Ilhéus: Pré-candidato a prefeito Luiz Uaquim recebe apoio do PRP


IMG-20160421-WA0005
Foto divulgação.

Depois de receber o apoio do DEM no mês março, foi a vez do PRP- Partido Republicano Progressista, lançar apoio ao pré-candidato a prefeito de Ilhéus pelo PMDB, Luiz Henrique Uaquim.

O fato ocorreu na última terça-feira (19), durante reunião do PMDB, e teve a presença do presidente municipal do PRP, o advogado Diego Arléo, e membros do partido Dr. Roberto e a Dra. Karla Arléo.

Luiz Uaquim explanou às pessoas presentes na reunião do PMDB, e ressaltou a alegria de receber mais um apoio importante, lembrando que vem em uma trajetória crescente, com sua candidatura sendo construída por grupos de pessoas honradas, e comprometidas ao bem estar da população.

Também participaram da reunião, o presidente municipal do PMDB, Chico Xavier, e os pré-candidatos a vereador pelo partido, entre eles Dr. Rodrigo e Eduardo Rocha, além de outras lideranças do partido.

Bahia é o segundo maior estado brasileiro em produção de energia eólica


Aerogeradores de energia eólica em Brotas de Macaúbas. Foto: Mateus Pereira/SECOM
Aerogeradores de energia eólica em Brotas de Macaúbas. Foto: Mateus Pereira/SECOM

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) constatou que a Bahia é o segundo maior estado brasileiro em produção de energia eólica, com 63 usinas em operação e mais de 1,58 GW, ultrapassando o Rio Grande do Sul, que, apesar de ter 67 usinas em operação, produz 1,55 GW. O primeiro lugar continua com o Rio Grande do Norte, com 97 usinas e 2,67 GW de potência instalada.

O estado alcançou a marca na terça-feira (19), quando o Complexo Eólico Assuruá, formado por três usinas, em Gentio do Ouro, no Vale do São Francisco, entrou em operação, com capacidade instalada para produzir 68 Megawatts (MW). A perspectiva é que em maio, mais uma usina entrará em operação na região, a Assuruá VI.

A Companhia de Energias Renováveis (CER), responsável pelo empreendimento, vai inaugurar outros 194 aerogeradores, com capacidade de geração de 456 MW, no Vale do São Francisco, ainda em 2016. Na Bahia, está sob a responsabilidade da companhia 21 projetos eólicos e outros oito solar fotovoltaicos.

Os investimentos em eólica na Bahia são da ordem de R$ 18,5 bilhões em 186 usinas negociadas em leilões pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), do Ministério de Minas e Energia, com 4,5 GW de potência, distribuídas em 22 municípios do semiárido. Quando soma-se a esta conta o mercado livre, o número de empreendimentos sobe para 214, com um total de 4,88 GW de potência. O estado também começa a se destacar na produção de energia fotovoltaica – a partir da fonte solar – com inversões de R$ 4,2 bilhões em 32 empreendimentos instalados em cinco municípios.