Prefeito Mário Alexandre recebe comitiva do vice-governador da Bahia e potenciais investidores


O prefeito Mário Alexandre recebeu na tarde deste sábado (23) a comitiva do vice-governador do Estado da Bahia e secretário de Desenvolvimento Econômico, João Leão, que trouxe executivos do grupo francês Egis. A visita, que objetivou mostrar potencialidades de investimentos em Ilhéus, cidade incluída num grandioso projeto de duplicação que abrange municípios costeiros, esteve em locais como o Porto de Ilhéus, o Outeiro de São Sebastião e o mirante da Piqueira, na Conquista.

“A pedido do governador Rui Costa, vim aqui no intuito de fazer um novo projeto, o da duplicação da cabeça da ponte da Ilha de Itaparica até Valença, de Valença até Ilhéus e de Ilhéus até Porto Seguro. Estou trazendo aqui as grandes concessionárias do mundo. Queremos fazer um casamento de 3 grandes empresas, como nós conseguimos fazer com a Ponte Salvador-Itaparica, dando continuidade a esse processo com a duplicação disso tudo aqui. Será o maior presente que o Governo da Bahia vai trazer para Ilhéus”, disse animado o vice-governador, João Leão, que estimou o conjunto de obras, incluídas duas pontes Salvador-Itaparica com as pretensas duplicações, algo em torno de 2 bilhões de dólares, o correspondente a cerca de 10 bilhões de reais. “Nós queremos disputar com São Paulo e a Bahia tem amplas condições de fazer isso”, reforçou.

O prefeito Mário Alexandre recepcionou a comitiva e os potenciais investidores mostrando além das belezas da cidade, a vontade política de contribuir cada vez mais para a prosperidade de Ilhéus e do Sul baiano. “O vice-governador tem ajudado, mostrando e melhorado a infraestrutura da cidade e região. Isso é bom porque fortalece o turismo, gera emprego e renda, desenvolvendo a nossa economia. Estamos realmente com essa parceria forte com o governo do Estado para que possamos continuar trabalhando e reconstruindo a nossa cidade. Nós estamos sempre lutando para ver uma região cada vez melhor”, disse o prefeito Mário Alexandre, que agradeceu à João Leão pela visita.

Outro objetivo do Governo do Estado para Ilhéus é alavancar o transporte marítimo do atual Porto de Ilhéus, que em dezembro de 2020 aumentou em 31,5% o volume de cargas em relação à 2019, o melhor resultado no mês de dezembro registrado na história da Codeba, segundo o gerente do Porto, Luiz Alberto Silva. Além de movimentar cargas como cacau, manganés, níquel e madeira, a perspectiva do Estado é que o porto incremente a logística de novos produtos como algodão, açúcar e álcool, aumentando o seu potencial econômico.

Após passar por Porto Seguro, Una e Ilhéus, no domingo (24), a comitiva percorrerá os municípios de Camamu, Igrapiúna, Ituberá, Taperoá e Valença, via BA-001, um dos focos de interesse para possíveis investimentos. A companhia francesa Egis, do segmento de engenharia, é líder mundial na área de concessões e operação de rodovias com pedágio e emprega 15,8 mil colaboradores no mundo.

A visita também contou com as presenças do deputado estadual Eduardo Sales, o prefeito de Una, Thiago Birschner, o gerente do Porto de Ilhéus, Luiz Alberto Silva, e os secretários municipais Átila Docio (Infraestrutura), Vinicius Briglia (Desenvolvimento Econômico) e João Aquino (Serviços Urbanos).

Mais de 78,5 mil baianos já foram vacinados contra Covid-19


As primeiras doses da vacina contra a Covid-19 já foram enviadas pela Sesab para os 417 municípios baianos. Do total de cidades, 417 já iniciaram a vacinação. Até às 14h deste sábado (23), 78.587 doses já haviam sido aplicadas em profissionais de saúde, indígenas aldeados, idosos em instituições de longa permanência e pessoas com deficiência. Para ter acesso ao quantitativo por município, clique aqui.

Boletim

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 4566 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,8%) e 3.695 recuperados (+0,7%). Dos 562.466 casos confirmados desde o início da pandemia, 541.416 já são considerados recuperados e 11.223 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (22,04%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Ibirataia (11.461,60), Itororó (9.464,23), Muniz Ferreira (8.879,01), Itabuna (8.797,36), Conceição do Coité (8.785,20).

boletim epidemiológico contabiliza ainda 952.517casos descartados e 136686 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas deste sábado (23).

Na Bahia, 39.169 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 33 óbitos que ocorreram em diversas datas.

A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 9.827, representando uma letalidade de 1,75%. Dentre os óbitos, 56,54% ocorreram no sexo masculino e 43,46% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 55,05% corresponderam a parda, seguidos por branca com 19,48%, preta com 14,72%, amarela com 0,63%, indígena com 0,13% e não há informação em 9,98% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 70,70%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (73,89%).