Governo usará laboratório do Exército para produzir cloroquina


Remédios

O presidente Jair Bolsonaro divulgou na tarde hoje (21), nas redes sociais, um vídeo em que afirma que o hospital Albert Einstein deu início a pesquisas sobre o uso de cloroquina e da hidroxicloroquina no combate à covid-19. Essas substâncias são usadas normalmente contra o vírus da malária, no combate ao lúpus e à artrite reumatoide.

O presidente afirmou ainda que, em parceria com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, usará o laboratório químico e farmacêutico do Exército para ampliar a produção das substâncias. Bolsonaro comentou ainda que o Brasil deverá manter o estoque do medicamento, e que a produção nacional não será vendida a outros países.

Bahia confirma mais sete casos de coronavírus e passa a ter 41 casos


Sete novos casos de Covid-19 foram confirmados pelo Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA) nas últimas 24 horas. Os novos casos são de Salvador (5), Prado (1) e Porto Seguro (1). Destes, 41 foram confirmados, 535 foram descartados e nenhum óbito. Todos os pacientes encontram-se em isolamento domiciliar, adotando as medidas de precaução respiratória e de contato.

Do total de confirmações, 23 foram em Salvador; 6 em Feira de Santana; 5 em Porto Seguro; 3 em Lauro de Freitas; 2 em Prado; 1 em Itabuna; e 1 em Camaçari.

Ressalta-se que os números são dinâmicos e na medida em que as investigações clínicas e epidemiológicas avançam, os casos são reavaliados, sendo passíveis de reenquadramento na sua classificação.

É importante pontuar que o paciente com diagnóstico positivo para o novo coronavírus pode cursar com grau leve, moderado ou grave. A depender da situação clínica, pode ser atendido em unidades da atenção básica, unidades secundárias ou precisar de internação. Mesmo definindo unidades de referência, não significa que ele só pode ser atendido em hospital.

Os casos graves devem ser encaminhados a um hospital de referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.

O diagnóstico do coronavírus é feito com a coleta de materiais respiratórios (aspiração de vias aéreas ou indução de escarro). Na suspeita de coronavírus, é necessária a coleta de uma amostra que será encaminhada para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-BA). Para confirmar a doença, é necessário realizar exames de biologia molecular que detecte o genoma viral. O diagnóstico do coronavírus é feito com a coleta de amostra, que está indicada sempre que ocorrer a identificação de caso suspeito. Outras informações podem ser obtidas no link: www.saude.ba.gov.br/coronavirus.

Nota Técnica do Lacen orienta unidades de saúde da Bahia

Com o objetivo de orientar todas as unidades de saúde do Estado da Bahia, sejam elas públicas, privadas, filantrópicas e outras, para a coleta de exames de confirmação diagnóstica para o Covid-19, a Secretaria da Saúde do Estado, através do Laboratório Central do Estado (Lacen) publica Nota Técnica com todas as orientações necessárias.

A Nota Técnica traz orientações em relação à indicação para coleta de amostras respiratórias para confirmação laboratorial de infecção pelo SARS-CoV-2, agente etiológico do Covid-19.

Com isso, a equipe do Lacen quer evitar o impacto direto na capacidade operacional do laboratório, em realizar os exames laboratoriais, provocando uma sobrecarga da capacidade instalada e a utilização excessiva de materiais (kits para coleta, meio de transporte e diagnóstico).

O Lacen adotou as seguintes orientações para o envio de amostras:

1. Pacientes com sinais de gravidade SRAG ou internados;

2. Pacientes sem sinais de gravidade contactantes de caso de COVID-19 suspeito ou confirmado, ou com histórico de viagem recente ao exterior em países com circulação do SARS-CoV2, e regiões do país com transmissão comunitária sustentada;;

3. Profissionais de saúde com sintomas respiratórios suspeitos de COVID-19;

4. Gestantes com sintomas respiratórios suspeitos de COVID-19;

5. Pessoas com febre, suspeitas de infecção, triadas nos Aeroportos, Portos e nas Estradas

Pacientes que não se enquadrem nas situações acima não tem indicação para coleta de amostras.

