milhares de pessoas serão anunciadas nos releases, seguido de como será o Réveillon? Depois, como será o Carnaval? A cidade precisa de uma discussão séria, analisando os problemas de fundo, inclusive com a absoluta participação da sociedade, que na maioria das vezes se omite.

Como fazer festa, se nada se faz para que o município possa receber as pedras que serão retiradas da obra da ponte, para serem colocadas na Sapetinga, São Miguel e São Domingos? É imperativo que os locais estejam ambientalmente licenciados. Mas não se discute o projeto.

Camionete transporta alunos.

Não fiz campanha e não andei pedindo voto para depois ver o governo deixar de lado os verdadeiros interesses de Ilhéus. Não fiz campanha para encher os cargos de confiança com pessoas de fora, sem compromisso com Ilhéus. Para não ser injusto e por ter sido testemunha do esforço dispensado, excluo dessa lista Gilson Nascimento, que tenho visto sua dedicação exclusiva, sem medir esforços para melhorar nossos problemas no trânsito e mobilidade. Não fiz campanha para ver pessoas ocuparem os mais altos cargos e manterem compromissos com empresas que continuam ligados. Não fiz campanha para ver uma servidora que ocupava o cargo de Tesoureira ser substituída por um indicado do ex-prefeito de Itabuna, com a alegação de que será feito “um planejamento financeiro para Ilhéus”. Não fiz campanha para ver ex-candidato de outro município ocupar cargo importante sem conhecer os verdadeiros problemas de Ilhéus. Falo isso com conhecimento de causa, pois ocupei durante três anos e meio o cargo de secretário em Uruçuca, tendo dedicado todo tempo que passei por lá a estudar e trabalhar em benefício daquela comunidade. Tenho certeza, sem falsa modéstia, que sai de lá de cabeça erguida, respeitando e sendo respeitado. Quando vou lá sou muito bem recebido. Respeitei e conquistei o respeito até da oposição ao então governo. Aqui é diferente. Quem de Ilhéus conhece os que não são daqui? Quem os vê no dia a dia da cidade?

Quando me afastei politicamente de Jabes, externei-lhe o que mais me incomodava: governar apenas ele e mais dois. Com Newton assisti ao mesmo filme no segundo governo. Agora, revendo novamente isso acontecer, não posso aceitar.

Para finalizar, como poderia ir à festa da Cidade, depois de ouvir essa semana (por inconfidência involuntária de um secretário) que o prefeito ia dar ponto facultativo na sexta-feira (29), emendando os feriados de hoje até segunda-feira (2) para passar uns dias nos Estados Unidos com a família? Eu pensei que a cidade seria governada pelos dois homens fortes do governo na ausência do prefeito, porém, ao terminar de escrever esse texto, recebi a informação de que haveria transmissão do cargo. O ato de transmissão foi encerrado há pouco. Informei, de frente, que este artigo estava pronto e que faria esta alteração antes de publicar. Disse também que não procederia a nenhuma exoneração, ainda que desejasse. Meu pensamento é o de que apenas exonerar por três dias não terá o efeito que desejo; se assim fosse, procederia sem titubear.

Continuarei com a esperança de um dia ver a cidade ser governada por alguém que realmente pense nos interesses de Ilhéus e não do próprio ou de outrem. Como já estou no amiudar da vida, talvez não veja. Porém, vive em mim a certeza de que meus filhos verão e meus netos desfrutarão de uma Ilhéus melhor.

Saúdo a todos os ilheenses, a todas e todos os que votaram em Mário e em mim, acreditando em dias melhores, saúdo de forma especial àqueles que desejam e lutam para alcançarmos um patamar de governança, cidadania e participação social, comprometidos com o verdadeiro interesse público da cidade e seu povo.

Salve São Jorge dos Ilhéus!
José Nazal Pacheco Soub.
Ilhéus, 28 de junho de 2018.

ILHÉUS VAI TER INVENTÁRIO DA ARBORIZAÇÃO URBANA

Primeira parte do projeto vai mapear a a venida Soares Lopes e o bairro Nelson Costa. Imagem: Thiago Dias/Blog do Gusmão.

Antes de deixar o governo Mário Alexandre no dia 30 de abril deste ano, o vice-prefeito José Nazal (Rede), ex-secretário de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável, e o ex-superintendente do Meio Ambiente Emílio Gusmão deixaram um convênio de cooperação técnica com a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) praticamente pronto. Esse acordo vai permitir ao município fazer o inventário da arborização urbana de Ilhéus.

