Aumenta procura por divórcio durante a pandemia


A procura por divórcio tem aumentado durante o período de isolamento social provocado pela pandemia da covid-19. Segundo a advogada da área de Família e Sucessões, Débora Guelman, o convívio intenso em virtude da quarentena tem sobrecarregado física e emocionalmente as famílias brasileiras.

“Esse isolamento social forçado pela pandemia aumenta o convívio entre os casais e justamente esse aumento do convívio gera conflitos. Por conta disso, a probabilidade de haver mais divórcios é muito maior”, disse Débora Guelman, em entrevista à Rádio Nacional.

A advogada afirma que cerca de 70% dos pedidos de divórcio são iniciados pelas mulheres, e a reclamação mais frequente é a tripla jornada. “Essas mulheres trabalham, cuidam dos filhos e cuidam da casa. Então, elas não aguentam relacionamentos machistas”, afirmou.

No Brasil há dois tipos de divórcios. No mais simples, chamado de “extrajudicial”, casais podem se separar de forma mais rápida, pelo cartório, amigavelmente. Já o divórcio judicial ou litigioso é realizado diante de um juiz e envolve questões mais complexas como falta de consenso entre o casal, partilha de bens, pensão e guarda de filhos.

“Se divorciar não é um processo rápido, pelo contrário. É um processo demorado e muito doloroso. Principalmente no aspecto emocional e no aspecto financeiro. Então, essa decisão de se divorciar envolve diversos fatores, que são impedimentos até para pessoa efetivar esse divórcio. Normalmente, a pessoa pensa por um ano e meio, até dois anos, antes de se efetivar o pedido”, explicou Débora Guelman.

Apoio

Em Belo Horizonte, um grupo terapêutico formado por três psicólogas e a advogada Gabriela Sallit foi criado para auxiliar mulheres que estão passando por esse momento. O grupo se reúne por meio de uma plataforma online, com participação de três a seis pessoas.

“O isolamento causado pela pandemia acirrou os conflitos nas relações, mas, por outro lado, dificultou o acesso aos advogados e ao Judiciário; e a recursos essenciais em uma separação, como mudar de casa, por exemplo”, explicou a psicóloga Lívia Guimarães, uma das responsáveis pela condução do grupo.

O grupo reúne mulheres que passam pelo momento pós-divórcio e aquelas que ainda estão se preparando para tomar essa decisão.

“Muitas vezes elas não têm com quem compartilhar suas angústias, suas dores, não tem o conhecimento de outras para aprenderem, não tem o acolhimento de quem passou pelo que elas estão vivendo”, disse a psicóloga.

Segundo Lívia Guimarães, depois do atendimento em grupo, as mulheres passam por uma escuta individual para orientações específicas.

“A posteriori do grupo, ofereceremos um plantão de acolhimento individual para essas mulheres entrarem em contato e para que possamos escutá-las na sua singularidade. Não é um dispositivo terapêutico. Mas um espaço para acolher alguma demanda ou sofrimento que por ventura o grupo possa ter desencadeado”, acrescentou a psicóloga.

Informações da Agência Brasil.

Vídeo mostra tentativa de fuga de interno de Conjunto Penal de Teixeira de Freitas


Imagem reprodução.

Na noite desta sexta-feira (19), um preso do conjunto penal de Teixeira de Freitas identificado como Altamiro de Jesus, tentou fugir usando uma corda feita de lenções.

Mas o preso não contava com a agilidade do agentes penitenciários que conseguiram neutralizar a fuga. Os policiais penais renderam o fugitivo quando o mesmo já havia pulado o alambrado.

Confira o vídeo:

Iniciada a obra do fechamento da primeira etapa do canal do Malhado


 

O prefeito Mário Alexandre assinou a ordem de serviço para o fechamento da primeira etapa do canal do Malhado, em Ilhéus, cuja obra já foi iniciada neste sábado (20). Na ocasião da assinatura, se fizeram presentes o secretário de Infraestrutura e Defesa Civil do município, o secretário de Servioçs Urbanos, o presidente da Associação da Central de Abastecimento do Malhado (Ascam), o presidente do Sindicato do Comércio Varejista dos Feirantes e dos Vendedores Ambulantes de Ilhéus (SicovFamil) e feirantes do Malhado.

O novo canal terá um comprimento de aproximadamente 110 metros e uma largura total de 9,00 metros.

A obra custa no total R$ 1.730.027,57, sendo o repasse do convênio com o Fundo Municipal de Saneamento de R$ 1.600.000,00 e contrapartida do município de R$ 130.027,57.