Senador Jaques Wagner quer proibição de corte de energia, telefone,gás e água


Senador Wagner durante votação remota do projeto de decreto do estado de calamidade pública no país devido à pandemia do coronavírus.Fonte: Agência Senado.Fonte: Agência Senado.

O Senado vai analisar projeto de lei que proíbe o corte no fornecimento dos serviços públicos de energia elétrica, telefonia, gás, água e esgoto durante estado de calamidade pública reconhecido pelo Congresso Nacional. O PL 783/2020 foi apresentado nesta sexta-feira (20) pelo senador Jaques Wagner (PT-BA).

A proposta tem como objetivo evitar o corte dos serviços básicos em decorrência de atraso no pagamento das faturas desses serviços durante o estado de calamidade pública reconhecido nesta sexta-feira (20) pelo Congresso Nacional na pandemia do coronaviíus.

Em sua justificativa, o senador destaca que a pandemia de covid-19 já vem causando impactos no cotidiano da sociedade, especialmente na redução da atividade econômica, levando a queda da renda das famílias, desemprego em massa e falta de acesso a recursos mínimos de sobrevivência.

Para Wagner, a manutenção dos serviços de tratamento de água, gás e fornecimento de energia elétrica são essenciais para o enfrentamento da pandemia, em especial quando a grande maioria da população deverá ter sua mobilidade afetada ao permanecer cumprindo isolamento social para evitar a propagação do coronavírus.

“Não podemos esquecer as dificuldades financeiras que a população vai enfrentar, ocasionada pela queda nas receitas em todos os setores produtivos. Tal proibição proporcionará mais segurança e melhor resultados do ponto de vista eminentemente do enfrentamento sanitário da pandemia, garantindo proteção aos menos favorecidos economicamente” declarou.

Covid-19: Sesau de Ilhéus reordena fluxo de atendimento


A Central de Regulação da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), comunica à população ilheense a reorganização do fluxo para os serviços de marcação de exames e consultas especializadas, e a suspensão das cirurgias eletivas no município, por um período de 30 dias, em casos não essenciais, considerando a progressão da pandemia global do novo coronavírus (Covid-19).

Esta medida foi tomada atendendo às recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, através da Agência Nacional de Saúde, com o objetivo de evitar aglomerações de pessoas. A Central informa ainda que estão suspensos os Tratamentos Fora de Domicílio (TFD), também para os casos não essenciais, em atenção ao decreto estadual que limita o transporte nas cidades da região.

O prefeito Mário Alexandre decretou estado de emergência no município para enfrentamento da Covid-19 publicado na quinta-feira (19) no Diário Oficial do Município. Embora o momento seja delicado, a Sesau de Ilhéus acredita que a atitude organizada e colaborativa entre os órgãos de saúde e a população trará maior eficácia às ações de combate à doença.

Vamos mandar o Mourão aquecer, diz Otto Alencar


Bolsonaro quer processo de impeachment para testar Forças Armadas, diz Otto.

Senador pela Bahia, Otto Alencar (PSD) acredita que o presidente da República, Jair Bolsonaro, quer ser alvo de um processo de impeachment para medir o apoio das Forças Armadas ao seu governo.

“Esse confronto com Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre… tudo que ele deseja é iniciar um processo de impeachment. Aí é que ele vai ter o confronto. Ele acha que tem as Forças Armadas ao lado dele”, avaliou, em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole.

Ainda de acordo com Alencar, Bolsonaro “tem problemas dentro da própria família”. “Isso tudo para mascarar a incapacidade gerencial. O presidente não tem condições. Basta ver que não concluiu uma obra do governo Temer, Dilma”, apontou.

Para o senador, o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, já está “no aquecimento”. “Vamos mandar o Mourão aquecer. Se as Forças Armadas acharem que ele não tem que continuar, ele é cassado no Senado e entra Mourão. Você vê que ele já tá indo pro confronto, estabelecer uma possibilidade. Mourão é muito mais simpático”.

Informações do Metro1.

Ilhéus: Coordenador do SAMU rebate vídeo divulgado nas redes sociais que insinua paciente com Coronavírus


Vídeo foi divulgado e gerou pânico nas redes sociais.

