Pedro Tavares cumpre agenda em Brasilia e trata sobre fortalecimento da lavoura cacaueira


O deputado Pedro Tavares (PMDB) cumpriu extensa agenda em Brasília na última quinta-feira, 10. Dentre os compromissos realizados no Distrito Federal, o parlamentar participou de uma reunião com o superintendente nacional da Comissão Executiva de Planejamento da Lavoura Cacaueira (Ceplac), Juvenal Maynart. Tavares estava acompanhado do prefeito de Mutuípe, Digão, o ex-prefeito Béu Rocha, o prefeito de Camacã Oziel, o diretor de Municípios da Secretaria de Governo, Dr. Marcus Calheiras, além dos colegas Leur Lomanto Jr. e Sandro Régis. A pauta principal do encontro foi o fortalecimento da lavoura cacaueira, a lei 13.340/16, que trata da liquidação de dívidas de crédito rural, e o novo panorama da região com a expansão da produção de chocolates finos. Para o parlamentar, a união de todos pela causa é fundamental. “O fortalecimento da lavoura cacaueita sempre foi uma das prioridades do nosso mandado. Fico feliz de receber o apoio e engajamento de outros parlamentares, que se preocupam com a mesma causa!”, declarou Tavares.

Lei do Acompanhante garante que parceiros acompanhem gestantes durante o parto


Participação do pai no parto tranquiliza a mulher e ajuda aliviar a dor.

Gestantes podem ser acompanhadas pelo pai da criança ou pelo parceiro durante todo o período do trabalho de parto, ao longo do parto e também após o procedimento em todas as instituições do Sistema Único de Saúde (SUS), segundo a Lei do Acompanhante.

O Ministério da Saúde indica que a participação do pai durante o parto garante um melhor atendimento para a parceira. O acompanhamento também traz benefícios como alívio da dor, menor duração do trabalho de parto e diminuição da taxa de depressão pós-parto, além do reforço dos laços afetivos da família.

Segundo o responsável pela Área Técnica de Saúde do Homem do Distrito Federal, enfermeiro Bruno Santos de Assis, a presença traz benefícios inquestionáveis não apenas para a gestante.

A Lei do Acompanhante é valida tanto para parto normal quanto para cesariana, e a presença do acompanhante não pode ser impedida pelo hospital, pelos médicos, enfermeiros ou por qualquer outro membro da equipe.

“A participação do pai em todo o ciclo, desde o teste até o pós-parto, fortalece os vínculos familiares. Esse homem vai conhecer mais os problemas que podem estar relacionados à gravidez, vai buscar mais informações, aprofundar o conhecimento, para dar apoio à esposa e participar com ela dessa fase de mudanças, dúvidas e inseguranças”, afirma o especialista.

Para acompanhar o parto, não pode ser exigida participação em cursos de formação ou outras atividades semelhantes. Caso o direito ao acompanhante seja negado, a família pode procurar a Ouvidoria do Ministério da Saúde, pelo telefone 136.

Entidades unem esforços para a criação da RM do Sul da Bahia


Na reunião de nivelamento e debate sobre a criação da Região Metropolitana no Sul da Bahia, nesta sexta-feira, 11, na Uesc, representantes de entidades de classe, da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia e dos Poderes Legislativo e Executivo da região, se comprometeram em articular de forma técnica e política as ações para a construção do instrumento público.

O coordenador executivo da Amurc e especialista em Planejamento de Cidades pela UESC, Luciano Veiga, apresentou o histórico de várias propostas de criação da RM para o Sul da Bahia, com o objetivo de oferecer informações técnicas e atualizadas sobre o instrumento público.

Sobre esses estudos, o Pró-reitor de Extensão da Uesc, Alessandro Santana definiu a criação de uma equipe técnica, coordenada pela própria instituição de ensino, para analisar o modelo ideal para a região. Já a Amurc ficará responsável por liderar o processo político em conjunto com a Assembleia Legislativa do Estado.

O processo de criação da RM do Sul da Bahia ganhou força a partir do envolvimento das entidades e a participação dos vice-prefeitos de Itabuna, Fernando Vita e de Ilhéus, José Nazal. A adesão dos dois municípios polos fortalece a construção de um arranjo com outros municípios do entorno, com o objetivo de compartilhar equipamentos de forma estratégica. (mais…)