A ordem de serviço “Mais um compromisso firmado com os ilheenses e que hoje está sendo cumprido. Com a urbanização que será promovida com o fechamento da primeira etapa do canal do Malhado, um novo espaço de convivência será construído para a comunidade, o que impactará positivamente no comércio local. Mais uma obra que faz parte do processo de reconstrução da cidade de Ilhéus”, expressou com satisfação o prefeito Mário Alexandre.

Para José Carlos, presidente da Ascam, a obra vai fazer uma diferença enorme para cerca de quatro mil feirantes da Central de Abastecimento do Malhado. “A gente vê que teve muitos prefeitos prometendo e nenhum nunca cumpriu. Felizmente Mário Alexandre viu que é uma coisa boa, prometeu à gente antes de ser prefeito, ele disse que ia fazer e já está cumprindo. Vai melhorar muita coisa e nós vamos ter um olhar diferente. Cabe o feirante também fazer a parte dele”.

O presidente do SicovFamil, Afonso Rocha, declarou que “essa é uma reivindicação não só dos feirantes, como também da comunidade de Ilhéus. Nada mais do que gratificante para nós que pedimos ao prefeito e ele hoje está cumprindo a promessa, assinando a ordem de serviço. Nós só temos a agradecer ao prefeito Mário Alexandre pela promessa cumprida”.

Projeto da prefeitura de Ilhéus da cobertura do canal.

A notícia também foi bem recebida pelo experiente comerciante, que há 38 anos trabalha na feira do Malhado, senhor Euclides Ferreira dos Santos. Ele se mostrou muito feliz com o acontecimento. “Há muitos anos a gente vem pedindo e isso nunca aconteceu até então. Vai ser ótimo para todo mundo, para mim, para meus colegas e para a população de Ilhéus como um todo. Nossa cidade é maravilhosa e merece o melhor. Então quem dá o melhor, recebe o melhor”, disse.

Para o jovem Jobson Silva, de 32 anos, que cresceu no ambiente da Central de Abastecimento, “muita gente deixava de ir no local por conta do canal. E com essa obra, o espaço vai ficar muito bonito e com certeza muito mais gente vai passar a frequentar a região. Diante de tantas promessas, já estávamos até desacreditados e agora a gente fica muito feliz e agradece muito ao prefeito Mário Alexandre por estar cumprindo a promessa. Vai dar outra cara à central”.

Dona Delza Ribeiro, feirante há 38 anos disse que com o canal fechado, vai ter mais higiene e promoverá saúde para as pessoas. “A realidade para nós vai ser outra com essa obra, vai mudar em tudo, com um ambiente mais saudável, sadio, um ambiente que as pessoas vão se sentir bem de estar ali e até para os turistas visitarem”.

Vídeo:

Assinei a ordem de serviço para realização do fechamento da primeira etapa do Canal do Malhado, um sonho de décadas dos…

Posted by Mário Alexandre on Saturday, June 20, 2020

Ilhéus: Cresce o número de arrombamentos em casas de estudantes no Salobrinho


Imagem de residência arrombada no Salobrinho.

Em contato com a redação do Blog Agravo, estudantes da UESC denunciam um número crescente de arrombamentos e invasões à suas residências no Salobrinho, bairro do município de Ilhéus.

Segundo relatos, com a pandemia estudantes tiveram que voltar para suas cidades até que as aulas da UESC retornem. Com isso os ladrões estão aproveitando para arrombar as casas vazias e surrupiar os pertences dos estudantes.“ Já foram mais de oito casas arrombadas. Muitos estudantes tiveram grande prejuízo, seus móveis, eletrodomésticos, roupas e demais objetos de valor foram roubados. Estudantes que fazem grande sacrifício para se mudar de cidade e realizar o sonho de se graduar, estão passando por essa situação criminosa e desumana”, desabafou uma das vítimas.

“Nós, estudantes da UESC que moramos no Salobrinho, gostaríamos de pedir mais atenção da PM local para esses casos que estão cada vez mais recorrentes. Todos os casos foram notificados à Polícia Militar, mas até agora nada foi feito”, explicou ao Agravo.

Ultrapassa 2 toneladas pesagem de droga apreendida no Porto de Ilhéus


Pouco mais de 2 toneladas foi a pesagem final da cocaína que iria para Holanda e terminou interceptada por equipes da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Cacaueira e da PF. Contagem da droga terminou na manhã deste sábado (20).

Como a droga, localizada no dia anterior, no Porto da cidade de Ilhéus, no Sul da Bahia, estava escondida dentro de um carregamento de soja, foi necessário usar o faro apurado da cadela Athena (raça Pastor Belga Malinois), da Cipe Cacaueira. Até as primeiras horas da noite, cerca de 200 kg foram apreendidos.

