TST determina fim da greve dos Correios


Foto ilustrativa. Crédito – Cassiano Lazarini.

 

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) decidiu determinar o fim da greve dos funcionários dos Correios e o retorno ao trabalho a partir de amanhã (22). O tribunal julgou nesta tarde o dissídio de greve dos trabalhadores da estatal, que estão parados desde 17 de agosto, diante das discussões do novo acordo coletivo.

Por maioria de votos, os ministros da Seção de Dissídios Coletivos consideraram que a greve não foi abusiva. No entanto, haverá desconto de metade dos dias parados e o restante deverá ser compensado. Além disso, somente 20 cláusulas que estavam previstas no acordo anterior deverão prevalecer. O reajuste de 2,6% previsto em uma das cláusulas foi mantido.

Segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Similares (Fentect), a greve foi deflagrada em protesto contra a proposta de privatização da estatal e pela manutenção de benefícios trabalhistas. Segundo a entidade, foram retiradas 70 cláusulas de direitos em relação ao acordo anterior, como questões envolvendo adicional de risco, licença-maternidade, indenização por morte, auxílio-creche, entre outros benefícios.

Durante a audiência, os advogados dos sindicatos afirmaram que a empresa não está passando por dificuldades financeiras e que a estatal atua para retirar direitos conquistados pela categoria, inclusive os sociais, que não têm impacto financeiro.

Os representantes dos Correios no julgamento afirmaram que a manutenção das cláusulas do acordo anterior podem ter impacto negativo de R$ 294 milhões nas contas da empresa. Dessa forma, a estatal não tem como suportar essas despesas porque teve seu caixa afetado pela pandemia.

A empresa também sustentou que não pode cumprir cláusulas de acordos que expiraram, sob forma de “conquista histórica” da categoria.

Seu amigo está se divorciando? Estudo mostra que você pode ser o próximo


Pessoas que fazem parte do mesmo círculo de amizade influenciam umas às outras em diversas situações, mas um estudo realizado por pesquisadores das Universidades de Harvard, Brown e San Diego comprovou que isso pode ir muito além de restaurantes e bons livros, por exemplo. De acordo com o levantamento, homens ou mulheres têm 75% mais chances de se divorciar quando algum amigo próximo toma essa decisão e, quando se tem vários amigos separados, essa chance sobe para 147%.

Quando este tipo de situação ocorre dentro da própria família, as chances de terminar um casamento são de 22% se o seu irmão é divorciado. Se um amigo de um amigo se separa, as chances de se divorciar aumentam 33% e, para colegas de trabalho, esse número cresce para 50%.

Intitulado “Romper é difícil, a menos que todos os outros também estejam fazendo isso”, o estudo foi feito com base nas relações de 12 mil pessoas que viviam na cidade de Framingham, na Nova Inglaterra. O efeito dominó é chamado, pelos pesquisadores, de “agrupamento de divórcios”.

“Quando um amigo próximo se divorcia, isso nos alerta para as possibilidades”, explica a advogada Debora Ghelman, especialista em Direito Humanizado nas áreas de Família e Sucessões. “Quando isso acontece, as pessoas começam a olhar para suas próprias vidas e passam a avaliar seus próprios problemas conjugais que muitas vezes incluem brigas, traições, ciúmes, monotonia, falta de interesse sexual, entre outras questões”, diz.
Outra possível razão é que ver outra pessoa se divorciar reduz o estigma de separação dentro desse círculo social. Em alguns casos, ver um amigo desfrutando de um novo relacionamento e feliz em recomeçar sua vida amorosa com outra pessoa gera reflexões sobre o próprio cônjuge.

“A maior vantagem de observar um amigo passando pelo divórcio é que isso lhe dá a oportunidade de ter mais comunicação em seu próprio casamento”, diz a advogada. “Assuntos que podem ser difíceis de abordar, agora podem ser discutidos destacando o desejo de evitar passar pelo o que amigo está passando”, afirma a especialista.

O estudo também analisou o efeito do divórcio entre pessoas próximas e até mesmo entre amigos nas redes sociais e constatou que divorciados influenciam outros a finalizarem seus relacionamentos quando demonstram que sua decisão foi pessoalmente benéfica (ou pelo menos tolerável) ou mesmo fornecem suporte que permite ao indivíduo suportar uma ruptura.

Número de divórcio crescem durante pandemia

O isolamento social fez com que muitas pessoas ficassem mais instáveis emocionalmente e as relações familiares também acabaram sendo afetadas, resultando em divórcio para muitos casais. Não à toa, portanto, que, desde o início da pandemia e do isolamento, as buscas no Google Brasil pelo termo “divórcio online gratuito” aumentaram quase 10.000% entre 13 e 29 de abril.

Nos cartórios de notas do país, durante a quarentena decretada pela pandemia do novo coronavírus, entre os meses de maio e junho deste ano, o número de divórcios consensuais aumentou 18,7%. O aumento coincide justamente com a autorização nacional que desde maio – por meio do provimento número 100 – permite que divórcios, inventários, partilhas, compra e venda, doação e procurações possam ser feitos de forma remota, por videoconferência por meio da plataforma e-Notariado.

