Ministro diz que governo manterá modelo de horário de verão


Para o ministro Eduardo Braga, vale a pena manter a mudança  de  horário
Para o ministro Eduardo Braga, vale a pena manter a mudança de horário

A adoção do horário de verão, que termina no próximo domingo (22), não deve sofrer modificações pelo governo. De acordo com o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, apesar de o horário de maior consumo de energia ocorrer no início da tarde, ainda vale a pena manter a mudança de horário no país.

“O horário de verão continua representando um descasamento na ponta de carga e uma economia de energia. No período, voltamos para as residências ainda com a luz do dia, o que gera uma economia energética para o país. Portanto, é válido o horário de verão”, avaliou.

O principal objetivo do horário de verão é aproveitar melhor a luminosidade natural do dia, reduzindo o consumo de eletricidade no fim da tarde, quando ocorria o chamado pico de consumo. Recentemente, o pico tem sido registrado no início da tarde, principalmente por causa do aumento do uso de aparelhos de ar condicionado.

Este ano, o governo chegou a estudar uma prorrogação da vigência do horário diferenciado, por causa da falta de chuvas, que prejudica os reservatórios das hidrelétricas. “Chegamos à conclusão de que o custo-benefício não valia a pena. Portanto, não fomos adiante na ideia”, explicou Braga.

Segundo o ministro, os relatórios finais sobre a economia de energia no período devem ser concluídos semana que vem. Dados preliminares podem ser divulgados pelo governo amanhã (20).

No início do horário de verão deste ano, a estimativa do governo era uma economia de R$ 278 milhões, com geração de energia térmica no horário de pico. Na edição anterior, a economia chegou a R$ 405 milhões. ( Agência Brasil)

Presidente do PSOL foi na Polícia Federal falar da ajuda de Jabes a Jorge Luiz


Boatos sobre ajuda de Jabes (PP) a Jorge Luiz (PSOL), virou caso de polícia.
Boatos sobre ajuda de Jabes (PP) a Jorge Luiz (PSOL) virou caso de polícia. Foto divulgação de campanha 2012.

Na eleição de 2012, membros do PSOL acusaram o então presidente do partido e candidato a prefeito, Jorge Luiz, de ter recebido ajuda financeira do então candidato a prefeito Jabes Ribeiro, para crescer no pleito e tirar votos da candidata do PT, Carmelita Ângela, que acabou a eleição em segundo lugar.

Jorge Luiz representou uma denúncia contra o atual presidente do partido, Edson Espírito Santos Andrade (Edson Ferramenta), na Polícia Federal, acusando de ser o autor dos supostos boatos de sua proximidade com Jabes.

exclusivoNo dia 26 de Janeiro de 2015, Edson Ferramenta compareceu a polícia federal para ser ouvido e reafirmou as suspeitas da ajuda de Jabes a Jorge Luiz, com caixa 2, salientando que a carta distribuída como também uma representação junto ao órgão estadual do partido, não acusava, mas cobrava explicações e a prestação de conta ao presidente na época, Jorge Luiz.

A composição do PSOL hoje tem Jorge Luiz como secretário e Edson Ferramenta como presidente e a briga pode se arrastar até 2016, prejudicando o partido em ano de eleições municipais.

Até a presente data não há provas da ajuda de Jabes a Jorge Luiz, apenas acusações de membros do próprio PSOL.

Nota de pesar: Pedro Tavares lamenta falecimento de Barão de Popoff


O deputado estadual e líder do PMDB na Assembleia Legislativa da Bahia, Pedro Tavares manifesta pesar pelo falecimento do ilheense Raimundo Kruschewsky Gomes Ribeiro, o Barão de Popoff, ocorrido na madrugada desta quarta-feira (18). Segundo o parlamentar, Ilhéus perde uma de suas figuras mais queridas. “A cidade perde um grande homem apaixonado pela sua terra. Um ser humano diferenciado. Essa despedida deixa todos em luto. Aos familiares, os meus sinceros sentimentos”, disse.

Prefeitura de Itabuna intima servidores sobre acúmulo de cargos


201205111118550000007427A Prefeitura de Itabuna decidiu seguir o que determina a Constituição Federal e acabar com a prática do acumulo indevido de cargos públicos. São dezenas de funcionários recebendo salário sem cumprir a carga horária.

Os servidores de Itabuna, que acumulam cargos indevidos, têm até 11 de março para comparecer ao setor de Recursos Humanos. O edital de convocação foi publicado no dia 11 deste mês.

Os servidores precisam apresentar documentos que identifiquem cargos, função, carga horária e a qual órgãos estão lotados. O processo é para que o servidor escolha se quer seguir na Prefeitura de Itabuna ou em outro município.

Existem suspeitas de que muitos desses servidores municipais em Itabuna não cumpriam a carga horária, mas recebem o salário integral. A medida também tem o objetivo de acabar com essa farra.

Recentemente, a Prefeitura de Ilhéus adotou medida igual e 56 servidores efetivos foram convocados a prestar esclarecimentos sobre a irregularidade.

Uma auditoria no ano passado, mostrou que os servidores estavam lotados em secretarias de Ilhéus ao mesmo tempo em que trabalhavam em órgãos do estado e em municípios como Itabuna.( A Região)