“Trabalhamos com paciência e de forma bem técnica por que as informações eram de um grande montante de cocaína que iria para Europa. As equipes estão de parabéns pela persistência”, destacou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.

A droga, segundo levantamentos preliminares, renderia aproximadamente R$ 40 milhões de reais se fosse comercializada. Todo o material foi encaminhado para a sede da PF, em Ilhéus.

Vídeo: Polícia Federal e Caerc apreendem grande quantidade de cocaína no Porto de Ilhéus

Segurança Pública na Bahia durante o período de pandemia do novo coronavírus


Por Diego Messias.

A Segurança Pública consiste na possibilidade das pessoas usufruírem seus direitos e cumprirem suas obrigações pacificamente. Para que a segurança pública esteja instituída em sua plenitude faz-se necessário a presença de um sistema de instituições com objetivo de prevenir e reprimir a criminalidade, por vezes violenta, recorrendo não só a operações policiais, mas também, envolvendo outras áreas, tais como: justiça, saúde, educação e desenvolvimento social.

Nota-se, então, que se trata de um sistema interdisciplinar, que envolve quase todos os outros setores do Estado, sendo de suma importância que estejam funcionando razoavelmente bem, pois, caso contrário, contribuem para o colapso na paz social. É possível observar, por exemplo, que uma elevada taxa de desemprego pode desencadear o aumento significativo nas ocorrências de furto e roubo.

A pandemia do novo coronavírus e a necessidade de isolamento social colocaram mais luz no que já era notório: as nossas enormes fragilidades da saúde pública, do emprego e renda, do apoio a micro, pequeno e médio empreendedor, entre outros. Desnudou-se, também, a vulnerabilidade do nosso já caótico sistema de Segurança Pública. Ora, se a paz social depende de diversas áreas e elas são deficitárias, com certeza, irão gerar problemas de segurança para as pessoas, sem contar os próprios equívocos da pasta.

Em relação à violência, neste período suis generis que passamos, segundo o Monitor da Violência, houve no país 4.146 mortes violentas em março deste ano, no mesmo mês no ano passado, foram 3.729 no Brasil. Só a Bahia teve 525 mortes em março de 2020. Em 2019, levando em consideração o mês de março, foram 443 casos. Se observarmos o índice por 100 mil habitantes, o estado baiano teve uma taxa de 3,53, quase o dobro em relação a taxa nacional que é de 1,97.

Além dos problemas estruturantes nas outras pastas, pode-se atribuir este aumento da criminalidade neste momento na Bahia às atividades ligadas ao tráfico de drogas, a soltura de detentos do sistema judiciário, a infraestrutura deficitária das polícias, em especial, a Polícia Civil, incluindo Polícia Técnica, falta de qualificação contínua dos policiais, distinção clara de atribuições entre as polícias que compõe o sistema, desvalorização financeira e promocional dos policiais de base (praças, investigadores, escrivães, peritos técnicos), escassez de EPI´s para os policiais que atuam na linha de frente.

Em se tratando de solução para a Segurança Pública, deve-se atacar todos os gargalos supramencionados. Ao invés de centrar a atenção apenas no combate direto ao tráfico, tem que rastrear o dinheiro que o financia; acompanhar através de tecnologia os detentos que foram soltos; melhorar infraestrutura das delegacias, das companhias, oferecendo materiais modernos para o sistema de investigação e enfrentamento a criminalidade; qualificação anual para todos os policiais, principalmente com novas técnicas e tecnologias para prevenção e enfrentamento à criminalidade; constituir atribuições claras entre os órgãos policiais; fornecer todos os EPI´s necessários, principalmente, neste momento de pandemia; valorizar o policial, extinguindo o abismo salarial entre o policial de nível hierárquico inicial e o policial gestor, permitindo que o profissional que ingresse nas carreiras de base, possa alcançar as carreiras de gestão do sistema policial; atendimento psicológico e psiquiátrico a todo policial envolvido em ocorrências que tiveram resultado lesões ou morte.

Com estas mudanças profundas, com gasto de energia, tempo e dinheiro, poderemos sentir melhoras nos índices e, consequentemente, na segurança pública de nosso Estado.

*Diego Messias – Vice-presidente adjunto do Sindpoc/BA, Presidente do PSB-Ilhéus, perito técnico de polícia civil, professor universitário, bacharel em direito e em ciências econômicas, especialista em processo e direito do trabalho e em gestão pública municipal.

Os Artigos são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.