O primeiro passo do inventário vai ser a realização do mapeamento das árvores da avenida Soares Lopes e do bairro Nelson Costa. As duas áreas são bem distintas, tanto no poder aquisitivo dos seus moradores como no número de árvores. A avenida é muito bem urbanizada, enquanto o Nelson Costa tem pouca arborização.

Vista aérea dos bairros Nelson Costa (à esquerda, colado na pista do aeroporto Jorge Amado) e Hernani Sá. Imagem: José Nazal.

O inventário é fundamental para saber quais são as espécies que predominam na cidade, qual o estado fitossanitário de cada indivíduo arbóreo (a saúde de cada árvore) e como essas árvores interagem com o espaço público: calçadas, ruas, casas e fiação de eletricidade, telefonia e outros serviços que usam cabos.

Com esse tipo de inventário, a cidade pode planejar a sua arborização. Ou seja: substituir indivíduos arbóreos inadequados (que causam problemas nas casas, destroem passeios) e espécies que derrubam folhas durante todo o ano. Também pode definir áreas prioritárias para o plantio de novas mudas.

“Nós já deixamos tudo pronto”, afirma Emílio Gusmão. “A prefeitura de Ilhéus vai contratar dez estagiários. A seleção já foi feita por professores da Universidade Federal do Sul da Bahia. O professor Daniel Piotto coordena o trabalho. Pesquisador muito bem conceituado, ele é um dos maiores especialistas em árvores do Brasil, com publicações em várias revistas científicas internacionais.

A compra dos equipamentos necessários para projeto também já está encaminhada. A empresa Polimix, que está em processo de licenciamento ambiental na Superintendência de Meio Ambiente, assinou um termo de ajustamento de conduta em que se comprometeu a comprar equipamentos avaliados em 30 mil reais.

A lista de materiais incluiu: equipamentos de segurança para os estagiários que vão fazer o censo das árvores (capacetes, coletes, camisas e etc,) e o direito de uso por um ano de um aplicativo da empresa Geosite. Essa tecnologia vai possibilitar que Ilhéus tenha as suas árvores mapeadas numa plataforma digital.

A plataforma vai informar quais são as áreas com mais árvores, o predomínio de determinadas espécies e outros dados fundamentais para o planejamento da arborização urbana.

Além disso, antes do inventário, por meio da Superintendência de Meio Ambiente, a Secretaria de Desenvolvimento Sustentável (SEPLANDES) ofereceu um curso de manejo aos servidores. Isso porque não adiantaria planejar a arborização da cidade, se a equipe que cuida desse serviço não estivesse preparada para executá-lo. Os trabalhadores já aprenderam a lidar com as árvores de maneira adequada. A pasta também doou equipamentos (motosserras, escadas e aparelhos de segurança) para o pessoal do setor de Parques e Jardins, da Secretaria de Serviços Urbanos.

Nessa terça-feira (5), numa solenidade na prefeitura, os gestores que assumiram a SEPLANDES, o secretário Alisson Mendonça, e a Superintendência de Meio Ambiente, a superintendente Joélia Sampaio, vão assinar o acordo de cooperação técnica. “É muito bom saber que os gestores atuais estão dando andamento ao programa de arborização urbana. Afinal, esse não é um projeto de Nazal e Gusmão nem de Alisson e Joélia. É um trabalho para a cidade, que vai se dar bem com isso, não só os gestores. Nós (Nazal, eu e Vanessa Paim, com os setores de fiscalização e licenciamento ambiental) já deixamos o projeto pronto, no entanto, caso quisessem, eles poderiam interrompê-lo”, comentou Gusmão.

O ex-superintendente adverte que o programa não pode parar na avenida Soares Lopes e no bairro Nelson Costa. “Ele deve alcançar outros bairros e atingir a maior parte possível da cidade. Para que se tenha um inventário eficaz, que propicie um planejamento adequado da arborização urbana, é necessário que o mapeamento seja o mais completo possível. O inventário não pode ser amostral, deve ser integral. Sabe-se que chegar a cem por cento das árvores é muito difícil, mas, acima de 70% já é um percentual muito bom. Por isso o município não pode parar nesses dois locais”, concluiu.