Com o avanço das tecnologias de comunicação digital e interativa, o ambiente virtual da internet e das redes sociais se tornou um amplo espaço de debates, exposição de ideias e discussões.

Porém, nem sempre as informações que circulam no universo da rede condizem com a realidade, inclusive grandes problemas enfrentados pela sociedade, as mentiras disseminadas e as Fakes News (notícias falsas) podem estimular o pânico e induzir a população a graves erros.

Na noite desta sexta-feira foi divulgado nas redes sociais, um vídeo que mostra o Samu atendendo um paciente em situação de rua, na Av. Lomanto Junior,

Uma pessoa que passava pelo local rapidamente gravou um vídeo e insinuou que o paciente esteja infectado com o coronavirus.

No mesmo dia, a prefeitura de Ilhéus divulgou um vídeo com o coordenador do Samu em Ilhéus, Cyomar Dias, explicando a situação e rebatendo o vídeo.

Confira o vídeo do coordenador:

 

Ex- jabista, vereador Escuta se filia ao PSD e declara apoio a reeleição de Mário Alexandre


Prefeito Mário Alexandre e Vereador Escuta durante a filiação ao PSD.

Nesta sexta-feira (20), o vereador Luiz Carlos Escuta foi anunciado pelo prefeito Mário Alexandre, como novo filiado do PSD.

Vereador Escuta saiu do PP na última segunda feira (17), aproveitando a janela partidária. A executiva do Partido Progressista agradeceu o empenho e dedicação do vereador, enquanto membro do partido e defensor do ex- prefeito Jabes Ribeiro.

Vale lembrar que o Blog Agravo trouxe a duas semana a informação, sobre a saída de Escuta do PP e uma provável filiação no PSD.

Facebook dobra capacidade de servidores do WhatsApp com crise de coronavírus


Em um conjunto de medidas que adotou nos últimos dias para gerenciar potenciais crises com o avanço do novo coronavírus, o Facebook anunciou na quarta-feira (18) que dobrou a capacidade de servidores do WhatsApp para que o aplicativo continue “funcionando de forma sólida”. O Brasil é um dos principais mercados para o aplicativo de mensagens instantâneas, que tem 2 bilhões de usuários no mundo. O WhatsApp não tem servidor no país.

Em uma teleconferência que durou mais de uma hora com jornalistas de diversos países, Mark Zuckerberg, presidente do Facebook, falou brevemente sobre os planos para o WhatsApp no contexto da pandemia. Para evitar notícias falsas, ele destacou medidas implementadas anteriormente no aplicativo, como a limitação do encaminhamento de mensagens para contatos do WhatsApp. Esse recurso foi adotado para conter fake news em países como Índia e Brasil, após episódios danosos durante as eleições.

O executivo reiterou que há uma série ações preventivas “que não envolvem a quebra da criptografia de ponta a ponta”. Esse recurso de segurança foi objeto de uma queda de braço recente entre a empresa e alguns reguladores, que defendem acesso ao conteúdo privado do WhatsApp em investigações. “Nossos times estão trabalhando para que os servidores sigam operando da mesma forma”, disse, ao citar o aumento do tráfego na comunicação pessoal via aplicativo durante essa crise.

Em locais como a Itália, um dos países mais afetados pelo vírus, as chamadas de vídeo e áudio no WhatsApp e no Messenger mais que dobraram na comparação com a mesma época de 2019. No país europeu, as visualizações de transmissões ao vivo no Facebook e Instagram dobraram na última semana, de acordo com a empresa.

Ainda sobre o WhatsApp, o Facebook disse que doou US$ 1 milhão para a International Fact-Checking Network, uma organização de combate a notícias falsas, “para que expandam a presença de agências de checagem de fatos locais no WhatsApp”.

Zuckerberg também mencionou o trabalho de revisores terceirizados, profissionais responsáveis por moderar, em tempo real, conteúdos que infrinjam políticas de uso Facebook. Esses times analisam as publicações sensíveis (como um potencial suicídio) que os sistemas de inteligência artificial não derrubaram sozinhos da rede social.

As informações sobre o coronavírus, agora, entram no rol de conteúdos a serem analisados com reforço. Assim como o resto dos profissionais que trabalham em casa, os checadores –que dispõem de suporte psicológico nos centros de moderação–, também entraram em regime de home office. “Também estou trabalhando de casa”, disse Zuckerberg.