“Os casais interessados em fazer pedidos de divórcio ou separação podem solicitar o serviço pela internet. Hoje em dia, os processos são eletrônicos, então, é possível que o divórcio seja feito remotamente, havendo até a possibilidade de realização de audiência por videoconferência”, explica a advogada Debora Ghelman.

Em números absolutos, os divórcios consensuais passaram de 4.471 em maio para 5.306 em junho de 2020. Houve crescimento em 24 estados brasileiros, especialmente no Amazonas (133%), Piauí (122%), Pernambuco (80%), Maranhão (79%), Acre (71%) Rio de Janeiro (55%) e Bahia (50%). Segundo o levantamento, apenas três unidades federativas não viram crescimento neste período: Amapá, Mato Grosso e Rondônia.

Os dados são do Colégio Notarial do Brasil, que representa os tabeliães de notas que atuam em cartórios pelo país. De acordo com o levantamento, o mês de junho foi o que mais registrou divórcios neste ano.

Mensagem dos Auditores Fiscais do Município de Ilhéus


Hoje é dia 21 de setembro e celebramos o Dia do Auditor Fiscal! Mas você sabe qual a importância do Auditor Fiscal para o seu Município? Muita gente associa a imagem do Auditor Fiscal ao cobrador de impostos. Contudo, a principal função do Auditor é colaborar para a justiça fiscal, ou seja, trazer os recursos para que o município possa investir na sociedade, trazendo benefícios que abarquem todos os cidadãos. Dessa forma, a viabilidade das políticas públicas depende diretamente dos recursos arrecadados pelo Auditor Fiscal.

Percebe-se, assim, que as atribuições do Auditor Fiscal são essenciais para o bom funcionamento da máquina pública. Através da arrecadação e da fiscalização, esse profissional colabora para uma gestão fiscal equilibrada e isonômica, caminhando em parceria com a sociedade, no intuito de evitar privilégios indevidos e proporcionando um caminhar social pautado na redistribuição dos valores advindos dos mais diversos setores, garantindo a existência de receita para a consecução das políticas públicas.

Justamente pela tamanha importância e, acima de tudo, responsabilidade que o cargo requer, essa carreira é considerada uma Carreira de Estado, que precisa de estabilidade, para evitar que interesses políticos interfiram no trabalho do Auditor, cuja atuação deve ser técnica e sempre pautada na confiança, integridade e confiabilidade. O Auditor Fiscal deve ser íntegro e ético.

Um Município que entende a relevância desse Setor, garantindo o fortalecimento da carreira, mostra-se em consonância com as melhores práticas sociais e de gestão, encontra-se em conformidade com o texto constitucional e possibilita uma atuação independente, transparente e cumprida com eficácia, eficiência e efetividade.

Atenciosamente

Infectologista compara coronavírus com gripe espanhola e diz que imunidade de rebanho é ‘ínviável’


Imagem do site Metro1/ Rádio Metrópoles.

 

O infectologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo, e autor de Pandemias “A Humanidade em Risco”, Stefan Cunha Ujvari, comentou as semelhanças entre a pandemia de Gripe Espanhola, que aconteceu entre 1918 e 1919 e matou, no mínimo, 50 milhões de pessoas, e a pandemia de coronavírus, que já deixou 961 mil mortos. Em entrevista a Mário Kertész na Rádio Metrópole hoje (21), durante o Jornal da Metrópole no Ar, ele afirmou que a primeira doença seguiu um curso rápido e mortal.

“A gente deixou a epidemia explodir na velocidade normal de uma epidemia. Por isso teve um período curto, de dois a três meses. Mesmo assim, ela causou um número de mortes assustador. A Bahia foi um estado que foi mais poupado. O Rio de Janeiro perdeu 1,5% da população, o que é muita porcentagem. São Paulo perdeu quase 1%. Ela veio por uma embarcação inglesa que fez escala em Portugal e que depois veio para o Brasil”, afirmou o especialista.

“No começo da Espanhola, também se faziam notícias muito tranquilizadoras onde aquilo que acontecia na Europa era uma doença de ‘limpa-velhos’, porque matava principalmente os idosos e não precisava de pânico. Quando começou com a mortalidade dela, começou a ter pânico e os falsos tratamentos. Acreditava-se que a cachaça poderia curar porque esterilizava a garganta ou gargarejo com substância de eucalipto, ou alho ou limão. Nos mercados esgotaram esses ingredientes”, afirma o infectologista.

No entanto, ele alertou para a diferença entre as duas pandemias. Segundo Ujvari, o coronavírus tem um potencial mais mortal. “A imunidade de rebanho existe, mas a gente poderia somente atingi-la se deixasse a pandemia transcorrer sem o isolamento social, distanciamento, máscara e medidas preventivas. Foi o que aconteceu na gripe espanhola, onde a pandemia durou dois meses e foi embora. Mas isso hoje é inviável, teríamos um número de mortos muito grande por falta de leitos”, declarou.

Informações de Matheus Simoni/ Metro 1.