Os benefícios das árvores e das áreas verdes:

Absorvem parte dos raios solares, umidificam o meio ambiente, reduzem os efeitos das ilhas de calor, propiciam conforto térmico e alteração do microclima (sensação de bem-estar promovido pelo sombreamento), diminuem a poluição sonora (funcionam como barreiras que dificultam a propagação dos ruídos), protegem contra poeira e ventos fortes, absorvem parte da poluição atmosférica (diminuindo seus efeitos negativos), reduzem os impactos das chuvas (absorvem a água e evitam o escorrimento superficial, contribuindo para a diminuição de enxurradas e enchentes), aproximam as pessoas da natureza (permitem a contemplação e aplacam a fadiga mental), favorecem o convício social e comunitário, permitem o lazer e a prática de exercícios físicos (caminhadas, corridas e outros, a depender da oferta de equipamentos apropriados), também oferecem vantagem paisagística (embelezam a cidade e contribuem para a diminuição do impacto visual das construções de concreto). Além disso, atraem pássaros, que também contribuem para o bem-estar humano.

PARA NAZAL, BENTO É O SUPERSECRETÁRIO DO GOVERNO MARÃO

Nazal indicou a saída do secretário Bento Lima do governo ao prefeito Mário Alexandre. Imagens: Clodoaldo Ribeiro/Secom-Ilhéus.

O blog Pimenta publicou ontem (21)  entrevista com o vice-prefeito de Ilhéus, José Nazal (REDE). O ex-secretário de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável fez um balanço da trajetória ao lado do prefeito Mário Alexandre (PSD), desde o início da parceria política, em 2016, até o fim dela, no dia 30 de abril deste ano, quando entregou sua carta de exoneração.

Ao analisar a condução do governo, Nazal se revelou descontente com a centralização de poder no secretário de Administração Bento Lima.

O vice-prefeito entende que essa é uma característica em comum entre os governos Jabes Ribeiro e Mário Alexandre. “Sempre fiz críticas aos governos dos quais participei. Eu me afastei politicamente de Jabes em julho de 2006. Eu disse: ‘Jabes, você errou quando governou sozinho com Isaac Albagli, John Ribeiro, com núcleo fechado, que acha que não erra, que acha que é infalível. Isso é ruim'”.

Conforme Nazal, a primeira gestão do ex-prefeito Newton Lima “governou discutindo tudo. Tudo era na mesa. Foi reeleito com mais de 60% dos votos válidos de Ilhéus, algo que não irá se repetir por muitos anos”.

Ainda segundo José Nazal, com a volta de Jabes Ribeiro em 2013, repetiu-se a “situação que você fecha o governo para decidir com poucos. Aí vem Mário e está governando só com Bento. Disse isso a ele. Eu não fiz campanha para uma pessoa governar sozinha. Fiz campanha para governar discutindo dentro do governo e com o povo. Então, não vou recuar no meu modo de pensar”.

Numa conversa recente com Mário Alexandre, conta o membro da Rede Sustentabilidade, “eu disse ao prefeito: ‘a condição para eu ficar é você tirar Bento e um bocado de gente”. E Marão, segundo Nazal, pediu: “me dê os nomes”. “Ele não tiraria”, concluiu o vice-prefeito.

Clique aqui para ler a entrevista na íntegra.

REDE SE MANIFESTA SOBRE A SAÍDA DE NAZAL E GUSMÃO DO GOVERNO MÁRIO ALEXANDRE

O vice-prefeito José Nazal e o comunicólogo Emílio Gusmão.

Na tarde desta segunda-feira (7), a Rede Sustentabilidade divulgou uma nota pública sobre a saída do vice-prefeito José Nazal e do comunicólogo Emílio Gusmão dos cargos que ocupavam no governo Mário Alexandre. Os dois entregaram suas cartas de exoneração na semana passada – lembre aqui.

Conforme a nota, o prefeito Mário Alexandre (PSD) não se mantém fiel ao compromisso de ter a sustentabilidade “como norte para o governo de Ilhéus”, diferente do que havia sido combinado durante a campanha eleitoral de 2016.

Ainda de acordo com o texto, os membros do partido mantêm “total confiança na sua principal liderança política em Ilhéus, o vice-prefeito José Nazal, homem público reconhecido pela população por sua honestidade e transparência com a coisa pública”. Leia a íntegra.

NOTA PÚBLICA DA REDE SUSTENTABILIDADE – ELO MUNICIPAL DE ILHÉUS

A Rede Sustentabilidade – Elo Municipal de Ilhéus – declara total apoio à decisão do vice-prefeito José Nazal e do comunicólogo Emílio Gusmão (mestre em conservação da biodiversidade e desenvolvimento sustentável), que no dia 30 de abril entregaram suas cartas de exoneração das funções de Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável e de Superintendente de Meio Ambiente.

