Para controlar avanço do mar, Prefeitura de Ilhéus lança mais pedras nas áreas afetadas


Imagem da Prefeitura de Ilhéus.

 

A Prefeitura de Ilhéus mantém o serviço para mitigar os danos causados pelo avanço da maré nos bairros São Domingos e São Miguel, litoral norte da cidade. Além da instalação de barreiras de pedras, são utilizados sacos de náilon com areia que funcionam como quebra-mar para proteger as áreas atingidas pela erosão costeira.

O prefeito Mário Alexandre busca recursos junto às esferas estadual e federal, devido ao custo elevado da intervenção, mas permanece empenhado e atento à situação das localidades. O trabalho realizado é continuidade da ação desenvolvida há mais de dois meses pelo Município.

Inicialmente, o gestor autorizou uma remessa contendo 15 caçambas de pedras. Logo após, foi adquirida outra remessa contendo 40 caçambas e a última com a mesma quantidade, além de escavadeiras e pás carregadeiras utilizadas para fazer o lançamento das pedras na região.

Neste final de semana, mais pedras serão despejadas nos pontos definidos pelos presidentes das associações de moradores e membros das comunidades como emergenciais. Todas as remessas foram divididas de igual maneira para os bairros.

Vale ressaltar ainda que a Prefeitura obteve a licença ambiental para realizar o lançamento das pedras utilizadas na construção da ponte. Segundo informou a Administração Municipal, a população tem conhecimento de que a medida é paliativa, pois a maré continua elevada. Visando reforçar o trabalho, foi instituído um comitê deliberativo voltado ao monitoramento e controle do cenário.

Dia D da campanha de vacinação de crianças e adolescentes será hoje


 

Campanha Nacional de Vacinação.

 

Crianças e adolescentes menores de 15 anos têm, neste sábado (17), a oportunidade de atualizar suas cadernetas de vacinação. O chamado Dia D de mobilização nacional para a vacinação é uma estratégia adotada há anos pelas autoridades de saúde, com o objetivo de fazer com que o máximo de pessoas tenha acesso a todas vacinas do calendário nacional.

Segundo a pasta, com a campanha de multivacinação é possível evitar o risco de adquirir doenças como sarampo, febre amarela, rubéola, caxumba, hepatites A e B, entre outras.

Em nota, o Ministério da Saúde (MS) informou que os postos de saúde estão adaptados para evitar risco de contaminação pela covid-19, e que vem dando orientações para que as ações de vacinação sejam realizadas conforme as recomendações sobre distanciamento social, com lavagem das mãos, uso de álcool em gel e máscara.

Programa de imunização

O Dia D da vacinação faz parte do Programa Nacional de Imunizações (PNI), que oferece 18 vacinas para crianças e adolescentes. Entretanto, de acordo com o ministério, o número de pessoas não vacinadas tem crescido nos últimos anos. “Como consequência, doenças que já estavam eliminadas no Brasil voltaram a ser um problema para a saúde de todos, como o sarampo, por exemplo”, alertou o MS em nota enviada à Agência Brasil.

Segundo o MS, 7,7 milhões de crianças e adolescentes menores de 15 anos não foram vacinadas contra a febre amarela em 2019. No caso da Hepatite B, cerca de 24,8 milhões de pessoas dessa faixa etária não se vacinaram. Em relação à vacina contra meningite dirigida a adolescentes de 11 e 12 anos, o número de não vacinados ficou em 4,3 milhões.

Já no caso da vacina contra HPV, 73,6% das meninas com idade entre 9 e 15 anos tomaram a primeira dose. O percentual é menor quando é considerada a segunda etapa da vacina: apenas 46% das meninas foram imunizadas. Entre os meninos com faixa etária de 9 a 14 anos, que foram alvo de campanha, a vacinação chega a 36,2% para a primeira dose; e a 19,2% para segunda dose.

Poliomielite

O MS acrescenta que a vacinação contra a poliomielite, iniciada no último dia 5, seguirá até o dia 30 de outubro em mais de 40 mil postos de vacinação espalhados pelo país. A expectativa é de que cerca de 11 milhões de crianças com idade entre 1 e 5 anos tomem a vacina oral contra a poliomielite (VOP), desde que tenham recebido as três doses da vacina inativada poliomielite (VIP), do esquema básico de vacinação.

A meta anunciada pelo MS é a de vacinar pelo menos 95% das crianças. Crianças até 11 meses e 29 dias deverão ser vacinadas conforme indicações do Calendário Nacional de Vacinação, com a VIP.