Governo pede investigação e suspensão de filme da Netflix


O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos pediu a suspensão da veiculação do filme Cuties pela Netflix e investigação sobre sua distribuição no Brasil, por possuir “conteúdo pornográfico envolvendo crianças”.

O pedido foi encaminhado à coordenação da Comissão Permanente da Infância e Juventude (Copeij), colegiado integrado por procuradores e promotores de Justiça de todos os estados e distrito Federal que atuam diretamente na área da infância e juventude.

O filme francês é uma produção original da Netflix e tem classificação indicativa de 16 anos.

De acordo com o ministério, no ofício assinado pela Secretaria Nacional de Direitos da Criança e do Adolescente, o secretário Maurício Cunha destacou que a produção, protagonizada por uma menina de 11 anos, possui, como pano de fundo, o fascínio pela dança, a busca pela liberdade, o desenvolvimento da identidade sexual e o conflito em relação à tradição religiosa de sua família.

“No entanto, de acordo com Cunha, o filme apresenta pornografia infantil e múltiplas cenas com foco nas partes íntimas das meninas enquanto reproduzem movimentos eróticos durante a dança, se contorcem e simulam práticas sexuais. O roteiro, segundo ele, pode levar à normalização da hipersexualidade das crianças em produções artísticas”, informou, em comunicado.

Além da suspensão do filme no país, o governo pede a apuração da responsabilidade pela oferta e distribuição do conteúdo, destacando que o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) prevê como crime o ato de “vender ou expor à venda, vídeo ou outro registro que contenha cena pornográfica envolvendo criança e adolescente, punível com reclusão de 4 a 8 anos e multa”.

Ilhéus: Maurício Galvão recebe apoio de Jezi


Jezi com Mauricio Galvão.

 

O candidato a vereador Maurício Galvão conquistou o apoio político de Jezi, do bairro Nossa Senhora da Vitória, para as eleições municipais 2020.

“O apoio de Jezi fortalece a nossa caminhada para o legislativo ilheense. Queremos ver uma cidade melhor, próspera em todos os segmentos, principalmente para a juventude. Temos força e muita vontade de trabalhar, mudar e fazer o município de Ilhéus crescer”, ressalta Maurício Galvão.

Jezi destaca a força e a vontade de trabalhar de Maurício Galvão. ” Maurício é um jovem do bem, tem muita força de vontade, conhece bem o município, sabe quais os problemas existentes na cidade. É o nome certo para ocupar a Câmara Municipal de Ilhéus e desenvolver um excelente trabalho”, finaliza.

Jezi, mora há 50 anos na Zona Sul de Ilhéus, sendo 27 destes no bairro Nossa Senhora da Vitória. Já foi candidato a vereador duas vezes, em ambas teve mais de 1.000 votos.

Homem é assassinado na passarela do Álcool em Ilhéus


Renatinho foi morto por dois homens encapuzados.

 

A Polícia Civil de Ilhéus investiga o assassinado de um homem na madrugada desta segunda-feira (21), na Rua Hermínio Ramos, nas proximidade da Passarela do Álcool, bairro do Pontal, zona sul de Ilhéus.

Segundo informações policiais, dois homens encapuzados chegaram ao local e efetuaram disparos de arma de fogo contra a vítima, identificada como Renato Erudilho Suzarte Neto, que foi alvejado com três tiros, sendo eles perto do peito, pescoço e coxa esquerda.

Ainda segundo informações, no momento da ação, a vítima estava acompanhada da namorada e de um amigo, que conseguiu fugir dos atiradores.

A vítima tem inúmeras passagens pela polícia. Em 2019, Renato foi preso juntamente com um homem apontado como um dos líderes de uma facção criminosa de Ilhéus.

Caixa libera FGTS emergencial a nascidos em dezembro


Aplicativo Caixa Econômica Federal- FGTS.

 

A Caixa libera o pagamento do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) emergencial para os nascidos em dezembro nesta segunda-feira (21). O valor será depositado em uma poupança digital gratuita criada pela instituição e poderá ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem para o pagamento de contas, boletos e compras.

Quem preferir sacar o dinheiro em espécie ou transferir para outra conta corrente vai precisar esperar até o dia 14 de novembro. A Caixa determinou duas datas para cada etapa para evitar aglomerações nas agências bancárias.

Como consultar valor do saque

O valor máximo do saque é de R$ 1.045, mas varia de acordo com o saldo total que a pessoa tem no fundo. A consulta ao benefício está disponível pelo app FGTS (Android e iOS), pelo internet banking da Caixa, pelo site oficial e pelo telefone 111. É possível checar o valor disponível e qual a data de disponibilização do FGTS.

Quem não quiser realizar o saque deve informar pelo aplicativo do FGTS com pelo menos 10 dias de antecedência da data prevista do crédito. Também é possível solicitar o desfazimento do crédito depois do depósito. Neste caso, o valor volta para a conta do FGTS do beneficiário.

Além disso, se a poupança social digital não sofrer movimentação até o dia 30 de novembro, os valores retornarão à conta FGTS do trabalhador, devidamente corrigidos.