Após ouvir os seus dois filiados, em reunião realizada na última quinta-feira (3), a Rede compreendeu os motivos que os levaram a deixar os cargos. O partido manifesta satisfação por ter em seus quadros dois membros comprometidos com o bem-estar da população de Ilhéus.

A Rede enfatiza que mantém total confiança na sua principal liderança política em Ilhéus, o vice-prefeito José Nazal, homem público reconhecido pela população por sua honestidade e transparência com a coisa pública.

A Rede lembra que, na campanha eleitoral de 2016, os compromissos dos então candidatos Mário Alexandre e José Nazal tinham a sustentabilidade como um norte para o governo de Ilhéus. Agora, na gestão, a Rede lamenta que o alcaide ignore esse pacto com a sociedade.

A Rede Sustentabilidade manifesta orgulho pelo fato dos seus dois filiados terem sido honrados com uma nota pública da 11ª Promotoria de Justiça de Ilhéus, que classificou a saída de Nazal e Gusmão da SEPLANDES como uma perda de difícil reparo para a sociedade ilheense.

A excepcionalidade desse tipo de manifestação por parte de um Promotor de Justiça prova que os dois filiados da Rede Sustentabilidade que integravam o governo são pessoas comprometidas com Ilhéus e sua população. Por isso, a Rede sente-se enaltecida por ter nesses dois membros exemplos de comprometimento com a Carta de Princípios do partido e com as necessidades da sociedade ilheense.

Por fim, os pedidos de exoneração não significam renúncia ao compromisso com nossa cidade, pois a Rede Sustentabilidade continuará atenta e lutando por uma Ilhéus sustentável em suas dimensões ambiental, econômica, ética, social e cultural.

Ilhéus – BA, 07 de maio de 2018.

Juliana Santos Rocha e Eustacio Lopes de Oliveira Filho.

Porta-vozes da Rede Sustentabilidade – Elo Municipal de Ilhéus.

NAZAL E GUSMÃO ENTREGAM CARGOS A MÁRIO

O vice-prefeito José Nazal deixa a SEPLANDES, e Emílio Gusmão, a Superintendência do Meio Ambiente.

Nessa segunda-feira (30), o vice-prefeito de Ilhéus, José Nazal, e o superintendente do Meio Ambiente Emílio Gusmão oficializaram a entrega dos cargos que ocuparam desde início do governo Mário Alexandre. Nazal deixou o comando da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável (SEPLANDES), órgão ao qual está subordinada a Superintendência do Meio Ambiente. O blog Pimenta noticiou a saída em primeira mão.

Nazal e Gusmão são membros da Rede Sustentabilidade. Segundo o Pimenta, não está claro se o desembarque do governo é uma decisão do partido ou dos dois gestores.

Ainda conforme o Pimenta, Nazal explicou que deixa o cargo por razões político-administrativas, além de questões pessoais. O blog lembrou que o vice-prefeito licenciou-se das suas funções para cuidar da própria saúde, há cerca de trinta dias.

Por outro lado, como sugere a expressão “razões político-administrativas”, é possível que divergências sobre a condução da política ambiental do município tenham motivado a saída dos membros da Rede.

FALSÁRIO CLONA WHATSAPP DE NAZAL E APLICA GOLPE

O vice-prefeito José Nazal. Imagem: Clodoaldo Ribeiro/Secom-Ilhéus.

Uma pessoa clonou a conta do vice-prefeito José Nazal (REDE) no aplicativo de mensagens WhatsApp. O falsário está usando o número clonado (73 9981-8008) para pedir dinheiro aos contatos de Nazal. Algumas pessoas caíram no golpe e depositaram valores para o criminoso.

Atualizado às 10h25min de 29/03/2018.

O autor da clonagem enganou pelo menos dois amigos de Nazal. Juntos, depositaram mais de oito mil reais para o falsário. O vice-prefeito levou o caso à Polícia Civil.

CONFIRA IMAGENS DESSA TERÇA-FEIRA DA NOVA PONTE ILHÉUS-PONTAL

Vista do lado sul da obra. Imagens: José Nazal.

O vice-prefeito e secretário de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável, José Nazal (REDE), registrou e divulgou ontem (13) imagens aéreas das obras da nova ponte Ilhéus-Pontal. Confira.

Traçado da futura pista de acesso à nova ponte a partir do Centro.

(mais…)

NAZAL É UM DOS TRÊS PRÉ-CANDIDATOS DA REDE AO GOVERNO DA BAHIA

Marina Silva e José Nazal.