O Facebook não fala oficialmente sobre o assunto, mas vai dar US$ 1.000 a cada funcionário que colaborar com o esforço de trabalhar remotamente. A empresa emprega cerca de 45.000 pessoas. Convertendo para a moeda local, é como se cada funcionário recebesse R$ 5.210. Em um comunicado nesta quarta, a companhia disse que vai bloquear ou restringir “hashtags usadas para espalhar informações erradas no Instagram” e que realizará “varreduras proativas para encontrar e remover o máximo possível desse tipo de conteúdo”.

Na terça (17), Sharel Sandberg, diretora de operações da companhia, anunciou US$ 100 milhões a 30 mil pequenos negócios em 30 países, num esforço de tentar auxiliar contra baque econômico que está por vir.

Informações da Folha SP.

Cippa resgata animais silvestres e apreende arma em Una


Imagem divulgação SSP/Bahia.

Guarnições da Companhia Independente de Polícia de Proteção Ambiental (Cippa) conduziram um homem à Delegacia, na quinta-feira (19), por posse irregular de arma de fogo e manter animais silvestres em cativeiro, no município de Una.

Os policiais receberam uma denúncia sobre caça e comércio de animais, em uma fazenda. No local, as equipes encontraram um homem em posse de uma espingarda calibre 36, munições, além da pele de um tamanduá, uma pele de ouriço cacheiro, dois caititus e armadilhas para caça.

Os animais vivos foram devolvidos ao habitat natural e o fazendeiro apresentado na Delegacia de Proteção Ambiental em Ilhéus.

Campanha de Vacinação contra a Gripe começa na segunda-feira (23)


FOTO/JAVIER LIRA OTERO

Historicamente realizada em abril, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza foi antecipada em um mês por conta do momento em que o mundo passa no combate ao novo coronavírus. Com isso, a partir da próxima segunda-feira (23), pretende-se proteger a população contra a influenza, além de minimizar o impacto sobre os serviços de saúde. Na Bahia, a meta é imunizar 90% do público alvo, formado por cerca de 4,6 milhões de pessoas.

A imunização será iniciada nesta segunda-feira (23) em postos espalhados por todo o estado. Este ano, os idosos e os profissionais de saúde que atuam na linha de frente, no atendimento à população, serão os primeiros a serem imunizados. Também nesta primeira fase serão imunizadas funcionários do sistema prisional e as populações indígena e a privada de liberdade.

A priorização dos idosos nessa primeira etapa, de acordo com o Ministério da Saúde, mesmo diante da não eficácia da vacina de Influenza contra o coronavírus, é uma forma de auxiliar os profissionais de saúde a descartarem as influenzas na triagem e acelerarem o diagnóstico para a Covid 19. Além disso, a pasta considera os estudos e dados que apontam que casos mais graves de infecção por coronavírus têm sido registrados em pessoas acima de 60 anos.

A partir do dia 16 de abril, professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, além dos portadores de doenças crônicas e outras clínicas especiais, poderão se vacinar. A partir de 9 de maio, serão as crianças de 6 meses a menores de 6 anos (5 anos,11 meses e 29 dias), mulheres grávidas, mães no pós-parto, jovens de 12 a 21 anos sob medida socioeducativa, pessoas com 55 anos ou mais e pessoas portadoras de deficiências.

Para a campanha será utilizada uma vacina segura, de vírus inativado, trivalente (proteção para três vírus: H1N1, H3N2 e Influenza B) e que não têm a capacidade de causar gripe. No estado da Bahia, em 2020, já foram confirmados 64 casos de influenza, e dentre esses, 48 foram confirmados para H1N1, com ocorrência de três óbitos pela doença.

Estratégia diante da pandemia do novo coronavirus.

Para evitar aglomerações nos postos de vacinação, a Secretaria da Saúde do Estado enviou orientações às secretarias municipais de saúde. Uma das propostas é realizar vacinação extramuro, por exemplo, em locais de convivência social (supermercados, centro de idosos, igrejas, escolas) em locais abertos e ventilados e, inclusive, em unidades móveis da saúde.