O Elo Estadual da Rede Sustentabilidade escolheu três pré-candidatos ao governo do Estado da Bahia nas eleições de 2018. Tratam-se do vice-prefeito de Ilhéus, José Nazal, da vereadora de Irecê, Meirinha, e de uma das porta-vozes do elo estadual, Iaraci Dias, liderança de Camaçari.

O partido definiu a lista de forma coletiva, no último sábado (25), durante reunião no Hotel Fiesta, em Salvador. O ato contou com a presença de lideranças de mais de 30 municípios, além da ex-senadora Heloísa Helena.

Membro do Elo Estadual, o superintendente do Meio Ambiente de Ilhéus, Emílio Gusmão, também participou do encontro. “Os três pré-candidatos não entraram numa disputa interna. Os seus nomes foram indicados pelas lideranças que participaram da reunião. O vice-prefeito José Nazal não lançou pré-candidatura, essa foi uma escolha do partido. Ele aceitou porque acredita no novo projeto político que estamos construindo e propondo à Bahia e ao Brasil”, explicou Gusmão, nesta segunda-feira (27), em conversa com este blog.

Iaraci Dias e Meirinha.

As lideranças também manifestaram apoio à pré-candidatura da ex-senadora Marina Silva à Presidência da República. Para Iaraci Dias, a ex-ministra do Meio Ambiente é uma representante natural das ideias que a Rede defende para a política brasileira. “Marina é nossa maior e melhor referência popular, tem qualidades morais indiscutíveis, competência de gestão e capacidade política para nos tirar da crise política atual”, garantiu a pré-candidata.

JOSÉ NAZAL PALESTRA SOBRE CRISE NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS

Vice-prefeito José Nazal. Imagem: SECOM/Ilhéus.

Vice-prefeito José Nazal. Imagem: SECOM/Ilhéus.

Nessa sexta-feira (6), o Instituto de Ensino e Pesquisa do Colégio da Polícia Militar (COM) promoveu o Seminário de Educação Ambiental, Crise Hídrica e Desmatamento da Mata Atlântica. O vice-prefeito José Nazal (REDE) e outras lideranças de Ilhéus participaram do evento.

Durante a palestra, José Nazal palestrou sobre as “Bacias Hidrográficas do Leste” o tema englobou a crise hídrica nos municípios, o desmatamento, e a preservação da água e do meio ambiente. O vice-prefeito aproveitou a oportunidade para alertar aos alunos presentes sobre os pontos cruciais ligados ao meio ambiente de Ilhéus. “A minha esperança e expectativa estão nesta juventude. Esta certeza me move todos os dias, em saber que momentos como este e de outros que tenho participado, demonstram a confiança que tenho do futuro”, pontuou.

O evento contou com uma programação vasta que abordou os mais diversos temas, com apresentação de artigos, peças teatrais, poemas, filmes, apresentações culturais e muito mais.

ILHÉUS VIABILIZA PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO

Reunião que definiu condições de implantar o Plano Municipal de Saneamento Básico ocorreu em Salvador - Secom (1)

Divulgação/SECOM-Ilhéus.

Da SECOM-Ilhéus

A Prefeitura de Ilhéus vai encaminhar para a Câmara de Vereadores local um Projeto de Lei que autoriza o município a celebrar um convênio com o estado da Bahia, que facilitará o financiamento do Plano Municipal de Saneamento Básico, instrumento de planejamento e gestão participativa que estabelece as diretrizes para a prestação dos serviços públicos de saneamento.

O acordo foi firmado hoje (15) em Salvador, durante encontro mantido pelo prefeito Mário Alexandre e pelo vice-prefeito José Nazal, com o secretário estadual de Infraestrutura Hídrica e Saneamento da Bahia (SIHS), Cássio Peixoto e com o presidente da Embasa, Rogério Cedraz. A reunião também contou com a participação da deputada estadual Ângela Sousa, do deputado federal Paulo Magalhães e do secretário municipal de Administração, Bento José Lima.

O acordo foi considerado um avanço importante para a melhoria da qualidade de vida dos ilheenses, segundo o prefeito Mário Alexandre. Além de viabilizar a execução do Plano Municipal de Saneamento Básico, o encontro serviu para debater questões pontuais sobre problemas na prestação de serviço da Embasa e de seus terceirizados em Ilhéus.

José Nazal explica que há alguns anos o contrato entre o município de Ilhéus e a Embasa está vencido. No entanto, revela, apesar disso as ações técnicas e administrativas prestadas pela empresa são legítimas e válidas pelo fato de tratar-se de um serviço de prestação continuada. O maior inconveniente, segundo Nazal, está no fato de a Embasa não poder fazer investimentos no setor. Por este motivo o PL proposto no encontro, garantirá repasses e recursos para a construção do Plano.

O PMSB traça os caminhos para a melhoria das condições de saúde, qualidade de vida e o desenvolvimento local comprometido com a conservação dos recursos naturais, em especial da água e do solo. O Plano deverá abranger todos os quatro componentes do Saneamento Básico: Abastecimento de água; Esgotamento sanitário; Drenagem e manejo das águas pluviais; e Limpeza urbana e gestão de resíduos sólidos. “O município que não tiver o plano aprovado até 17 de dezembro deste ano não fica apto a receber recursos para o setor”, explica Nazal. “Esse plano é de extrema necessidade para o desenvolvimento sustentável de Ilhéus”, completa.

ROBERTO RABAT VAI SER SEPULTADO HOJE À TARDE NO CEMITÉRIO DA VITÓRIA

Roberto Rabat e o prêmio Jornalista Octávio Moura de 2012. Imagem: R2CPress.

Roberto Rabat e o prêmio Jornalista Octávio Moura de 2012. Imagem: R2CPress.

Como informamos ontem, o jornalista Roberto Rabat, pioneiro do webjornalismo no sul da Bahia, faleceu no início da noite dessa quinta-feira (14), aos sessenta e três anos.

O seu corpo é velado no necrotério Santa Isabel, ao lado do Fórum Epaminondas Berbert de Castro, no bairro Cidade Nova, em Ilhéus. O sepultamento está marcado para essa tarde, às 16h30min, no Cemitério da Vitória.

Ainda ontem à noite, o prefeito Mário Alexandre (PSD) e o vice-prefeito José Nazal (REDE) afirmaram, por meio de uma nota de pesar, que a partida do jornalista “deixa um vazio na comunicação de Ilhéus e da Bahia”. Leia a íntegra.

Nota de pesar

Em nome do povo de Ilhéus, queremos manifestar a nossa tristeza pelo passamento do jornalista Roberto Rabat, ocorrido nesta quinta-feira, 14.

Rabat era mais que um jornalista solidário e justo. Era um ilheense apaixonado por sua terra e seus conterrâneos e uma voz firme em defesa dos interesses da coletividade.

Um homem de princípios morais e ético exemplares e um profissional que deixará um enorme vazio na comunicação de Ilhéus e da Bahia.

Aos seus familiares, em especial à filha Naiana, queremos manifestar a nossa solidariedade, o nosso carinho.

Ilhéus perde um grande homem. Os colegas de profissão, um exemplo. A imprensa baiana, um profissional apaixonado pela missão de dar vez e voz às vontades do povo de sua terra. À sua gente.

Ilhéus, 14 de Setembro de 2017.

Mário Alexandre Sousa

Prefeito

José Nazal Pacheco Soub

Vice-prefeito

NAZAL APONTA ERRO NOS CENSOS DA POPULAÇÃO DE ILHÉUS

Vice-prefeito José Nazal. Imagem: O Taboleiro.

Vice-prefeito José Nazal. Imagem: O Taboleiro.

Hoje (31), em conversa com o Blog do Gusmão, o vice-prefeito José Nazal (REDE) comentou sobre o índice anunciado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que indicou uma nova queda populacional em Ilhéus.

Segundo os dados do IBGE, em 2010 a população do município era de 184.236 habitantes, já a estimava deste ano é de 176.341.

De acordo com o vice-prefeito, o instituto cometeu um erro em 2000, quando indicou uma população de 222.127 habitantes, maior do que o município realmente tinha. Isso afetaria os dados atuais. “Quando veio o censo em 2010, com valores exatos e quantitativos, a projeção foi negativa em 37 pontos percentuais. Essa é a projeção que o IBGE usa para fazer a estimativa ano a ano, então Ilhéus está perdendo uma coisa que nunca teve”.

Nazal cogitou a possibilidade de buscar uma intervenção da justiça para averiguar a metodologia do censo. No entanto, a demanda poderia se estender por anos em um processo judicial. O resultado da ação dificilmente sairia antes de 2020, para quando está previsto o próximo censo do IBGE. “Se a contagem tivesse sido feita em 2016, como estava previsto, isto teria sido sanado, a gente saberia da realidade atual”.

error: Content is protected !!